28 maio 2017

Rinite Alérgica na gravidez


Rinite alérgica - sintomas principais:
Espirros repetidos,
Coriza líquida -  "nariz escorrendo",
Coceira em narinas, olhos, ouvidos, céu da boca, ouvidos
Obstrução nasal - "nariz entupido"
Pode surgir também gotejamento de secreção que escorre pela parte posterior do nariz, provocando pigarro ou tosse.
Em alguns casos, pode se acompanhar também de conjuntivite: olhos avermelhados, irritados, lacrimejando e coçando. Por isso, pode ser confundida com gripes e resfriados.
A gestante, mesmo que não seja alérgica, apresenta uma tendência para ter obstrução (entupimento) nasal, como consequência do efeito dos hormônios aumentados durante a gravidez. Seria de se esperar, portanto, que a mulher portadora de uma rinite alérgica antes de engravidar, tivesse mais propensão à piora na gestação. Entretanto, estudos científicos mostram que este padrão não ocorre: enquanto algumas pioram, outras melhoram ou não modificam sua rinite durante a gestação.

Reflexos da rinite durante a gravidez
A rinite muitas vezes não é valorizada, sendo considerada uma doença de pouca importância, mas não é verdadeiro. A manutenção dos sintomas e principalmente da obstrução nasal pode provocar complicações e prejudicar o desenvolvimento da gravidez. As principais são:
- Sinusite,
- Tosse crônica,
- Respiração bucal e
- Piora ou surgimento de asma
A sinusite é a complicação mais freqüente, pois a imunidade da mulher se altera durante a gravidez, facilitando a instalação da infecção bacteriana. Os sintomas principais da sinusite são: dor de cabeça, obstrução nasal persistente, secreção catarral do nariz, febre ou mal estar. Em algumas pessoas pode se manifestar apenas com acessos de tosse, piorando à noite. 

A rinite alérgica provoca obstrução nasal, que pode se tornar muito intensa. As narinas constantemente obstruídas obrigam a gestante a respirar com a boca aberta (ou semi-aberta), o que termina por provocar pigarro, ressecamento, infecções de amígdalas ou da faringe, além de prejudicar o sono, impedindo um repouso adequado e afetando a sua qualidade de vida. Além disso, a respiração feita pela boca leva um ar mais seco e mais frio para dentro dos brônquios, o que pode influenciar na asma, provocando crises.

Relação entre a rinite e a asma
A rinite é uma inflamação das vias aéreas superiores, isto é, nariz, faringe e laringe. A asma acomete vias respiratórias inferiores, como os pulmões, em especial os brônquios. Assim como as vias respiratórias se interligam, as duas doenças têm características muito semelhantes. Cerca de 80% dos asmáticos têm também rinite. Sabe-se também que a presença da rinite tende a agravar e provocar crises de asma.

Tratamento da rinite durante a gestação
O controle da rinite na gravidez é importante não só para dar conforto à gestante, mas também para prevenir efeitos adversos indiretos sobre a gestação devido a alterações no sono, paladar, olfato, assim como para impedir que atue como fator agravante e/ou desencadeante de crises de asma.

Os remédios de maneira geral podem ser usados com segurança, mas sempre prescritos pelo médico. Além disso, é importante pesquisar os fatores de piora, que variam em cada pessoa.

Algumas mulheres, por medo do tratamento, preferem recorrer ao uso de "gotas nasais" por conta própria, com a crença de que sejam inócuas. Mas estes remédios não resolvem o problema e, pelo contrário, pioram o entupimento nasal, levando ao vício. Além disso, prejudicam o olfato e podem provocar aumento da pressão arterial. Hoje existem medicamentos específicos para uso intra-nasal, autorizados para uso na gestação, controlando os sintomas nasais de forma segura tanto para a mãe como para o feto.

Mas, tratar não é só tomar remédios...

Ácaros da poeira domiciliar são importantes fatores agravadores da rinite alérgica e por isso recomendam-se os cuidados com o ambiente da casa e em especial do quarto da gestante.

O uso de vacinas antialérgicas (imunoterapia) não é contra-indicado na gestação, mas deve ser decidido pelo alergista, de acordo com as necessidades de cada  paciente.




21 maio 2017

Combatendo a alergia no quarto de dormir

Ácaros são a causa mais comum das alergias respiratórias no Brasil, em adultos e em crianças.

Uma pessoa adulta permanece no quarto de dormir em média por 7 ou 8 horas, sendo quase todo esse tempo na cama. Uma criança fica na cama entre 8 a 12 horas e mais algum tempo no chão, brincando. 


Ácaros se alimentam de descamação da pele (dermatophagoides - derma=pele e fagóides=comedor). E, durante a noite, permanecemos longo tempo deitados. Por isso, o ambiente do quarto deve receber uma atenção especial.  

O quarto do alérgico pode ser bonito, agradável, mas precisa também ser saudável. 

A figura abaixo assinala os principais pontos para que um quarto seja adequado para as pessoas que têm alergias respiratórias, como por exemplo, a asma (ou bronquite) e a rinite alérgica. 




1) Almofadões: evite usar ou coloque capas com fechos, permitindo a lavagem frequente.

2) Animais: o ideal é não ter animais de estimação. Caso já tenha, não permita que fiquem no quarto ou que subam em camas ou estofados. Banhe-os semanalmente.

3) Cigarro: não fume e não permita que fumem em seu quarto.

4) Cortinas: prefira as curtas e fáceis e lavar ou substitua por persianas.

5) Limpe o quarto todos os dias e retire o pó com pano úmido embebido em sabão. Evite usar vassoura ou espanador, que espalham a poeira.

6) Tapetes: preferir modelos pequenos e lavar periodicamente.

7) Bichos de pelúcia: evite o excesso de brinquedos e bichinhos de pelúcia pois acumulam pó e dificultam a limpeza. Coleções no quarto também podem se tornar um problema: mantenha em estantes com portas de vidro ou em caixas apropriadas.

8) Estantes: evite os modelos abertos e o acúmulo de papéis, livros e objetos desnecessários.

9) Paredes: combata focos de infiltração e umidade. Use tinta lavável. Evite texturas e papéis de parede que dificultem a limpeza.

10) Evite ventiladores de teto. Caso já tenha, limpe as pás com pano úmido. O ar refrigerado pode ser usado sem esquecer a lavagem semanal do filtro.


Cuidados no resto da casa

• Manter a casa arejada, bem ventilada: vento não faz mal...

• Combater focos de mofo e umidade

• Não fumar e não permitir que fumem em sua casa.

• Não usar umidificadores sem orientação do alergista. A umidade aumentada pode favorecer a proliferação de ácaros

• Evitar uso excessivo de produtos de limpeza e aromatizadores, que podem irritar as vias respiratórias e a mucosa ocular. Prefira produtos com odores mais discretos.

• Limpeza diária com pano umedecido. Evitar vassouras e espanadores.

• Ao realizar obras, preferir tintas e colas sem cheiro ativo.

• Evitar excesso de móveis e objetos para facilitar limpeza

Fonte da figura: Globo on line

14 maio 2017

ALERGIA - Teste seu conhecimento

TESTE RÁPIDO



1. Qual o gatilho mais frequente de alergia? 

a) Gatos 
b) Mofo 
c) Poeira 
d) Ácaros 

2. Qual o local da casa onde tem mais ácaros? 
a) Colchão e travesseiros 
b) Dutos de ar condicionado
c) Banheiro





3. Quanto mais peludo for o cachorro, mais alergia causará. 
a) Verdadeiro 
b) Falso




4. Em que local da casa tem mais mofo: 
a) Porão e sótão 
b) Só nos banheiros
c) Qualquer lugar








5. A pessoa alérgica deve fazer a limpeza da casa?
a) Sim
b) Não





6. A vacina para alergia (imunoterapia) deve ser feita a vida toda? 
a)  Sim 
b) Não



7. Pessoas com rinite alérgica não podem ter cães ou gatos como animais de estimação 
a) Sim
b) Não



8. Porque comer no quarto piora alergia?    

a) Atrai ácaros 
b) Atrai barata 
c) Aumenta o mofo



11. O uso de umidificador melhora alergia 
a) Sim 
b) Não



12. Qual a quantidade de ácaros em 1 grama de poeira? 
a) 50 
b) 500 
c) 5000







RESPOSTAS


1 . Ácaros são os provocadores de alergia mais frequentes. Cerca de 20 milhões de americanos são alérgicos a ácaros da poeira, que são minúsculos (só podem ser vistos ao microscópio).  Ácaros eliminam uma proteína nas fezes que quando inalada, pode causar sintomas, como: espirros, tosse e muito mais. 



2. O local que tem mais ácaros é a cama - colchão e travesseiros. Por isso, recomenda-se: - lavar roupa de cama uma vez por semana (se possível, em água quente).  
- usar capas anti-ácaros em travesseiros e colchões.



3. Não. O pelo não é a única causa de alergia. Os principais causadores de alergia aos animais de estimação são: caspa, proteínas na saliva animal ou urina.  
- Não deixe os animais subirem em camas pois contribuem para aumento de ácaros e agravamento da doença.



4. Mofos crescem em locais úmidos. Por isso, podem crescer em qualquer local da casa onde tiver foco de umidade. É importante corrigir o foco de mofo, como por exemplo, vazamentos.



5. A limpeza da casa deve ser feita diariamente, com pano úmido, sem espanadores ou vassouras. Evitar produtos com odor ativo. Mas, se possível, a limpeza não deve ser feita na presença do alérgico.



6. Não.  O tratamento com vacinas (imunoterapia) é importante, pois atua no sistema imunológico e modifica a história natural da doença, permitindo um controle mais adequado. A duração desta terapia é de 3 a 5 anos.



7. A maioria das pessoas alérgicas pode ter animais de estimação.  Mas, estes não devem ficar nos quartos nem subir em camas e estofados. As medidas de limpeza devem ser intensificadas . Aspiradores de pó com filtro HEPA podem ser úteis. 
Uma pequena parcela de pessoas poderão ter alergia ao animal e devem ser orientados pelo(a) alergista de forma personalizada.


8. Não se deve comer na cama. As partículas de alimentos podem atrair baratas que também são causadoras de alergia, através de proteínas encontradas em seus excrementos ou na saliva. Recomenda-se:
- Manter a casa bem limpa. 
- Manter alimentos e o lixo bem fechados
- Lavar os pratos logo após uma refeição
- Comer somente em áreas de jantar - mesmo nos lanches da noite.



9. Não. A umidade aumentada provocada pelo uso de umidificadores no quarto favorece aumento de ácaros e fungos (mofo) no ambiente e pode agravar a alergia respiratória.



10. Na maioria das vezes, um grama de poeira (o peso de um clipe de papel) tem cerca de 500 ácaros da poeira, mas pode conter muito mais, dependendo do ambiente. 
Ácaros se alimentam de descamação da pele humana e de animais. Uma pessoa adulta pode descamar o suficiente para alimentar um milhão de ácaros.


 Adaptado de – Web MD  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...