Pular para o conteúdo principal

Dermatite atópica

O que é dermatite atópica? 

A dermatite atópica é uma doença de pele muito relacionada à alergia, que se acompanha de alterações específicas. A textura da pele é diferente, mais ressecada, muito provavelmente por defeitos na barreira cutânea, há uma carência de gorduras específicas na pele que fazem com que haja maior perda de água. Com isso a pele se torna mais frágil, mais seca e suscetível a agentes irritantes como sabonetes abrasivos e tecidos sintéticos. Agentes infecciosos penetram na pele com maior facilidade. 

Pacientes com dermatite atópica também apresentam uma chance maior de ter alergia. Desta maneira será importante avaliar se alérgenos do ambiente ou mesmo alguns alimentos estão contribuindo para agravar o quadro. Seu médico poderá solicitar os exames específicos, mas lembre-se que os resultados deverão ser sempre avaliados em conjunto com as queixas apresentadas. 

A dermatite atópica é uma doença crônica de pele que não tem uma causa, mas muitas alterações genéticas e do ambiente facilitam seu aparecimento e perpetuação. Atuar  junto ao médico para uma adequada evolução é fundamental para obtenção dos melhores resultados. 


Orientações para diminuir a coceira e irritação da pele

- Cuidados com banho e vestuário: Embora o banho possa gerar um desconforto nos casos de dermatite moderada ou grave ele é fundamental para a hidratação da pele, remoção de toxinas e restos de descamação. Entretanto alguns cuidados devem ser tomados: O banho deve ser rápido (durar no máximo 10 minutos) Se possível pode ser de banheira, pois o jato do chuveiro pode agredir a pele e tornar o processo desconfortável Use pouco sabonete, pois mesmo sabonetes com pouca alergenicidade podem agredir a pele Nunca use bucha! 

- Após o banho, seque-se sem esfregar a toalha e aplique rapidamente o emoliente (o nome mais correto do hidratante). Alguns pesquisadores afirmam que este processo deve ser realizado em até 3 minutos após o banho, com a pele aindaumedecida. Estes produtos têm, na verdade, uma fina camada de gordura que impede a perda de água da pele. 

- Vista roupas leves, lavadas sem amaciantes e sem sabões que deixem resíduos Evite roupas que facilitem a sudorese Evite roupas novas muito coloridas, lave-as antes de usar 
Estes cuidados são básicos e auxiliam no controle da doença!

Comentários

  1. Oi, sempre sinto coceira ao sair do banho, e durante o banho dou muitos, muitos mesmo, espirros. Eu achava que era decorrente da rinite alérgica, mas será que posso ter essa dermatite atópica?
    Eu costumo demorar bastante nos banhos, de 20 a 40 min, tenho o cabelo grande, por isso a demora.

    ResponderExcluir
  2. Sábata: Os espirros descritos em seu relato podem estar associados a sua rinite alérgica.
    Banhos demorados e quentes podem causar coceira. Convido que leia este texto que publicamos.
    http://blogdalergia.blogspot.com.br/2009/09/tomar-banho-quente-pode-causar-coceira.html

    ResponderExcluir
  3. REALMENTE ESSA DOENÇA É TERRIVEL,DESDE CRIANÇA SEMPRE ME COÇAVA BASTANTE DEPOIS PASSOU E VOLTOU TUDO NA FASE ADULta CONSULTEI UMA ALERGOLOGISTA NA PRIMEIRA CONSULTA ELA DIAGNOSTICOU UMA URTICÁRIA MAS RETORNEI AO MEDICO DESSA VEZ BEM PIOR E ELA DIAGNOSTICOU DERMATITE ATOPICA, TODA VEZ QUE PARO DE TOMAR OS REMEDIOS VOLTA TUDO DE NOVO É TRISTE SABER QUE VOU PASSAR O RESTO DA VIDA DEPENDENDO DE REMEDIOS.

    ResponderExcluir
  4. A dermatite atópica tem várias formas de apresentação e seu tratamento é baseado em cuidados com a pele e medicamentoso.
    Converse com seu médico alergologista.
    Obrigado pela visita

    ResponderExcluir
  5. Anônimo7/8/14 21:47

    Olá! Fui a dermatologista e fui diagnosticada com dermatite atópica. Estou usando uma pomada a um mes, entretanto nao percebo resultados. Devo procurar também um alergista?

    ResponderExcluir
  6. O tratamento da dermatite atópica deverá também incluir cuidados com e pele, afastamento dos fatores desencadeantes e em alguns casos imunoterapia
    Converse com seu alergologista.

    ResponderExcluir
  7. Minha filha tem dermatite atópica e não pode usar chinelo de dedo tipo (havaianas), gostaria de saber se existe algum tipo de chinelo ou sandália que não provoque nenhum tipo de alergia.

    ResponderExcluir
  8. Os dados que envia não são suficientes para que possamos orientar com segurança uma substituição de chinelo para sua filha. Aconselho que entre em contato com o(a) alergista que trata dela pois examinou o tipo de lesão que apresentou, conhece seu histórico clínico, resultado dos testes realizados, etc. Gratos pela visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho dermatite atópica, depois do banho quando vou me secar com a toalha, logo, para evitar a coceira, coloco um roupão e não me seco com a toalha. Se eu me secar com a toalha, a coceira aparece principalmente nos braços e nas pernas, por último, na barriga. Eu devo colocar o creme hidratante logo após o banho??? Como?? se eu não posso me secar.

    ResponderExcluir
  10. Sim. O hidratante penetra e atua melhor quando aplicado sobre a pele ainda umedecida. Você pode aguardar alguns minutos e depois aplique o hidratante em todo o corpo. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  11. Tenho dermatite atópica e não sei mais o que fazer ela fica localizada no meu rosto e fica descamando

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde. A Dermatite atópica não é uma doença considerada grave, uma vez que não represente risco de vida. Porém, tem grande impacto sobre a qualidade de vida, em especial quando afeta o rosto. Pode ocorrer em qualquer idade tornando a pele seca e escamosa. Hidratantes especiais, hipoalergênicos e adequados para uso na face, são importantes para o controle da dermatite. Aconselho que peça ao seu alergista para orientar o tipo de hidratante mais indicado para seu tipo de pele. Gratos por sua participação no Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  13. Fiz o teste de alergia e descobri que sou alérgica a Bronopol e a Cloroacetamida. Vcs podem me indicar protetores solar, esmaltes, xampus, hidratantes...livres dessas substâncias? Todo rótulo que leio...não consta a substância e mesmo assim a não melhoro. Será que nos rótulos estão nomes sinônimos?

    ResponderExcluir
  14. Boa noite O nome químico do bromopol é 2-bromo-2-nitropropano-1,3-diol. No caso de cloroacetamida, procure também: 2-cloro-acetamida, alfa-cloroacetamida. Agradecemos sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Alérgicos podem tomar vacina da febre amarela?

O aumento do número de pessoas no Brasil com febre amarela trouxe à tona a necessidade do uso da vacina e com isso, surgiram algumas dúvidas.

A vacina é produzida pela FIOCRUZ com o vírus da febre amarela vivo e atenuado cultivado em ovos embrionados de galinha, obedecendo normas padronizadas da Organização Mundial da Saúde. É disponibilizada gratuitamente em postos de saúde e ocasionalmente em alguns aeroportos, terminais rodoviários e hospitais públicos.

Em 95% das pessoas o efeito protetor (imunidade) ocorre uma semana após a aplicação. Por isso, recomenda-se vacinar dez dias antes da viagem para que haja tempo para proteção efetiva contra a doença. Confere imunidade por 10 anos ou até mais, podendo ser utilizada a partir dos 9 meses de idade. É aplicada por via subcutânea no braço (região deltóidea).

Recomenda-se vacinar todos que residam ou viajem para zonas de risco como florestas e cerrados ou ainda, pessoas profissionalmente expostas ao vírus da febre amarela.
Efeitos colaterais A …

Alergia a analgésicos e anti-inflamatórios

Você sempre usou aquele analgésico e nunca teve nada. Um belo dia toma e... incha tudo! 

É sempre uma surpresa, pois a alergia não surge da primeira vez e sim quando já se tomou aquele remédio por várias vezes.

Quer entender o que se passou? É um pouquinho complicado, mas vamos lá:


Analgésicos servem para aliviar a dor, mas a maioria também tem ação antitérmica e anti-inflamatória. A aspirina (ácido acetil salicílico ou AAS) foi o primeiro analgésico, inventado em 1800. A partir dela, foram sintetizadas outras substâncias como dipirona e os chamados anti-inflamatórios (diclofenaco, ibuprofeno, etc.). Portanto, todos derivam de uma mesma linha de família, sendo “parentes” e com ações semelhantes.
Para que se entenda porque os analgésicos provocam reações alérgicas, é preciso entender como agem: para combater a dor e a febre, estes medicamentos atuam inibindo uma enzima chamada COX 1 e impedindo a ação das substâncias provocadoras de dor, chamadas prostaglandinas.
O problema é que, ao …