Pular para o conteúdo principal

ASMA


O que é Asma? 
    A asma, popularmente conhecida como bronquite alérgica, é uma doença crônica dos pulmões que tem como principal característica a presença de uma inflamação nas vias respiratórias que provoca um aumento da sensibilidade à vários estímulos (hiper-reatividade ou instabilidade dos brônquios). Estes brônquios instáveis, ao serem provocados fazem surgir os sintomas da asma.

Quais os principais sintomas da doença?
Os sintomas principais da asma são: 
Sensação de “peito preso” 
Falta de ar, cansaço fácil. 
Chiados no peito 
Tosse (com ou sem catarro)
Mas, vale ressaltar que os sintomas variam de pessoa para pessoa.

Quem pode ter asma? 
Embora seja mais comum na infância, a asma pode acometer qualquer idade, do bebê até o idoso. Existem casos em que a asma se inicia no adulto e até mesmo na terceira idade. 

Como identificar uma crise de asma? 
 Uma crise que está iniciando (leve) provoca o aparecimento de sinais que podem variar muito e incluem:
-  Sensação de “peito preso” ou de “respiração incompleta”.
-  Tosse ou chiado durante atividades diárias, quando ri, pratica exercícios ou esportes
-  Cansaço leve, Pigarro insistente 
Em algumas pessoas, a tosse pode ser o único sintoma e melhora com uso de broncodilatadores.

Quais são as causas da crise? 
 As crises de asma podem ser causadas por vários fatores, como:
- Alergia: o principal fator é o ácaro da poeira domiciliar. Além disso, citam-se: mofo, animais domésticos(em especial, gatos e cães),
- Infecções: viroses - como as gripes e resfriados, ou ainda as sinusites.
-Irritantes: mudanças de tempo, fumaças, odores ativos
- Esforço físico exagerado
- Aspectos emocionais
Outras causas: alguns tipos de medicamentos, alguns alimentos, refluxo gastro esofágico, causas hormonais, fatores relacionados ao trabalho ou à escola, asma provocada por outras doenças, entre outras.


Como posso reconhecer se uma crise de asma é grave? 
A crise grave de asma se manifesta com intensa sensação de falta de ar, respiração difícil, entrecortada e ofegante. O cansaço se acompanha de dificuldade em falar caminhar ou se alimentar. Os lábios e unhas podem se tornar arroxeadas. A tosse se torna intensa e observa-se batimento das asas do nariz, uso da musculatura do pescoço e esterno para respirar Há pouca melhora com a medicação e a medida do sopro (Peak Flow) está abaixo de 50% do valor previsto .

Mas lembre-se: nenhuma crise de asma já começa grave. 
Por isso é importante reconhecer sintomas leves.


É importante tratar o mais cedo possível, evitando a piora, prevenindo as crises graves e consequentemente evitando o pronto socorro e as internações.
Uma pessoa hipertensa não espera a pressão subir para ir ao médico. E você asmático, deve fazer o mesmo: tratar todos os dias e evitar as crises fortes.
“Prevenir é melhor do que remediar”

Como é o tratamento da asma?
O tratamento da asma requer um acompanhamento regular com um médico especialista, monitoramento do uso correto do medicamento e avaliação a cada consulta do nível de controle da doença. É importante ressaltar que o tratamento deve ser mantido mesmo quando a pessoa está bem, sem sintomas. 
Hoje a medicina dispõe de modernos medicamentos inalados para o tratamento de controle da asma. Em casos de asma grave, o tratamento com anticorpos monoclonais é capaz de controlar a doença e permitir uma melhor qualidade de vida para muitas pessoas.

Asma: 
O tratamento engloba vários passos:
- Uso de medicamentos aliviadores nos momentos de crises
- Uso contínuo de medicamentos controladores que atuam no processo inflamatório dos brônquios, controlando a doença e evitando crises.
- Controle de ácaros no domicílio
- Controle de fatores agravantes da doença
- Tratamento da alergia nasal
- Educação do paciente e de seus familiares


Sinais de que a asma não está controlada
- Visita à emergência ou internação recente.
- Necessidade do uso repetido de corticoide (em comprimidos ou xaropes).
- Sono alterado pela doença: acordar para nebulizar ou para usar remédios.
- Acordar e já se sentir mal.
- Atividades diárias afetadas pela asma, faltar ao trabalho ou às aulas na escola.
- Medida do sopro em queda (se tiver um aparelho medidor do PFE).
- Necessidade de usar remédios de alívio com frequência.
O ambiente para o asmático precisa de cuidados especiais?
 Sim. Porque é principalmente no ambiente onde habita que ele estará mais exposto aos agentes causadores dos sintomas asmáticos. O quarto é o principal foco de atenção, já que é o local onde o asmático passa a maior parte de seu dia.
Ácaros são organismos microscópicos que se alimentam de descamação da pele humana, de pelos de animais e também do mofo. Habitam locais onde há acúmulo de poeira como: colchões e travesseiros, carpetes, bichos de pelúcia, estantes, papéis e até animais de pelo. Os ácaros e seus excrementos são os maiores agentes causadores de alergias respiratórias. 

Comentários

  1. Olá, minha asma está controlada á (10O anos, com o medicamento Foraseg (400) m, 2 vezes ao dia . Nunca mais precisei correr para o pronto socorro com os simtomas,e tambem não fui mais ao pneumologista,será que estou certa? Sofri durante mais de (40) anos, e tenho medo de mexer no que está quieto! Mas tenho dificuldade em puxar o ar e no calor, me sinto sufocada! Será que estou procedendo de maneira certa! Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Wilma: na realidade, a sua asma está parcialmente controlada. E, com a orientação do especialista, certamente poderá ficar melhor. É aconselhável que retorne ao médico para que seja orientada. Agradecemos sua participação no Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  3. Olá,eu gostaria de saber se a inalação com bertoc e atrovent ajuda na rinite alergica?
    Budesonida é realmente eficiente no tratamento da rinite/sinusite?

    ResponderExcluir
  4. Audalio Bom dia. Berotec e atrovent são broncodilatadores, ou seja atuam relaxando a musculatura dos brônquios e melhorando a falta de ar. Não exercem efeito significativo na rinite alérgica. Budesonida é um corticoide para uso intranasal indicado no controle da rinite alérgica. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, nasal, é mais feliz quem respira pelo nariz”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Alergia a analgésicos e anti-inflamatórios

Você sempre usou aquele analgésico e nunca teve nada. Um belo dia toma e... incha tudo! 

É sempre uma surpresa, pois a alergia não surge da primeira vez e sim quando já se tomou aquele remédio por várias vezes.

Quer entender o que se passou? É um pouquinho complicado, mas vamos lá:


Analgésicos servem para aliviar a dor, mas a maioria também tem ação antitérmica e anti-inflamatória. A aspirina (ácido acetil salicílico ou AAS) foi o primeiro analgésico, inventado em 1800. A partir dela, foram sintetizadas outras substâncias como dipirona e os chamados anti-inflamatórios (diclofenaco, ibuprofeno, etc.). Portanto, todos derivam de uma mesma linha de família, sendo “parentes” e com ações semelhantes.
Para que se entenda porque os analgésicos provocam reações alérgicas, é preciso entender como agem: para combater a dor e a febre, estes medicamentos atuam inibindo uma enzima chamada COX 1 e impedindo a ação das substâncias provocadoras de dor, chamadas prostaglandinas.
O problema é que, ao …

Corticóides nasais na rinite alérgica

Os principais medicamentos usados no tratamento da rinite alérgica são os corticóides usados sob a forma de sprays nasais. Estes medicamentos têm eficácia comprovada na redução dos sintomas. Contudo, muitas pessoas ainda têm medo de usá-los apenas pelo fato de serem corticoides, por medo de efeitos colaterais. 

A rinite alérgica é definida como uma doença inflamatória crônica do nariz, que resulta em sintomas: espirros em salva, coriza, obstrução nasal e coceira (no nariz, olhos ouvidos e garganta). Sendo assim, o tratamento deve combater essa inflamação persistente que caracteriza a doença.  

A rinite parece ser uma doença simples e sem importância, mas não é verdade, pois pode causar muitos problemas, como: tosse crônica, infecções repetidas (sinusite, amigdalite, otite, pneumonia, entre outras), tosse crônica, aumento das adenoides, respiração bucal, alterações de olfato, paladar, distúrbios de sono, etc. O fato é que a doença pode interferir de forma grave na qualidade de vida, em …