13 setembro 2015

O que é Alergia

Alergia é um estado de sensibilidade exagerada que faz com que algumas pessoas reajam de maneira anormal para fatores que são inofensivos para a maioria das pessoas 

Alergia não é uma doença nova, pelo contrário, trata-se de uma doença antiqüíssima que sempre afligiu a humanidade. Hipócrates, conhecido como o pai da medicina, viveu no século de ouro, de Péricles, 400 A.C. e descreveu a asma como uma dificuldade respiratória. Lucrécio, no 1º século antes de Cristo, no seu magistral “Rerum Natusa”, escreveu: “O que é alimento para uns, pode ser para outros, um veneno violento”. Entretanto, somente no começo do século passado (1906) a palavra “Alergia” foi cunhada por Clemens Von Pirquet, um pesquisador austríaco. 


ALERGIA: allos (significa outro, diferente) e ergon (significa reação) 
Ou seja, uma reação diferente, ou uma maneira diferente de reagir.

Se alguém tem alergia, significa que a rede de defesa do seu organismo está alterada e passou a reagir de forma inadequada a substâncias que normalmente são inofensivas para outras pessoas. 

Por exemplo, se você ingere camarão e imediatamente começa a ter reações na pele e a se coçar, teve uma reação anormal: foi uma resposta alérgica. 

Outro exemplo: milhões de pessoas entram em contato diário com a poeira domiciliar e não tem nada. O alérgico terá uma resposta anormal, como por exemplo espirros, coriza, congestão nasal (Rinite) ou mesmo poderá ter falta de ar, tosse e chiados no peito (Asma). É uma resposta inadequada à poeira, ou seja, uma alergia. 

Hereditariedade e Alergia. 
Filhos de pais alérgicos têm mais probabilidade de serem alérgicos do que filhos de pais não alérgicos. Isso não significa que pais alérgicos terão obrigatoriamente filhos com alergia e nem que na ausência de alergia nos pais, não há possibilidade do filho ter alergia. Do ponto de vista estatístico, sabe-se que: 
- Quando ambos os pais são alérgicos, cerca de 50% dos filhos poderão herdar a alergia. 
- Se um dos pais é alérgico, a possibilidade cai para cerca de 30%. 
- Se nenhum dos pais é alérgico, ainda há cerca de 10 a 20% de chances de filhos alérgicos. 

A forma que cada pessoa demonstra sua alergia é individual,variando desde formas leves, localizadas e discretas; até quadros graves e sistêmicos. Doenças alérgicas não são localizadas em determinado setor do corpo, mas podem afetar todo o organismo 

O que é atopia? 
A palavra atopia foi criada na década de 20 do século passado e define pessoas portadoras de forte carga hereditária, ou seja, pessoas portadoras de sensibilidade mais acentuada, podendo ser consideradas como “muito alérgicas”. Pessoas atópicas tendem a apresentar múltiplas manifestações simultâneas de alergia, como Asma, Rinite, Dermatite ou Eczema atópico. 

Principais doenças alérgicas

- Manifestações Respiratórias: Asma, Rinite, Sinusite, Otite, Amigdalites, Faringites, Laringites, Traqueítes, Tosses Alérgicas, 
Alergias oculares. 
- Manifestações cutâneas: Urticária, Angioedema, Dermatite de Contato, Atopia, Estrófulo. 
- Manifestações variadas: alergia ao látex, medicamentos, contrastes, anestésicos, alimentos, alergia a himenópteros,etc. - Manifestações sistêmicas: choque anafilático 5. 

Imunoglobulinas 

A defesa do organismo é feita pelo sistema imunológico, que é uma rede de proteção contra agressores externos, como as bactérias, vírus, parasitas, etc. Este sistema é composto de várias partes, algumas envolvendo linhagens de células de defesa e outros, envolvendo estruturas chamadas de anticorpos. Anticorpos, portanto, são verdadeiros jogadores da defesa do corpo humano, criados para “driblar” os atacantes e impedir que vençam. 

Existem vários tipos de anticorpos, sendo chamados de “imunoglobulinas” e agrupados em classes, conforme sua utilidade e função. Estas classes de imunoglobulinas são conhecidas pela abreviatura IgG, seguida de uma letra, que serve para classificar o anticorpo. As mais conhecidas são: 

- Imunoglobulina G (ou IgG): é um dos principais anticorpos de defesa contra os agressores. É a única imunoglobuilina que atravessa a barreira da placenta, conferindo um grande grau de imunidade ao recém-nascido.Pode ser dosada no sangue, incluindo-se suas sub-classes. Tem função de memória duradoura do agressor. 

- Imunoglobulina A (ou IgA) : encontrada nas secreções, pode ser dosada no sangue e saliva (na forma de IgA secretória). Está presente no colostro (leite materno). Defende especialmente o sistema respiratório e digestivo contra microorganismos e agressões externas. 

- Imunoglobulina M (ou IgM) : é um “jogador” temporário, encarregado de correr para “driblar” um agressor novo que ataque o organismo. Depois, passa “a bola” para a IgG que se encarregará da defesa duradoura. 



- Imunoglobulina E (ou IgE): existe em qualquer pessoa, em pequenas quantidades, sendo responsável pela defesa contra vermes, parasitas e alguns vírus. Entretanto, nos alérgicos, pode ser dosado no sangue em grande quantidade, expressando sensibilidade e predispondo à doença. É possível também dosar a IgE específica para vários alérgenos, sendo os mais comuns, inalantes (ácaros, pó, epitélios animais, etc) e alimentos. Reações alérgicas variadas envolvem diretamente a participação da IgE.

5 Dê sua opinião:

Miriam Lemos disse...

Muito interessante!!! Fico feliz em aprender mais sobre este universo. Desde que minha filha foi diagnóstica rinite (asma), procuro conhecer mais e afasto ela dos fatores reagentes. Ela está 3 anos a médica disse que quando fizer 4 fará o exame o qual identificar exatamente a que ela é mais alergica.
Obrigada a todos que colaboram com este blog, super bacana.
Miriam, Brasília.

Anônimo disse...

Olá, parabéns pelo blog. Não sei se o espaço é adequado para perguntas, mas vamos lá: uma vez tomei plasil endovenoso e tive uma reação de medo e insegurança muito forte q durou alguns dias, o mesmo ocorre, de forma menos evidente, quando tenho que tomar corticoide (Asma). sou alérgica a esses medicamentos? Ou simplesmente sujeita a esses efeitos colaterais? Ou é a mesma coisa? Obrigada.

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog. Tenho uma dúvida: se eu tenho uma reação adversa rara a um medicamento. Sou alérgica a ele? Quando me perguntam. "Vc é alérgica a algum medicamento?" la vou eu explicar que sofro muito com efeito do plasil, etc etc....

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Muito obrigado, Miriam. As suas palavras são um grande incentivo ao nosso trabalho voluntário no Blog da Alergia. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Medicamentos podem causar reações e nem sempre é uma alergia. A reação adversa relatada com uso de plasil não configura uma alergia. Obrigado por visitar o Blog da Alergia.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...