Pular para o conteúdo principal

Criança e esmaltes de unhas

A moda de pintar as unhas chegou até as crianças. A tentação é grande: cores e marcas variadas, florzinhas, estrelinhas... Cada vez mais cedo as meninas querem usar esmaltes. Mas, será válido? É seguro? 
Reproduzirei aqui algumas perguntas que foram enviadas para o e-mail do blog da Alergia: 


“Por que não pode? Minha filha não tem alergia a esmalte. Ela nunca teve nada.”
O problema é que a alergia surge de repente, em qualquer momento da vida, mesmo depois de muito tempo usando o esmalte. Crianças têm a pele mais sensível e fina, podendo se sensibilizar aos esmaltes. O sistema imunológico é imaturo na infância. A chance de ter uma alergia de contato é maior quanto mais cedo elas são expostas às substâncias (alérgenos).
E, a alergia pode não surgir na infância, mas sim bem depois, com o passar do tempo. Leia o depoimento da Paula: Minha mãe adorava pintar minhas unhas quando eu era pequena! Desde que me entendo como gente tinha as unhas pintadas com esmaltes de todas as cores possíveis. Hoje tenho 30 e uma baita alergia de contato e não posso mais usar os esmaltes “normais” porque tive muita exposição aos componentes alergênicos e acabei desenvolvendo uma alergia super séria. Descobri com 17 anos a alergia e na época não havia esmaltes hipoalergênicos acessíveis no mercado. Por isso, hoje, sou super a favor da vaidade infantil, mas acho que também precisa ter preocupação com a saúde


E se antes eu fizer um teste? 
O teste de contato é válido para avaliar a alergia que já se instalou, mas não adianta para prever se uma criança poderá ou não ter alergia a esmaltes no futuro. 


Como posso saber se é uma alergia ao esmalte? Quais são os sintomas? 
Os sintomas mais comuns são: coceira e vermelhidão em olhos, pescoço e face. Eczema e descamação nas pálpebras, dedos coçando em volta da cutícula e pele irritada, configurando uma dermatite de contato.  

Quem tem alergia pode usar base? E removedores? 
O alergista identificará as substâncias às quais a criança é alérgica para poder orientar. As bases possuem substâncias similares aos esmaltes e podem agravar a alergia. 


Existe vacina ou tratamento para alergia ao esmalte? 
Não há um tratamento definitivo. È indicado parar de usar o esmalte. Algumas pessoas aceitam bem o uso dos esmaltes chamados hipoalergênicos. 

Os esmaltes antialérgicos não causam alergia? 
Esmaltes hipoalergênicos contem em sua fórmula produtos mais naturais e por isso são bem tolerados. Mas algumas pessoas mais sensíveis podem ter reação alérgica mesmo a estes produtos. 


E, como devo fazer? Minha filha faz questão de pintar as unhas.
Você pode conversar com ela, dependendo da idade. Diálogo e bom senso sempre ajudam. Ensine o cuidado com as unhas, mas reservando o uso de esmalte para ocasiões especiais. Evite que pinte todos os dias. Prefira que use fórmulas hipoalergênicas ou esmaltes de linhas especiais infantis, elaborados de acordo com as características da pele da criança. Verifique se o produto tem o registro da Anvisa. 


Estas são as recomendações do Manual de Cosméticos Infantis da Anvisa
Esmaltes permitidos para crianças são aqueles à base de água e que saem sem necessidade do uso de acetona ou removedor. Por não possuírem solvente, o cheiro dos esmaltes infantis é bem diferente do presente nos esmaltes para adultos. Os esmaltes também podem possuir substâncias de gosto amargo, para evitar a ingestão acidental por parte das crianças, e cada tonalidade deve ser testada a fim de se avaliar o seu potencial de irritação, sensibilização e toxicidade oral. O rótulo deve possuir orientações e advertências de uso.


Dicas para cuidar das unhas das crianças 

- Limpar as unhas. Habituar a criança a lavar as mãos durante o dia. 
- Cortar as unhas retas. 
- Usar hidratante.
- Verificar se a criança rói as unhas ou a pele em volta das unhas. 
- Crianças maiores e adolescentes que frequentam manicure devem levar seu material 
- Não retirar cutículas, pois fazem parte da defesa natural contra infecções. 

Comentários

  1. Olá, blogueiro (a).
    O Ministério da Saúde lançou a campanha “Médicos Perto de Você” com o objetivo de estimular médicos residentes a trabalharem no interior do país, pois assim vamos melhorar a qualidade de vida de todo o Brasil sem distinção de região. Você não acha?
    Faça parte você também dessa campanha. Precisamos incentivar os novos médicos nessa caminhada.
    Saiba mais sobre o assunto através do site: www.medicospertodevoce.com.br. Lá, você poderá conferir depoimentos de médicos que construíram carreira sólida no interior do país e muito mais.
    Caso tenha interesse em colocar algum material da campanha em seu blog, entre em contato com a nossa equipe pelo e-mail comunicacao@saude.gov.br

    Obrigado,
    Ministério da Saúde
    Faça contato conosco!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tenho 16 anos, e adoro pintar as unhas, é uma paixão minha desde que parei de roer as unhas, 1 ano atrás. Vendo isso, minha vizinha de 3 aninhos(uma fofa)começou a querer que eu pintasse a unha dela também. No início eu usava o esmalte hipoalergênico da Revlon, mas depois que descobri esses esmaltes infantis, a base de água, achei melhor testar. Comprei o Impala Kids e achei muito bom, ela adorou, e assim é melhor para a saúde dela. Aconselho vocês a testarem, paguei R$6,20 num vidrinho com 6mL(o esmalte normal da Impala tem 8mL), não é barato, mas vale a pena.

    ResponderExcluir
  3. Todo cuidado é pouco com crianças. O ideal mesmo é que uma criança de 3 anos não pinte as unhas regularmente pois é imprevisível se terá alergia, mas as chances aumentam ao contato repetido com o esmalte. Agradecemos sua visita ao nosso blog.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo5/4/13 22:29

    agora entendi,eu queria tanto usar estas coisas mas agora que eu entendo,só quando eu crescer eu vo usar essas coisas porque eu quero ficar bonita e sem alergias e eu tenho 09 anos

    ResponderExcluir
  5. Obrigado por enviar seu comentário ao nosso blog. Volte sempre!

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pelo incentivo ao nosso trabalho voluntário. Aproveito a oportunidade para convidar a assinar nosso blog e passar a receber nossos textos diretamente em seu e-mail

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Alergia a analgésicos e anti-inflamatórios

Você sempre usou aquele analgésico e nunca teve nada. Um belo dia toma e... incha tudo! 

É sempre uma surpresa, pois a alergia não surge da primeira vez e sim quando já se tomou aquele remédio por várias vezes.

Quer entender o que se passou? É um pouquinho complicado, mas vamos lá:


Analgésicos servem para aliviar a dor, mas a maioria também tem ação antitérmica e anti-inflamatória. A aspirina (ácido acetil salicílico ou AAS) foi o primeiro analgésico, inventado em 1800. A partir dela, foram sintetizadas outras substâncias como dipirona e os chamados anti-inflamatórios (diclofenaco, ibuprofeno, etc.). Portanto, todos derivam de uma mesma linha de família, sendo “parentes” e com ações semelhantes.
Para que se entenda porque os analgésicos provocam reações alérgicas, é preciso entender como agem: para combater a dor e a febre, estes medicamentos atuam inibindo uma enzima chamada COX 1 e impedindo a ação das substâncias provocadoras de dor, chamadas prostaglandinas.
O problema é que, ao …

Alérgicos podem tomar vacina da febre amarela?

O aumento do número de pessoas no Brasil com febre amarela trouxe à tona a necessidade do uso da vacina e com isso, surgiram algumas dúvidas.

A vacina é produzida pela FIOCRUZ com o vírus da febre amarela vivo e atenuado cultivado em ovos embrionados de galinha, obedecendo normas padronizadas da Organização Mundial da Saúde. É disponibilizada gratuitamente em postos de saúde e ocasionalmente em alguns aeroportos, terminais rodoviários e hospitais públicos.

Em 95% das pessoas o efeito protetor (imunidade) ocorre uma semana após a aplicação. Por isso, recomenda-se vacinar dez dias antes da viagem para que haja tempo para proteção efetiva contra a doença. Confere imunidade por 10 anos ou até mais, podendo ser utilizada a partir dos 9 meses de idade. É aplicada por via subcutânea no braço (região deltóidea).

Recomenda-se vacinar todos que residam ou viajem para zonas de risco como florestas e cerrados ou ainda, pessoas profissionalmente expostas ao vírus da febre amarela.
Efeitos colaterais A …