15 fevereiro 2012

Pesquisa aponta que triplicou o número de pessoas alérgicas

Estudos apontam que nos últimos 40 anos triplicou a proporção de pessoas alérgicas no mundo. E no Brasil não é diferente. 


Segundo o professor José Luiz Rios, coordenador da pós-graduação em Alergia e Imunologia da Faculdade de Medicina de Petrópolis e médico da Clínica de Alergia da Policlínica geral do Rio de Janeiro, a alergia acontece por conta de uma alteração do sistema imunológico, que responde de maneira exagerada a algum estímulo externo. A pré-disposição genética e fatores ambientais são a dupla causadora da doença. 


As alergias mais frequentes são as respiratórias. “Pela ordem, detectamos nos consultórios a rinite alérgica, a asma e as conjuntivites alérgicas. Depois, vêm as alergias de pele, das quais as mais frequentes são a urticária e a dermatite de contato”, afirma. 


São diversos os motivos para esse aumento de pessoas alérgicas, dentre eles destacam-se: - Mudança no estilo de vida das populações, já que hoje em dia a vida é mais confinada a ambientes fechados; 
- Mudança no tipo de moradia: mais móveis, estofados, tapetes, etc; 
- Tipo de alimentação (mais comida industrializada, cheia de conservantes) 
- Poluição atmosférica
Além disso, os cuidados higiênicos com as crianças também aumentaram muito, tanto em termos de limpeza, como em relação às doenças infecciosas, acrescenta. 


A exposição ao alérgeno, causador da doença, pode acontecer inúmeras vezes durante a vida antes que haja a sensibilização e, consequentemente, o desenvolvimento da alergia. “Você pode entrar em contato com algum material, como um alimento ou um cosmético, por exemplo, por anos e só depois desenvolver alguma alergia”. O metal e as substâncias químicas de bijuterias e esmaltes, por exemplo, têm características que facilitam a reação do sistema imunológico e muitos se tornam alérgicos. 


No caso de crises respiratórias, as gripes podem potencializar a doença. “No tempo frio, você tem algumas alterações nos sintomas”, diz. O alergista explica que o inverno brasileiro, com temperaturas em torno de 15ºC a 25ºC, é o tempo ideal para proliferação de ácaros, grandes causadores de alergias nas vias respiratórias. Segundo o médico, o tratamento é pensado no sentido de minimizar os sintomas e controlar as crises. Em todos os casos de alergia, a orientação é evitar o causador da doença, ou minimizar, quando é impossível evitar. “Se você consegue parar de comer ou usar, não tem mais aquela reação. Mas, na alergia respiratória, isso não é tão simples, porque os causadores estão no ar que se respira, como a poeira e os ácaros. Daí a necessidade de um tratamento mais prolongado”, explica. 

O tratamento compreende medidas preventivas para melhorar o ambiente e diminuir a presença dos causadores, e o uso de medicamentos para prevenir os sintomas e provocar alívio nos momentos de crises. “Outra opção é a imunoterapia, vacina para dessensibilização alérgica”, conclui o professor Rios.


Fonte: Jornal Cidade.net

0 Dê sua opinião:

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...