25 fevereiro 2012

Alergia a analgésicos e anti-inflamatórios

No carnaval cearense foi anunciada a realização de uma festa intitulada "Ressaca de Carnaval" que prometia ampla distribuição de um conhecido remédio anti ressaca como brinde. Este gesto merece repúdio, por atentar contra as determinações da Anvisa, além de promover a automedicação. Medicamento é coisa séria. Essa brincadeira de mau gosto fere a Lei número 5.991, de 17 de dezembro de 1973, artigo 6º, que determina que a dispensação de medicamentos é privativa de farmácia, drogaria, posto de medicamento e unidade volante e dispensário de medicamentos. 

Cerca de 12% da população tem alergia a algum tipo de medicamento, de acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (Asbai) e analgésicos e anti-inflamatórios, respondem por 40% dos casos. Pessoas alérgicas podem ter reações graves com a ingestão do dito remédio para ressaca que contém em sua formula o acido acetil salicílico. Isso sem falar de outros efeitos colaterais que podem ocorrer, em especial quando ingerido com bebida alcoólica.


Alergia aos analgésicos

Para que se entenda porque os analgésicos provocam reações alérgicas em algumas pessoas é importante conhecer-se o mecanismo de ação dessas substâncias e o porquê da reação adversa. O organismo produz substâncias chamadas prostaglandinas e leucotriênios, envolvidos nas reações inflamatórias. As prostaglandinas provocam dor, calor, vermelhidão e inchação no local do processo inflamatório. Os analgésicos atuam sobre a enzima geradora da prostaglandina, impedindo sua formação e, conseqüentemente, reduzindo a dor e a inflamação. Os analgésicos podem provocar urticária e edema (vermelhidão, placas e inchação) em algumas pessoas, por desequilíbrio entre prostaglandinas e leucotrienos. Vê-se, assim, que embora o resultado final seja um quadro do tipo alérgico, o mecanismo provocador é farmacológico, o que anula a possibilidade de testes cutâneos diagnósticos, ficando a identificação do agente causador na dependência de uma avaliação clínica e da argúcia do alergista.  

Esses dados técnicos são necessários, pois explicam a razão por que quase todos os analgésicos e antiinflamatórios, embora de fórmulas diferentes, provocam os mesmos sintomas: eles agem no mesmo sítio no organismo, ou seja, todos atuam impedindo a geração de prostaglandinas. Sendo assim, uma pessoa sensível a um determinado analgésico não deve tomar outro, a não ser por orientação do alergista. 

Dicas finais 

 Uma pessoa sensível a um analgésico pode reagir a outros produtos com a mesma substância, independente da marca comercial. 

 Uma reação anafilática (choque) é contra-indicação absoluta para qualquer tentativa de repetir o mesmo medicamento. 

 O alergista pode indicar uma medicação alternativa em substituição ao remédio que provocou reação, mas esta indicação não é padronizada. Não há um remédio que seja seguro para todos os alérgicos. Cada pessoa é única e deve ser orientada de forma personalizada. 

 Só o alergista pode realizar testes especializados, pois os testes para medicamentos têm  potencial risco de gravidade. 

 A automedicação é prática desaconselhável e perigosa. 

 Toda medicação só deveria ser vendida sob receita médica, pois só o médico está capacitado a indicar o remédio certo para a doença de cada paciente. Com isto, a possibilidade de reações adversas diminui e, quando ocorrerem imprevisivelmente, poderão ser logo identificadas e combatidas.         
Imagem: adaptada do site "The asthma center"

20 Dê sua opinião:

aninha pontes disse...

Ou seja, o importante é a festa. A saúde do cidadão não tem importância nenhuma. O que conta é fazer política, como é só um detalhe.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Infelizmente, Aninha, é assim que a banda toca. Mas precisamos lutar para mudar esta mentalidade. Abraços e obrigado pela visita.

Anônimo disse...

Olá,á 8 anos atrás descobrir q tenho alergia a dipirona,procurei um alergista e ele me indicou a tomar anti alérgicos,tomei Fernegan,Polaramine entre outros anti alérgicos,mais quando tomei piorou fiquei com o corpo muito empolado,e só passou o efeito da alergia quando passou a reação dos medicamentos,Depois disso eu nunca mais tomeu remédio algum na minha vida,pelo amorde Deus me ajude o q eu devo fazer!!!Existe alguma exame q comprove q química sou alérgica?grata.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

O diagnóstico da alergia a analgésicos não depende de exames. Mas fique tranquila: existem, alternativas de medicações seguras, para cada pessoa. Contudo, para orientar é preciso conhecer seus dados clínicos de forma criteriosa. Caso more no Rio, a nossa equipe médica está ao seu dispor na Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro para avaliar seu caso e prestar maiores esclarecimentos.

Unknown disse...

olá! primeiramente obrigado por criar um blog tão útil. Adorei a iniciativa. Vamos a meu caso... bem, sofro de rinite, que já tem incomodado bastante, mas a principal alergia apareceu a uns 6 anos, quando tomei um coristina d e tive um grande inchaço nas pálpebras e nas bolsas em baixo dos olhos. antes eu já havia tomado o msm medicamento e não tinha alergia alguma. após isso aconteceu outras várias vezes com outros remédios( engov, e outros), percebi q o principal e o aas, mas já tive com antinflamatorios. o q menos da reações e o paracetamol. que tipo de teste devo fazer?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Não existe um teste para medicamentos. O alergista analisarásua história e seus dados clínicos para poder orientar as alternativas seguras de analgésicos.Caso more no Rio, a nossa equipe médica está ao seu dispor na Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro para avaliar seu caso e prestar maiores esclarecimentos.

claudia disse...

olá gostaria de saber se vocÊs fazem teste de medicamento por que eu estou proucurando uma clinica que faz minha filha estar descubrindo que tem alergia a vario remedio e guando ataca alergia fecha logo a garganta,alergia dela ataca todo no rosto indo logo pra garganta. obrigada e peço que me ajude a me orientanto o que eu devo fazer. meu nome é claudia

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Claudia: não existe um teste para detectar a alergia a medicamentos. O médico alergista faz o diagnóstico baseado na análise clínica de cada paciente. Estamos ao dispor na Policlínica RJ. Agradecemos sua visita.

Anônimo disse...

O caso da minha filha é quase o mesmo da Claudia, ela teve alergia a dipirona, ibuprofeno, a inflamene, a paracetamol, ao cetoprofeno e agora passou a ter alergia ao nimesulida. A reação são sempre com coceiras no corpo, inchaço em cima do olho, mas hoje foi com a dipirona gotas que coçou também a garganta. Estou preocupada por conta da febre, pois ela está tendo infecções de garganta e ouvido a cada 2 meses. O que fazer no momento da febre? Complicado!
(moro no interior de SP, 100 KM da capital)

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

É possível indicar uma medicação alternativa e segura para sua filha. Mas, para isso é essencial avaliar seu caso pessoalmente. Aconselho que a leve a um alergista. Você pode localizar um especialista em sua cidade no site da ASBAI (www.sbai.org.br) no setor "Localize um especialista". Gratos por sua visita.

Unknown disse...

Sou alérgica a todos analgésicos e anti inflamatórios .. Sem saber o que fazer, é torcer para não sentir dor

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Mesmo as pessoas alérgicas a analgésicos e anti-inflamatórios podem tomar outros remédios, específicos para cada paciente. Por isso, só é possível orientar após uma avaliação criteriosa e pessoalmente do seu caso. Estamos ao seu dispor na Policlínica Geral RJ.

Leonardo Sousa disse...

É muito chato ter alergia,no meu caso tenho anti-inflamatorios,recorrendo sempre ao paracetamol,mas tbm dizem q faz muito mal,o q devo fazer?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Leonardo: nenhuma medicação é totalmente isento de efeitos colaterais. Não existe uma medicação que sirva para todas as pessoas alérgicas; Por isso, a orientação que deseja deve ser feita de forma personalizada e pessoalmente. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

Unknown disse...

Boa noite. Me Chamo Cassio Jr. e sou alergico a varios medicamentos. Tipo: Salicilatos, Dipirona, AAS, Anador, Sorrisal. Fui no medico e ele disse que era impossivel saber quais substancias pq são milhares, por isso tenho que ser tipo um cobaia. Anotar e ficar sempre atento. Ai eu pergunto ? Se acontecer de eu ficar desacordado e precisar de uma urgencia e ninguem saber q sou alergico ?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Cássio Boa noite É possível sim avaliar quais os medicamentos que causam sua alergia para que possa evitar novos episódios. Caso more no Rio, a nossa equipe médica está ao seu dispor na Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro para avaliar seu caso e prestar esclarecimentos. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

Unknown disse...

Eu só alérgico a antiinflamatorio ranquei um dente ciso então oq tomar

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Existem medicações alternativas em substituição ao anti-inflamatório que provocou reação, mas esta indicação não é padronizada. Não há um remédio que seja seguro para todos os alérgicos. Por isso, não é possível prescrever para você pela internet, sem uma avaliação criteriosa e pessoalmente. Recomendo que entre em contato com o(a) alergista que acompanha seu caso para que seja orientado de forma adequada e segura. Obrigado por visitar o Blog da Alergia.

Anônimo disse...

Boa Noite. Meu nome é Sheila e tenho uma filha de 12 anos que a 3 anos atrás apresentou alergia a dipirona quando passou mal e precisei leva-lá a emergência. Após essa descoberta passei a dar o Tylenol e ela apresentou alegria também, assim como ao ibuprofeno, AAs, paracetamol... Eu já não sei o que fazer pois não há um remédio que ela não tenha alergia.Me ajudem por favor!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Sheila. Bom dia. Existem alternativas seguras para sua filha. Mas não é possível fazer esta avaliação pela internet. Recomendo que a leve a um (a) alergista experiente para que seja orientada de forma adequada e segura. Caso more no Rio de Janeiro, estamos ao seu dispor. Obrigado por sua participação no Blog da Alergia.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...