05 dezembro 2013

Tudo o que quase ninguém desconfia sobre as alergias do verão

As alergias são formas diferentes de reagir a estímulos do meio ambiente que não causam reações na maioria das pessoas. Esse problema, que atinge 35% da população brasileira, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), adquire picos de manifestação diferentes ao longo do ano. Enquanto as crises respiratórias são comuns no inverno devido à diminuição da umidade do ar, no verão aumentam principalmente os casos de alergia de pele. Por isso, alguns cuidados são essenciais para prevenir sintomas indesejados durante a temporada mais quente do ano, que começa no dia 22 deste mês. 

De acordo com o coordenador do curso de Pós-Graduação em Alergia e Imunologia da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP)/ Fase e médico da Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro, Dr. José Luiz de Magalhães Rios, a alta incidência de reações alérgicas no verão é provocada tanto pelo calor, quanto pela exposição solar. "A transpiração pode umedecer certos tecidos ou o couro de calçados, fazendo com que algumas substâncias desses materiais entrem em contato com a pele", explica o professor. 

Várias substâncias usadas na pele, como perfumes, cremes e cosméticos, também tornam-se reativas se expostas à luz solar, e causam as chamadas fotodermatites. O período entre dezembro e o Carnaval é o favorito para quem gosta de aproveitar uma temporada na praia. Segundo o Dr. Rios, os problemas já começam pela casa de veraneio, que costuma ficar fechada por meses. "Um alérgico, ao chegar naquele ambiente mal limpo, com mofo e poeira, facilmente pode ter uma crise de asma ou rinite". O especialista recomenda remover o perfume da pele para ir à praia. 

Quanto à praia, o médico destaca alguns fatores cujos riscos são pouco conhecidos. "O perfume usado na véspera à noite, exposto ao sol, pode dar alergia. Ou mesmo o protetor solar, dependendo de sua química. Ou ainda o sumo do limão, usado para temperar o peixe, entranhado na pele da mão ou braços, pode dar uma forte reação quando essa pele se expuser ao sol", alerta o alergista. 

"Outras alergias que aumentam no calor são ocasionadas por picadas de insetos, especialmente mosquitos, que se proliferam nessa época. Alguns alérgicos também apresentam formas muito intensas e quase insuportáveis de brotoeja", acrescenta. 

Existem ainda alguns tipos de alergias pouco comuns, como à água gelada, a frutas (muito específica para determinada frutas e suas 'parentes'), ao conservante da cerveja e de vários alimentos industrializados e até mesmo a exercícios físicos. 

Dicas para lidar com essas reações desagradáveis:

Além da prevenção, é recomendado procurar um especialista para realizar os testes de alergia necessários. Os exames são específicos e devem ser direcionados ao elemento suspeito. Em alguns casos, o problema é apontado no exame de sangue. 

- Tenha cuidado com o que usa na pele antes de ir à praia. 

- Dependendo da noite anterior, tome um banho ou lave bem as mãos e os braços. 

- Peça para alguém limpar bem a casa de praia antes de ir e leve travesseiros e roupas de cama de casa (os de lá podem estar mofados). 

- Se surgir alguma coceira ou vermelhidão na pele, tome logo banho para remover os resíduos do que pode estar em atrito com a pele. Passar hidratante pode melhorar a irritação. Se tiver muita coceira, tomar um antialérgico ajuda a melhorar. 

- Para evitar a conjuntivite que se espalha no verão, de origem viral, não toque em quem está infectado. 

Tratamento 
As formas de tratamento são variáveis. Em casos de alergia a alimento ou medicamento, o ideal é evitar sua ingestão. "O papel do alergista é orientar o paciente para evitar novas reações, que podem ser mais graves. Ter à mão e saber usar esses medicamentos para 'crises' pode evitar que elas se agravem".
Fonte: SRZD

2 Dê sua opinião:

Anônimo disse...

Prezados, estou com reacao a luz solar apos alguns minutos de exposicao. A pele comeca a cocar e nos locais ha vermelhidao. Logo depois a sensacao passa a ser de ardencia, semelhante a queimadura. Os sintomas passam apos sair da exposicao e a pele retorna ao normal. Ha alguma alergia conhecida com essas caracteristicas? Agradeco a orientacao, Bruno.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Bruno: a luz solar pode desencadear alguns tipos de reações na pele chamadas de foto-dermatoses, englobando uma série de diagnósticos. É essencial que procure um alergista para definir a causa, bem como detectar se tem mecanismo alérgico. O tratamento engloba não apenas o uso de remédios, mas também o controle do fator desencadeante e cuidados de proteção em sua pele. O uso de protetor solar e ainda de acessórios como roupas, bonés, luvas e guarda-sol produzidos com tecidos com fator de proteção solar que podem lhe ser úteis. Aconselho que procure atendimento médico Gratos por sua visita.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...