01 agosto 2011

Asma - Bronquite Alérgica - Bronquite Asmática

Asma - doença crônica dos pulmões que tem como principal característica a presença de uma inflamação nas vias respiratórias que provoca um aumento da sensibilidade à vários estímulos (hiperreatividade ou instabilidade dos brônquios). Estes brônquios instáveis, ao serem provocados (por exemplo – pela poeira) fazem surgir os sintomas da asma. Muitas vezes é chamada de bronquite alérgica ou de bronquite asmática.

Os sintomas da asma variam em cada pessoa, mas os principais são:
- Sensação de “peito preso”,
- Falta de ar, cansaço fácil
- Chiados
- Tosse (com ou sem catarro)

Como a asma se manifesta:
• A asma pode ser uma doença esporádica, com sintomas leves – por exemplo uma tosse, que “vai e vem”. É a asma leve ou esporádica
•Em outros casos, os sintomas já surgem com maior frequência - mais de duas vezes por semana e menos de uma vez ao dia. É a chamada asma leve persistente
•Se os sintomas passam a ser mais frequentes, com crises mais de duas vezes por semana e podendo durar dias, já caracteriza uma asma moderada persistente.
•Os casos mais graves, acompanham-se de crises diárias, com falta de ar evidente, e prejuízo da qualidade de vida da pessoa: é a asma grave.  Os casos graves são fáceis de reconhecer. Atenção para os sintomas leves e procure um alergista. Lembre-se:
“Prevenir é melhor do que remediar”

Causas de asma:
A asma pode ser causada por vários fatores, alérgicos ou irritantes, como por exemplo:
• Alergia: poeira, ácaros, mofo, pêlos de animais, baratas.
• Infecções: viroses - como as gripes e resfriados, ou ainda as sinusites.
• Irritantes: mudanças de tempo, fumaças, odores ativos
• Esforço físico exagerado
• Aspectos emocionais
• Outras causas: alguns tipos de medicamentos, alguns alimentos, refluxo gastro esofágico, causas hormonais, fatores relacionados ao trabalho ou à escola, asma provocada por outras doenças, entre outras.

O tratamento da asma engloba:
• Aprender a entender a doença e como reconhecer uma crise bem no seu início
• Saber os sinais de que uma crise está piorando e se é preciso ir à emergência
• Procurar conhecer causas e afastá-las se possível. Para isso é preciso mudar hábitos da pessoa e de sua família.
• Entender os remédios: para crises (remédios de alívio) e para controle (preventivos ou antinflamatórios): para que servem, efeitos colaterais, etc.
• Entender sua função pulmonar. Uma boa ajuda é medir o Pico de Fluxo ou “Peak Flow”
• Condicionamento respiratório e fisioterapia - nos casos indicados
• Educação do paciente e de sua família
Dicas:

Avalie com seu alergista se a sua asma está bem controlada.
• Mantenha sua casa limpa e arejada. Verifique se há foco de mofo ou infiltrações
• Tenha cuidado com seu quarto: colchões e travesseiros forrados, retire tapetes, almofadas, bichos de pelúcia. 
• Evite ter animais em casa, mas se já tiver: dê banho toda semana e afaste-o de quartos – não deixe que subam em móveis ou nas camas
• Não fume! Não deixe que fumem junto aos alérgicos
• Previna-se contra gripes. Fale com seu médico sobre as vacinas preventivas.
• Vá ao médico regularmente
• Faça uso dos remédios de controle mesmo quando você está bem.
• Atenção: se você está usando o remédio de alívio constantemente, você não está bem!
• Não tenha medo de bombinhas ou de cortisona. Mas só use com orientação médica.
Procure ter uma vida saudável: alimente-se bem, mantenha suas atividades.
A asma bem controlada permite uma vida normal!

0 Dê sua opinião:

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...