01 abril 2007

Voz: um patrimônio a preservar


A voz é um dos elementos básicos de comunicação do ser humano.
Segundo definição do dicionário do Aurélio, a palavra voz é um substantivo feminino para definir o som ou conjunto de sons emitidos pelo aparelho fonador. Significa também: fala, ordem em voz alta ou sugestão íntima. Este termo também pode ser usado para definir a forma com que um verbo indica a ação como praticada pelo sujeito (voz ativa) ou por ele recebida (voz passiva), ou simultaneamente praticada e recebida por ele (voz reflexa). Ainda, corresponde às diferentes partes da música no contraponto ou na harmonia: "uma fuga a três vozes".
Aparece em um sem número de expressões, como:

“Voz de taquara rachada”
“Porta voz”
“A voz do povo é a voz de Deus”
“A voz rouca das ruas”
“A voz do sangue grita alto”
“A voz do morro”
“Ter voz ativa”
“À meia voz”

Vinícius de Moraes utilizou com muita inspiração e propriedade a palavra voz em um de seus mais belos poemas:

Ausência
Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar seus olhos que são doces...
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres exausto...
No entanto a tua presença é qualquer coisa, como a luz e a vida...
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto...
E em minha voz, a tua voz...
Não te quero ter, pois em meu ser tudo estaria terminado...
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados...
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada...
Que ficou em minha carne como uma nódoa do passado...
Eu deixarei...Tu irás e encostarás tua face em outra face...
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada...
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu...porque eu fui o grande íntimo da noite...
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa...
Porque os meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
E eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém, porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas,
serão a tua voz presente, tua voz ausente, a tua voz serenizada.

A Voz e as doenças alérgicas

A voz humana é produzida pela vibração das cordas vocais, situadas na laringe, que fica logo acima da traquéia, no início das vias respiratórias inferiores, a partir do ar que sai dos pulmões. Entretanto, várias estruturas influenciarão na emissão da voz, como o nariz, seios paranasais, língua, lábios, dentes, entre outras.
Cada pessoa possui um timbre de voz, algumas vezes mais graves, em outras mais estridentes ou mais roucas, na dependência de fatores genéticos como também ambientais, biológicos, personalidade, etc. A voz pode se modificar se estamos tristes, alegres, tensos ou tranqüilos. Muitas doenças podem afetar a voz, desde gripes e resfriados até certos tipos de tumores. As doenças respiratórias alérgicas também podem alterar a voz.
A rinite alérgica é uma doença que se manifesta com sintomas nasais tais como: espirros, coriza, congestão nasal, prurido ou coceira nasal. Entretanto, a partir da inflamação nasal, pode acometer estruturas vizinhas, como os seios da face, olhos, ouvidos, faringe, laringe, traquéia e pulmões. Em alguns casos, a rinite pode se acompanhar de rouquidão e outras alterações da voz.
A rinite alérgica pode se complicar com sinusites e amigdalites repetidas, resultando também em alterações da emissão de voz. Pessoas que apresentam obstrução nasal de duração prolongada tendem a respirar com a boca aberta (ou semi-aberta), podendo desenvolver respiração bucal. Neste caso, o ar inspirado, ao invés de passar através do nariz onde deveria ser aquecido, umedecido e limpo, entrará pela boca, alterando as condições respiratórias, podendo agredir toda a região e resultar em sintomas variados, incluindo voz anasalada, rouquidão e outras alterações.

Os corticóides inalados quando usados por tempo prolongado no tratamento de controle da asma poderão provocar irritação da faringe, laringe, disfonia e rouquidão. Por isso, recomenda-se lavar sempre a boca após cada uso.

Uma situação não alérgica, mas que pode ocorrer concomitantemente à Rinite e à Asma é o Refluxo gastro-esofágico (RGE) e causar alterações na voz. O RGE é uma situação clínica que ocorre quando há o relaxamento do esfíncter inferior do esôfago resultando num retorno anômalo do suco gástrico ao esôfago e, em alguns casos, à garganta e às cordas vocais. Ao refluir este conteúdo, poderão surgir desconfortos variados e, entre outros sintomas, levar à perda da voz, rouquidão e tosse crônica.

Citam-se ainda outros fatores que podem prejudicar a voz: bebidas alcoólicas, drogas, tabagismo, poluição, ar condicionado, hábitos vocais inadequados, etc.
Cuidados para preservar sua voz:

- Se você é portador de uma alergia respiratória, mantenha o tratamento não apenas nas crises, mas sim de maneira contínua, para controlar e prevenir novos episódios.
- Se você (ou seu filho) respira pela boca, procure um médico.
- Limpe a casa diariamente com pano úmido. Não use produtos de limpeza com odor ativo, produtos derivados de amoníaco, aerossóis, etc.
- Procure não se expor ao ar frio e seco por tempo prolongado.
- O uso do ar refrigerado é necessário nos meses quentes do verão, mas pode ressecar a mucosa nasal e a laringe. Para compensar, beba muita água, se possível na temperatura ambiente.
- Se estiver em ambiente ruidoso, fale o mínimo possível.
- Não fume, beba com moderação e evite alimentos muito condimentados ou derivados de cafeína em excesso.
- Beba bastante água diariamente, mas evite durante as refeições.
Faça períodos de silêncio durante o dia.
O silêncio convida à reflexão, à meditação, proporcionando benefícios
não só para sua voz,
como para o seu equilíbrio interior.

7 Dê sua opinião:

Fga. Mª Angélica Fischer disse...

Muito bom o blog!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Obrigada, Angélica. Ficamos felizes em saber que o nosso trabalho pode ajudar as pessoas. Volte sempre ao nosso blog.

Anônimo disse...

Muito boa as dicas :D

Vanessa disse...

Adorei o blog!Me ajudou muito!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Vanessa: obrigado pelo estímulo ao nosso trabalho voluntário no Blog da Alergia.aproveitamos para convidar a assinar nosso blog, passando a receber nossos textos diretamente em seu e-mail

Anônimo disse...

Muito bom o texto, o blog! Parabéns! Desde pequena sou fanhosa....porque isso, o que acontece? Depois de adulta adquiri uma sinusite. alguma relação com isso? Obrigada por me responder. Sucesso!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

O seu relato não sugere que a alteração de voz que apresenta esteja relacionada com a sua alergia.Mas não há como afirmar sem examinar pessoalmente. Aconselho que procure um alergista para orientá-la. Gratos pela visita.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...