Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2011

Vai, Ano Velho

Vai, ano velho, vai de vez Vai com tuas dívidas e dúvidas, vai, dobra a ex-  quina da sorte, e no trinta e um,  à meia-noite esgota o copo e a culpa do que nem lembro e me cravou entre janeiro e dezembro. 
Vai, leva tudo: destroços,  ossos, fotos dos presidentes,  beijos de atrizes, enchentes,  secas, suspiros, jornais...  Vade Retrum, pra trás! leva pra escuridão quem me assaltou O carro,  a casa e o coração,  Não quero te ver mais,  só daqui a anos, Nos anais,  nas fotos do nunca-mais. 
Vem, ano novo, vem veloz,  vem em quadrigas, aladas, antigas  ou jatos de luz modernas, vem,  paira, desce, habita em nós,  vem com cavalhadas, folias, reisados,  fitas multicores, rebercas  vem com uva e mel e desperta em nosso corpo a alegria.  escancara a alma, a poesia,  e, por um instante, estanca  o verso real, perverso  e sacia em nós a fome  - utopia. 
Vem na areia da ampulheta, como a  semente que contivesse outra se-  mente que contivesse ou-  tra semente ou pérola  na casca da ostra  …

Feliz Natal

A equipe do Blog da Alergia deseja a todos que o Natal seja um momento de paz, saúde e harmonia no convívio com a família e amigos.
BoasFestas!

Criança e esmaltes de unhas

A moda de pintar as unhas chegou até as crianças. A tentação é grande: cores e marcas variadas, florzinhas, estrelinhas... Cada vez mais cedo as meninas querem usar esmaltes. Mas, será válido? É seguro? 
Reproduzirei aqui algumas perguntas que foram enviadas para o e-mail do blog da Alergia: 


“Por que não pode? Minha filha não tem alergia a esmalte. Ela nunca teve nada.”
O problema é que a alergia surge de repente, em qualquer momento da vida, mesmo depois de muito tempo usando o esmalte. Crianças têm a pele mais sensível e fina, podendo se sensibilizar aos esmaltes. O sistema imunológico é imaturo na infância. A chance de ter uma alergia de contato é maior quanto mais cedo elas são expostas às substâncias (alérgenos).
E, a alergia pode não surgir na infância, mas sim bem depois, com o passar do tempo. Leia o depoimento da Paula: Minha mãe adorava pintar minhas unhas quando eu era pequena! Desde que me entendo como gente tinha as unhas pintadas com esmaltes de todas as cores possíveis.…