Pular para o conteúdo principal

Volta às aulas - a escola e crianças alérgicas


Crianças permanecem grande parte do seu dia na escola. Mas, professores e membros da equipe escolar nem sempre estão preparados para lidar com crises ou dificuldades decorrentes das alergias.

Asma, Rinite, Dermatite Atópica, Alergia ocular, Alergia alimentar, são exemplos de doenças alérgicas comuns na faixa etária escolar, podendo causar desconforto e ocasionar faltas às aulas.

No caso da asma, a preocupação é dirigida à possibilidade de crises. Além disso, é preciso orientar os professores de educação física a se familiarizarem com a doença, suas formas de manifestações e necessidades específicas no tocante à realização de exercícios físicos ou no uso de medicação de resgate para crises. Estudo recente mostra que uma grande parcela de professores admite não conhecer os passos para atender uma crise asmática.

Crianças alérgicas a alimentos estão sujeitas a sofrer reações sérias no caso de uma ingestão inadvertida, incluindo casos anafiláticos. Por exemplo, uma criança alérgica ao leite não poderá ingerir não apenas leite, mas também diversos derivados lácteos, incluindo manteiga, bolos, biscoitos, etc. Estas crianças precisam receber um tratamento de emergência incluindo aplicação de adrenalina, medida capaz de evitar a progressão para quadros graves e até morte.

Problemas

- Presença de fatores que podem desencadear sintomas respiratórios no ambiente escolar.
- Dificuldade no acesso imediato à medicação de urgência.
- Efeitos colaterais dos remédios usados no tratamento da alergia podem interferir no aprendizado e no rendimento escolar.
- Dificuldades no convívio com colegas e com a equipe docente.
- Dificuldade na participação nas aulas de educação física.
- Preconceitos e mitos por parte de colegas e até mesmo de professores em relação às alergias e seu tratamento. Por exemplo, uso de “bombinhas” no período escolar.

Medidas preventivas

- No ato da matrícula, informar à escola as possíveis alergias do aluno.
- Orientar professores e membros da equipe escolar no reconhecimento de sinais e sintomas de alergia.
- Manter medidas de controle ambiental na escola. Limpeza das dependências utilizando pano umedecido, evitando produtos de odor ativo.
- Portadores de asma e rinite devem sentar afastados do quadro negro, para evitar o pó do giz.
- Crianças nem sempre conseguem expressar verbalmente suas dificuldades. Alterações de comportamento e de humor devem ser comunicadas aos pais para que sejam buscadas possíveis causas. Por exemplo, o desconforto de uma noite mal dormida pode levar a sintomas de desatenção, cansaço e irritabilidade.Por outro lado, o uso de antialérgicos pode provocar sonolência. Alguns corticóides sistêmicos podem causar irritabilidade infantil.
- Asmáticos devem ser incentivados a participar das aulas de educação física e de atividades esportivas, desde que estejam com sua doença sob controle. A integração entre a escola e as informações médicas é essencial.
- Programação de possíveis obras nas dependências da escola para o período de férias escolares.
- Alergias alimentares devem ser comunicadas a fim de que haja uma programação do cardápio da merenda e das refeições durante o horário letivo.

É responsabilidade médica investir na educação e informação adequada sobre as doenças alérgicas, formas de prevenção e tratamento. Em resumo, é fundamental que se estabeleça uma ponte entre os serviços de Saúde e a escola, esclarecendo mitos, divulgando conceitos adequados e corretos aos professores e membros da equipe escolar, proporcionando às crianças alérgicas um ambiente saudável e seguro para seu crescimento físico, mental e social.

Comentários

  1. Saúde é coisa séria. Preste atenção no recado que a apresentadora Hebe Camargo traz para você: http://bit.ly/gwEDaB.

    Siga-nos no Twitter e fique por dentro da campanha Saúde Não Tem Preço: www.twitter.com/minsaude
    Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br ou www.formspring.me/minsaude
    Obrigado,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  2. BOA TARDE A TODOS.
    TENHO UM FILHO DE 5 ANOS QUE TEM RENITE ALERGICA E ASMA
    DESCOBRIR QUANDO TINHA 7 MESES.DESTE ENTÃO ELE VEM SOFRENDO COM CRISES QUE LEVAM AS VEZES INTERNAÇÃO.DESCOBRIR QUE SIMPLESMENTE NA ESCOLA ESTÃO FAZENDO A LIMPEZA DA SALA COM OS ALUNOS AINDA EM SALA,USANDO PRODUTO COM CHEIRO MUITO FORTE.MEU FILHO ENTROU EM CRISE E FOI PARAR NO PRONTO SOCORRO.PROFESSORES E PEDAGOGAS SEMPRE ESTIVERAM CIENTE DA ALERGIA DO MEU FILHO. MAS QUANTO FOI CONVERSAR FALARAM QUE NÃO PODERIAM FAZER NADA.
    COMO POSSO PROCEDER NESTA SITUAÇÃO,NÃO GOSTARIA DE TIRAR MEU FILHO AGORA NESSE MOMENTO,PARA NÃO PREJUDICA-LO EM SEU APRENDIZADO.

    ResponderExcluir
  3. Odores ativos podem provocar irritação das vias respiratórias e desencadear sintomas de rinite e asma em pessoas sensíveis. Contudo, quanto melhor estiver o controle da alergia, menos ocorrerá esta reação. Aconselho que converse com o alergista que trata do seu filho para que oriente uma conduta para protegê-lo. Obrigado pela visita e volte sempre ao nosso blog.

    ResponderExcluir
  4. Se seu filho possui alguma alergia alimentar ou você conhece alguma mamãe que pssa por este problema, indique para ela a página "crianças alérgicas a alimentos" aqui do facebook, criada para as mamães trocarem ideias, informações e experiências sobre este tema. Visita e curta lá!

    ResponderExcluir
  5. Anônimo4/4/12 10:59

    Gostaria de saber qual a diferença entre Omnaris e o Plurair, minha filha tem 05 anos no ano passado o medico receitou o Omnaris e esse ano o Plurair, ela estava com os mesmos sitomas, passa bem o dia todo q e quando chega a hora de dormir parece que o nariz fica tampado e cheio de secreção.
    comecei a usar o Plurair mais ainda não vi resultado

    ResponderExcluir
  6. Fernanda: Omnaris e Plurair são corticóides para uso no tratamento de controle da rinite alérgica. Ambos não têm efeito imediato aliviador, mas sim com o passar do tempo, controlando a inflamação e prevenindo crises. Mas,tratar não pode se resumir a usar remédios. É essenciual tratar a alergia que origina o problema. O alergista poderá indicar um tratamento mais completo e adequado. Gratos por sua visita.

    ResponderExcluir
  7. adriana;minha filha tem 3.6ms tem denoide,renite precopada ela tomou 40dias de desalex mas prelone recomend pela pediatra e usa nasonex.O DESALEX em demasia pode causar efeito colaterais pois e so entrar frent fria ela entra em crise tosse e espirra muito. Vou fazer cirurgia da denoide sera que vai melhora.Me de uma respost sobre desalex.

    ResponderExcluir
  8. Adriana: Desalex é um antialérgico (antihistamínico) de nova geração que atua no tratamento da rinite alérgica É uma medicação segura mesmo com uso prolongado. Convido que escreva para nosso e-mail: blogdalergia@gmail.com e enviaremos para você a cópia do nosso livro sobre a rinite. Gratos por sua visita.

    ResponderExcluir
  9. Meu filho, adulto, faz tratamento alérgico, aí na Policlínica. Já está usando Nasonex 2 x por dia, já fez 1 ano, em novembro e na última consulta, o médico manteve o medicamento. Estou muito preocupada com esse uso prolongado. Que prejuízos pode trazer pra saúde do meu filho esse uso prolongado? Vicia? Pode causar efeito rebote? Pode causar rosácea?

    ResponderExcluir
  10. Andrea: os corticoides usados sob a forma de sprays nasais são seguros porque são formulados em doses mínimas (microgramas) de forma que atuam diretamente na mucosa do nariz, com mínimos efeitos no resto do organismo. Não viciam, não causam rebote e são seguros mesmo no uso prolongado.Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  11. Amei o blogger como faço p assinar?? Minha bebê de 1a6 m tem muita renite alérgica e dessa vez foi a pior é n sei como ajudar tanto p ela respirar melhor.

    ResponderExcluir
  12. Erika Boa noite. Assinar o blog é simples. Basta seguir os passos:
    1) Procure no painel do Blog da Alergia - na coluna da direita, o setor "Novidades em seu e-mail".
    2) Escreva seu endereço eletrônico de e-mail e clique em ok.
    3) Abrirá uma tela com o título: "Requerimento de cadastro de e-mail" e logo abaixo uma solicitação que copie as letras indicadas (em destaque) no espaço apropriado.
    4) Depois, clique em "completar a solicitação de cadastro". Está pronto.
    5) Você então receberá na caixa de entrada do seu e-mail uma mensagem em nome de FeedBurner’s.
    6) Basta clicar no link anexado nesta mensagem e seu cadastro estará ativado.
    Publicamos um texto sobre este tema. Leia neste link:
    http://blogdalergia.blogspot.com.br/2015/04/voce-ja-assinou-o-blog-da-alergia.html
    Obrigado por sua visita.

    ResponderExcluir
  13. Bom dia...gostaria de saber o que faço minha filha de 15 anos sempre roncou muito,mas de um tempo pra cá tenho notado que tem piorado as vezes acordo com os roncos dela,é tão forte que chega engasgar,o que faço

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde Existem diversas causas para o rono. Para emitir um parecer, é essencial examinar sua filha e analisar seus dados clínicos de forma criteriosa. Recomendo uma consulta com alergista para que possa avaliá-la, conduzir a investigação diagnóstica e indicar o tratamento adequado. Agradecemos sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  15. Boa noite meu filho faz uso de noex espray nasal por causa da rinite ele pode tomar a vacina da febre amarela Ja que noex é um corticóide?

    ResponderExcluir
  16. Estes medicamentos (corticoides para uso nasal, como é o caso do Noex) não estão incluídos no rol das contraindicações para a vacina de febre amarela, segundo o Ministério da Saúde. A proibição é para corticoides sistêmicos em dose imunossupressora e tempo prolongado de uso. Agradecemos sua participação no Blog da Alergia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano. Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico. Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madei

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert. Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa. É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça Quadro c

Dermografismo

A bolsa pesada marca o seu braço? A roupa apertada, a alça do soutien, o elástico da roupa faz você coçar e empolar? Atenção: pode ser dermografismo! Dermografismo é uma doença da pele que afeta cerca de 5% da população e que se caracteriza pelo aparecimento de coceira intensa em locais de pressão. Após o ato de coçar surgem “lanhos” vermelhos nas pele. É uma forma de urticária, sendo também chamado de urticária factícia ou urticária falsa.A urticária clássica se caracteriza pelo surgimento de placas avermelhadas que se acompanham de coceira na pele, podendo ter causas variadas, como medicamentos, alimentos, certas doenças, entre outras causas – veja post sobre o tema neste mesmo Blog. No caso do dermografismo, após pressão sobre um determinado local no corpo, a coceira surge em primeiro lugar e só depois de se coçar é que surgem as placas. Por isso, é comum que se inicie em locais onde a roupa aperta, elásticos, alça do soutien. O dermografismo faz parte de um grupo de urticárias deno