09 fevereiro 2014

Urticária e Angioedema

Urticária é uma erupção na pele que se manifesta por placas salientes (pápulas), em geral de aspecto avermelhado, de tamanho variando desde milímetros até vários centímetros. Em alguns casos, as pápulas podem se unir formando grandes placas. As lesões têm duração fugaz e mudam de localização, aparecendo ora num local do corpo, ora em outro e costumam coçar muito (prurido). 

Uma característica importante é que as pápulas cedem à pressão (quando se “estica” a pele, a lesão deixa de ficar evidente). As pápulas de urticária podem ser localizadas, situando-se em determinada parte ou em todo o corpo. Uma característica importante da urticária é o fato de as pápulas serem de duração fugaz, pois evoluem em algumas horas, desaparecendo sem deixar vestígios, substituídas por outras lesões iguais em outras áreas do corpo. 



Angioedema é o nome dado quando a urticária atinge a pele em suas camadas mais profundas e se caracteriza por edema (inchação). Mas, em geral não coça, tem início súbito e pode ser precedido por sensação de ardor. Obedece aos mesmos mecanismos determinantes da urticária. Acomete frequentemente pálpebras, lábios, orelhas, regiões genitais, pés, mãos. Quando se localiza na garganta, é conhecido como edema na glote. Pode ocorrer ainda edema na língua. Vale ressaltar que existe um tipo de angioedema genético que aparece espontaneamente ou após trauma, infecções e estresse, chamado de “Angioedema hereditário” que se diferencia do quadro habitual. Leia mais clicando aqui.


Dependendo do tempo de evolução, a urticária espontânea pode ser classificada em: 
1) Urticária aguda (com duração menor que seis semanas) 
2) Urticária crônica (quando a doença persiste por mais de seis semanas). 

A urticária é uma enfermidade comum, sendo facilmente reconhecida pelos pacientes e por médicos. Entretanto, é altamente complexa no que diz respeito às manifestações clínicas e causas do problema. 

A descoberta da causa de uma urticária é um verdadeiro “trabalho de detetive”. Não existe um exame ou um teste definitivo para o diagnóstico. A análise do médico, os dados do exame físico e a avaliação complementar fornecerão “as pistas” para elucidar o(s) fator (es) envolvido(s). 

A entrevista para avaliação da história clínica do alérgico durante a consulta é a principal “arma” contra a urticária. Assemelha-se a um inquérito policial, desafiando a perícia, paciência e meticulosidade tanto do entrevistador quanto do entrevistado. Exames de sangue e testes cutâneos podem ser úteis para identificar a causa e os fatores desencadeantes, assim como para estabelecer o diagnóstico diferencial com outras doenças da pele. 

A tentativa da identificação do fator responsável de cada caso é um passo importantíssimo para a utilização de um tratamento eficaz. Mas, infelizmente, nem sempre isso é possível. Esses casos são classificados como urticária crônica idiopática, ou seja, onde a causa não é identificada. 

De maneira genérica, as urticárias dependem da atuação isolada ou combinada dos seguintes fatores: 
• Medicamentos; 
• Alimentos, aditivos alimentares; 
• Infecções microbianas; 
• Parasitoses intestinais; 
• Agentes físicos: exercícios, frio, pressão sobre a pele e outros; 
• Emotividade alterada (psicogênica); 
• Doenças orgânicas; 
• Outras causas diversas menos frequentes. 

Tratamento da urticária 
Para tratar a urticária, é preciso: 
- Controlar ou eliminar a causa 
- Combater fatores infecciosos e doenças associadas 
- Uso de medicamentos: Os antialérgicos (anti-histamínicos) são a primeira escolha no tratamento da urticária. Outros medicamentos poderão ser usados na dependência do tipo, fatores envolvidos, gravidade, etc. 

 Leia mais sobre o tema, clicando aqui.

8 Dê sua opinião:

Priscilla disse...

Boa tarde! Tenho alergia a alguns AINE's, porém o paracetamol e Nimesulida não me dão nenhuma reação alérgica. Poderia, por gentileza, me esclarecer isso? obrigada e parabéns pelo blog!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Priscila: um dos motivos da reação aos analgésicos é a ação destes medicamentos em uma enzima chamada COX 1. Nimesulida e Paracetamol são inibidores fracos da COX1 e por isso tendem a ser bem tolerados. Já a Dipirona, Ácido acetil salicílico e demais antinflamatórios são inbidores fortes de COX 1 e podem causar a reação. Mas, qualquer um destes medicamentos pode provocar a reação alérgica. Gratos pela visita.

Rafael Maduro disse...

Olá, tenho tido reações na pele que se parecem muito com urticária, as vezes surgem do nada, parecendo milhões de picadas de musquitos praticamente no mesmo lugar, e as vezes na marca da costura da roupa e alças justas. As vezes tbm tenho diarréias praticamente na mesma hora que termino determinadas refeições, e tudo isso começou praticamente na mesma época, um pouco depois de eu voltar de viagem a Indonésia, fiz vários exames e o médico disse que está tudo perfeito que deve ser depressão? Não acho que estou com depressão, me sinto muito bem, mais talves seja alguma errada com o meu intestino, faz algum sentido?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Peço sua compreensão, mas o parecer que solicita não pode ser emitido através da internet, sem analisar seus dados clínicos e sem examinar pessoalmente. A nossa equipe médica está ao seu inteiro dispor na Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro.
Obrigado pela visita

Edilaine Cerqueira disse...

Bom dia, tenho 29 anos, e somente há 5 comecei com casos graves de angioedemas, já procurei vários profissionais e fiz e refiz diversos exames, e não consegui encontrar a causa das minhas crises, que afetam o corpo todo, principalmente o rosto, olhos, boca, tudo. são crises que há princípio duravam 24 horas e que agora, mesmo com o uso de corticóides, estão demorando cada vez mais a desaparecerem, em média 5 dias. tenho a suspeita de que pode ser anticoncepcional, mas os médicos que procurei, negam, porém o período em que isso tudo começou, foi o mesmo que troquei de anticoncepcional, do diminut para o selene, pode ter sido uma coincidência, mas toda vez que dou um tempo com o anticoncepcional, as crises somem. gostaria de saber se há algum exame específico para diagnosticar a verdadeira causa dos angioedemas.e se for mesmo o anticoncepcional, como faço para descobrir? desde já muito obrigada!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Edilaine: não há um exame que seja definitivo para apontar a causa de um angioedema. A análise do médico é a principal arma para definir a suspeita diagnóstica. E, dependendo da suspeita, são indicados exames para confirmação diagnóstica. Caso more no Rio, a nossa equipe médica está ao seu dispor na Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro para avaliar seu caso e prestar esclarecimentos.

Anônimo disse...

Meu filho de 2 anos está tomando hixizine a 3 meses, gostaria de saber se ele pode tomar as vacinas de sarampo e poliomelite pois levei ele para vacinar e me informaram que ele nao poderia tomar a vacina porque o medicamento que ele está usando contem corticoide, isso procede

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Hixizine é um antihistamínico (antialérgico) e não contém corticóide. Quanto à aplicação da vacina, você deve pedir a orientação do(a) pediatra que trata dele. Gratos pela visita.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...