Pular para o conteúdo principal

Alergia a analgésicos e anti-inflamatórios



Analgésicos e anti-inflamatórios possuem um mecanismo de ação semelhante. Atuam sobre determinadas substâncias, impedindo sua formação e assim combatem a dor. Por isso, estes medicamentos, embora de fórmulas diferentes, por atuarem de forma semelhante, podem provocar a chamada "reação cruzada" 


Assim, pessoas alérgicas a dipirona, poderão ser também à aspirina (AAS - ácido acetil salicílico) e aos anti-inflamatórios não hormonais (por exemplo: diclofenaco, ibuprofeno, cetoprofeno, piroxicam, entre outros). O maior problema é que existem nas farmácias muitos medicamentos, com nomes diferentes e que contém analgésicos ou anti-inflamatórios em sua fórmula. 


Muitas pessoas perguntam como substituir e qual a medicação mais segura. Porém, não existe uma medicação padronizada que sirva para todos os alérgicos. 


Cada pessoa deve ser analisada criteriosamente pelo alergista para receber uma orientação personalizada, adequada e segura.


Pontos importantes

-Não repita o uso da medicação para "fazer um teste"- é perigoso e a reação pode agravar.
-Leia cuidadosamente a bula antes de tomar qualquer remédio. Na dúvida, fale antes com seu alergista.
-Procure um Pronto Socorro se tiver inchaço nos olhos, lábios ou se surgir coceira, erupções na pele, falta de ar, tosse, chiados no peito, garganta irritada e/ou sensação de asfixia.
-Se você tem reação a medicamentos, leve consigo um alerta na carteira ou uma plaqueta. Sempre que for a uma consulta, alertar o médico de sua alergia.



Comentários

  1. ... vem aí a aprovação do orçamento do estado e desconfio que isso está a provocar-me alergia atrás das orelhas...
    não há nada que ajude neste caso, presumo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Eduardo. fatores emocionais podem influir nos processos alérgicos. Mas é essencial examinar, uma vez que outras doenças da pele podem ocorrer nessa mesma região, como por exemplo, a dermatite seborreica. Recomendo que avalie com seu médico em consulta feita de forma tradicional e pessoalmente. Gratos por sua visita.

      Excluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano.
Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico.
Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madeira de alta resist…

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert.
Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa.
É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça


Quadro clínico.