Pular para o conteúdo principal

Asma



Quais são os principais sintomas? 
 Os principais sintomas da asma são a falta de ar, chiado no peito, aperto no peito, tosse seca ou repetida. Muitas vezes, pode ser confundida com gripes mal curadas ou bronquites simples. 

O que causa a asma? 
 A doença não tem uma causa única. Mas pode ter origem alérgica (ácaro, perfume, mofo, poluição pode agravar os sintomas) e familiar (se algum parente for diagnosticado com asma, as chances de alguém da família ter a doença é maior). "Há casos de asmáticos que nasceram com a doença, mas só descobrem na vida adulta", afirma o pneumologista Rafael Stelmach. 

Asma tem cura? 
 Assim como diabetes, a asma não tem cura. O mais comum é o paciente ter a doença e não saber. Por isso, é importante fazer o diagnóstico quanto antes para realizar o tratamento adequado. Três pessoas morrem por asma no Brasil todos os dias. 

 Quais são os tratamentos? 
 A asma é tratada de acordo com sua gravidade (leve, moderada e grave). Os casos mais graves são pessoas que sentem os sintomas da doença de forma persistente, ao menos uma vez por semana. Nesses casos, recomenda-se o uso de antiinflamatórios (classe dos corticóides), que geralmente também são administrados em forma de bombinha. Já os pacientes com crises esporádicas só necessitam controlar os sintomas com os broncodilatadores, que são contra-indicados apenas para pessoas com doença cardíaca. Sempre consulte seu médico, pois o tratamento necessita de acompanhamento. 

 O asmático pode ter vida normal? 
 Se o paciente fizer o tratamento adequado, ele pode ter uma qualidade de vida praticamente normal, chegando inclusive a ser um atleta olímpico, como os nadadores Gustavo Borges e Fernando Scherer. 
  
Grávidas podem tomar remédios? 
 A asma não poupa nenhuma das idades e nem os ciclos da vida. Em 70% dos casos, as grávidas que já eram asmáticas, continuam com os sintomas da doença durante a gestação. "Caso a asma não esteja bem controlada, os bebês podem nascer com baixo peso ou prematuras", afirma o pediatra Paulo Carmargos. As grávidas podem continuar usando os medicamentos, que praticamente não apresentam riscos para o feto. 

Qual a relação da asma e rinite? 
 Geralmente, a rinite (inflamação na mucosa do nariz) e a asma estão associadas. Cerca de 80% dos asmáticos tem rinite (causa, espirros, coceira no nariz, obstrução nasal e secreção). As duas doenças são inflamatórias e tem causas parecidas. "Quem não tratar a rinite pode agravar a asma", afirma o alergista Fábio Morato Castro, do Hospital das Clínicas. 

 Asma piora no inverno? 
Tempo seco, aumento da umidade, poluição podem irritar os brônquios de portadores de asma. No Brasil, mesmo no Norte e Nordeste, o período de outono e inverno, de abril a setembro, mostra um aumento das internações e mortes por asma. "É recomendável fazer uma visita ao médico para ajustar o tratamento para esta época do ano", afirma a pediatra Zuleid Dantas Mattar.


 Fonte: GINA no Brasil

Comentários

  1. Boa tarde! Depois de meses com uma tosse seca persistente e sem solução, fui diagnosticada com asma. Estou tomando clenil hfa duas vezes por dia. Estou me sentindo muito bem. A tosse parou por completo! Vou voltar na médica em 1 mês, mas estou ansiosa para esclarecer uma dúvida: futuramente a dose poderá ser ajustada para 1x ao dia ou a dose minima do clenil hfa será sempre de 2x ao dia? Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Regina: Bom dia. A dose do Clenil HFA deve ser mantida duas vezes ao dia e só deve ser diminuída quando houver indicação pelo seu médico. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano.
Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico.
Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madeira de alta resist…

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert.
Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa.
É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça


Quadro clínico.