04 julho 2015

Alergia a roupas

Roupas podem ser confeccionadas com diferentes tipos de tecidos, como: algodão, linho, lã, nylon, poliéster, entre outros. Nem toda reação provocada por roupas é alergia. Quando ocorre, a alergia ocorre por determinados componentes de tecidos. Na maioria das vezes o processo não é alérgico, ocorrendo em resposta a processos irritativos ou de intolerância. 

Este tema foi recentemente publicado pela Academia Espanhola de Dermatologia e chamou a atenção para 2 pontos básicos: 

1) A intolerância à roupa ocorre em pessoas com pele suscetível. Por exemplo, portadores de dermatite atópica tendem a ter pele seca, sensível e hiper-reativa. Outro exemplo é das pessoas portadoras de dermografismo ou de outras formas de urticária. Nestes casos o contato com etiquetas e determinados tipos de tecidos, em geral sintéticos, pode produzir desconforto, comichão e coceira. Dependendo de cada caso, poderão surgir irritações na pele ou agravar lesões pré-existentes. É importante enfatizar que não se trata de uma alergia, pois não há envolvimento do sistema imunológico, nem sob a forma de células nem através da participação de anticorpos específicos. 

2) Algumas pessoas poderão desenvolver dermatite de contato a componentes de tecidos. As substâncias usadas na indústria têxtil, que são mais envolvidas na indução de alergia de contato incluem o formaldeído e alguns componentes usados como corantes, em especial os derivados de parafenilenodiamina. Roupas engomadas e novas podem ser tratadas com formaldeído ou produtos similares. Já o parafenilenodiamina é um corante usado em roupas de cor escura ou em couro sintético. 

A dermatite de contato têxtil é uma alergia rara, mas nos últimos anos, médicos especialistas chamam a atenção para o uso de um conservante chamado dimetil fumarato, usado em produtos provenientes da China, como roupas, sapatos e em inúmeros outros materiais. Atualmente o uso do dimetilfumarato está proibido na União Europeia. 

O que diferencia a alergia da intolerância ou irritação? 

A dermatite de contato irritativa ou intolerância resulta de uma ação direta na pele e não envolve mecanismo imunológico, ou seja, resulta de uma ação mecânica do produto sobre a pele causando a irritação e o desconforto. 

A dermatite de contato alérgica depende de uma sensibilização, ou seja, a pessoa entra em contato com o produto, desenvolve uma reação imunológica (alergica) específica, que vai gerar as lesões. Depois que se instala, a reação surgirá sempre que a pessoa voltar a ter contato com a substância. 

Como reconhecer se é alergia ou intolerância? 

O diagnóstico se baseia na análise clínica feita por médico especialista, que analisará os dados clínicos de cada paciente e seu tipo de pele. As reações irritativas originadas da intolerância se relacionam com características da pele, em geral seca. Nos casos de alergia, não se verifica este padrão. 

Para esclarecer o diagnóstico, está indicada a realização do teste de contato. As baterias usadas no teste de contato são compostas por uma série de substâncias em concentração e preparação apropriada para teste, ou seja, de forma que possam apontar a positividade sem causar dano à pele do paciente. O material é colocado em contato com a pele usando fita adesiva hipoalergênica contendo discos aderidos. Após limpeza da pele, o material é aplicado nas costas do paciente, permanecendo por 48 horas. Neste intervalo, não é permitido molhar o local nem realizar exercício físico vigoroso. Após 48 horas o material é removido e realiza-se a primeira leitura, observando se há reação no local de aplicação de cada substância. A leitura é repetida 72 horas ou 96 horas após aplicação do teste. 

Adaptado de: Infosalus

18 Dê sua opinião:

Anônimo disse...

gOSTEI

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Obrigado. Volte sempre. Aproveito a oportunidade para convidar você a assinar nosso blog e receber gratuitamente nossos textos diretamente em seu e-mail.

Iara disse...

Por favor
Trabalho com tecido de poliéster, o Oxford.Sinto muita coceira no nariz, minha garganta fica arranhando e dor de cabeça? Somente com esse tecido, em qq cor. Vc poderia me explicar pq?obrigada

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Sinto muito, Iara mas não posso ajudar. Não é possível afirmar a causa dos seus sintomas baseado apenas nos poucos dados enviados em seu relato e sem examinar você pessoalmente. Avaliar pela internet pode resultar em erros de diagnóstico e tratamento. Aconselho que procure atendimento médico tradicional na forma de uma consulta. Gratos por sua visita ao Blog da Alergia.

APARÍCIO APARAGUASSÚ disse...

" Últimamente tenham sofrido bastante com coceiras nas partes da cintura para baixo ( até o joelho ) principalmente quando estou com calças compridas de poliester, mas também quando uso samba calção de algodão de COR PRETA parece aumenta as coceiras , tenho obervado isso com a cor preta ainda que seja de algodão. SERÁ UMA A LERGIA TAMBÉM A COR PRETA, ISSO É POSSÍVEL?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

É pouco provável, Aparício. Mas, afirmar algo sobre um paciente que não tivemos a oportunidade de examinar é bem complicado. O que podemos lhe orientar é que você procure atendimento médico com especialista em Alergia, explique seus sintomas, e converse a respeito de suas dúvidas. Obrigado pela visita ao Blog da Alergia.

Anônimo disse...

Me deitei na cama e comecei a me coçar muito e fiquei com a pele irritada(no braço),hoje após o banho me enrolei na toalha e fiquei com a mesma coceira só que dessa vez na cintura ja são 4 dias seguidos de muita coceira será que é alergia?

Marlene Marques disse...

Não posso usar lingeris de cor preta.Fico com coceira durante três dias. Levanta vergões no local.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Uma coceira pode ter causas variadas e nem sempre é causada por alergia. Para afirmar a causa da coceira é preciso examinar você pessoalmente. Avaliar pela internet pode resultar em erros de diagnóstico e tratamento. Aconselho que procure atendimento médico tradicional na forma de uma consulta. Gratos por sua visita ao Blog da Alergia.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Marlene: o seu relato sugere que possa ser uma reação ao corante usado em tecidos escuros. Mas, não é possível fazer diagnóstico pela internet. Recomendo uma consulta com alergista para que este possa avaliar o seu caso, conduzir a investigação diagnóstica e indicar o tratamento adequado para você. Agradecemos sua visita ao Blog da Alergia.

marcelo castilho disse...

Olá,não tenho alergia a nenhum tipo de tecido, porém quando uso qualquer peça sem passar a ferro me da umas coceiras e vergões principalmente com roupa íntima,gostaria de saber porque isso acontece .

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Marcelo: não posso afirmar sem examinar, mas pode ser um caso de alergia física. Aconselho que procure um(a) alergista na forma de uma consulta tradicional feita pessoalmente para que seja examinado e possa ser orientado de forma correta e segura. Gratos por sua visita ao Blog da Alergia.

Leed Fort disse...

Tem mais de seis anos que percebi que, muito provavelmente, possuo alergia a pigmentação da cor preta. Achei inicialmente que era o tecido, mas ja usei outros tipo de tecido na cor preta que me deram alergia e outros que não. O pior é que agora, mais uma cor está me dando alergia, o azul marinho. Onde encosta no meu corpo, pipoca alergia (comichão, coceira, a pele arde, esquenta, um inferno que se inicia no segundo dia que usei a peça (e olha só, se eu SÓ experimentar ja me dá alergia). E dura uns quatro dias esse calvário. Não tô pedindo diagnóstico , ate porque vou procurar um dermatologista, mas só de ter lido essa postagem me sinto mais aliviada. Nunca tinha sequer ouvido falar disso. Todo mundo que comento sobre acha estranho. Minha vida com roupa escura é uma roleta russa. Nunca sei se vai dar alergia ou não (geralmente sim, mas de vez em quando não e eu sempre espero por esse de vez em quando porque amo usar roupas escuras). Escrevo meu relato me ardendo e coçando toda por ter usado meu novo uniforme da empresa que usei apenas dois dias e já está me dando dor de cabeça.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Leed: Boa noite. É interessante procurar um(a) especialista em Alergia para que seja avaliada. O teste de contato poderá ser util para definir o tipo de alergia e fazer o diagnóstico. Agradecemos sua visita ao Blog da Alergia.

Anônimo disse...

Boa tarde,sou alergica a cores de verde,amarelo e laranja.O podem me esclarecer sobre o assunto?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

O seu relato sugere que poderia ser uma dermatite de contato. Mas não é possível fazer diagnóstico ou esclarecer suas dúvidas pela internet. Aconselho que procure um(a) alergista em sua cidade para que possa ser orientada de forma adequada e segura. Gratos pela visita

Anônimo disse...

Muito bom

Anônimo disse...

Faz uns 18 anos que minha pele sempre fica irritada, coçando e logo aparecem varias bolhinhas que se inflamam e deixam marcas. Já fiz vários tratamentos e nada funciona, ultimamente tenho tratado com hidroquinona, tretinoína, perox. de benzoila, clindamina, fluocinalona, dexametasona, ureia, ac. salicílico e etc. Meu medico faz o possível, mas em vão pois aparecem novas bolhas e novas manchas de tempo em tempo mesmo durante o uso dos tópicos.
Porém, recentemente minha tia relatou que quando era criança fui internado várias vezes com alergia a cor vermelha, no começo foi uma coberta de lã na maternidade depois foi as roupas, os brinquedos, lápis de cor, comida, e tudo que era vermelho, bastava tocar e vê o resultado. Então o vermelho saiu de cena por recomendação médica, mas nunca soube disso até agora. E até faz sentido pela intermitência das reações, pois elas tiram férias principalmente no inverno quando costumo me vestir de cores sóbrias que gosto bastante e já percebi que algumas frutas vermelhas me deixam febril e pesado com dor de cabeça, sensação de sinusite e sonolento. Melancia me deixa de cama com febre, estômago inchado e náusea, e o mais estranho é evacuar os pedaços de melancia do mesmo jeito que eles foram ingeridos, vermelhinhos e intocados acompanhados de um líquido meio rosado com odor insuportável de cianeto, talvez seja o líquido da melancia com os ácidos do intestino. Enfim... me sinto um lixo e sem vida 😟
Essa alergia a cores existe mesmo?
Isso pode continuar depois de adulto? Tem algum teste ou exame que possa ser feito? Qual o nome? Tem cura???
Desejo tanto ficar curado, poder ficar sem camisa, ir a praia, vestir regata... e deixar de ser rejeitado e chamado de pintado, enferrujado, baleado, traço e ponto, 😭 espinhoso, coral 😔,feno (maldita placa de fenolite), PCI, bordado. É deprimente ninguém te respeitar ou pelo menos de chamar pelo nome.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...