Pular para o conteúdo principal

O tratamento da asma não pode tirar férias


Asma:  pontos importantes

- A asma tem uma tendência à melhora no verão, mas é importante manter o tratamento. Parar de tratar torna as vias respiratórias vulneráveis. 

- As crises são mais comuns no outono e inverno, mas também podem ocorrer no verão. 

- A asma se acompanha de uma inflamação dos brônquios que permanece mesmo quando não se sente nada. A medicação inalada protege as vias respiratórias e evita as crises



Dicas para ter férias saudáveis

- Não reduzir nem interromper a medicação de controle da asma, mesmo que esteja bem.
  Os medicamentos não devem tirar férias. Converse com seu médico para que ele lhe oriente um plano de ação durante as férias. 

- Mantenha o tratamento com as vacinas de alergia (imunoterapia com alérgenos)

- Leve seus remédios de uso contínuo. Se possível, leve uma quantidade maior, para o caso da sua viagem se prolongar. Mas também leve remédios de alívio para o caso de surgir alguma crise 

- Informe-se sobre o local onde há atendimento de pronto socorro ou se o seu plano de saúde atende em algum hospital específico na cidade escolhida para passar as férias.

- Se vai passar as férias em casas de veraneio, que em geral ficam fechadas por longo tempo, é importante abrir previamente, ventilar e limpar cuidadosamente. Leve suas roupas de cama e encape travesseiros e colchões. Evite usar roupas de cama que estejam guardadas em armários, mesmo que não tenham cheiro de mofo.

- Se vai viajar de carro, faça revisão do sistema de ar condicionado do veículo e avalie a condição do estofamento. 

- Em caso de acampamentos, é recomendado lavar barracas e sacos de dormir antes de usá-los. 

- Ao fazer reservas em hoteis, solicitar quartos ensolarados, sem carpetes, tapetes ou próximo de umidade. No exterior, em especial Europa e Estados Unidos muitos hotéis oferecem alojamentos especiais para portadores de alergia respiratória, denominados " Pure Allergy Friendly Rooms".

- Em relação às piscinas, preferir ambientes abertos. Algumas pessoas podem ter dificuldade em piscinas cloradas, atuando como agravante de crises.


Asma: 
Vale lembrar que seu tratamento engloba vários passos:
- Uso de medicamentos aliviadores para resgate de crises
- Uso de medicamentos controladores que atuam no processo inflamatório dos brônquios, controlando a doença e evitando crises. 
Controle de ácaros no domicílio
- Controle de fatores agravantes da doença
- Tratamento da alergia nasal
- Educação do paciente e de seus familiares

Adaptado de: SLAAI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano. Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico. Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madei

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert. Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa. É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça Quadro c

Dermografismo

A bolsa pesada marca o seu braço? A roupa apertada, a alça do soutien, o elástico da roupa faz você coçar e empolar? Atenção: pode ser dermografismo! Dermografismo é uma doença da pele que afeta cerca de 5% da população e que se caracteriza pelo aparecimento de coceira intensa em locais de pressão. Após o ato de coçar surgem “lanhos” vermelhos nas pele. É uma forma de urticária, sendo também chamado de urticária factícia ou urticária falsa.A urticária clássica se caracteriza pelo surgimento de placas avermelhadas que se acompanham de coceira na pele, podendo ter causas variadas, como medicamentos, alimentos, certas doenças, entre outras causas – veja post sobre o tema neste mesmo Blog. No caso do dermografismo, após pressão sobre um determinado local no corpo, a coceira surge em primeiro lugar e só depois de se coçar é que surgem as placas. Por isso, é comum que se inicie em locais onde a roupa aperta, elásticos, alça do soutien. O dermografismo faz parte de um grupo de urticárias deno