Pular para o conteúdo principal

Minha companheira inseparável



Imagem: Dreams in digital

Quem na vida, ao chegar aos píncaros da juventude, não traz consigo guardada a lembrança de uma companheira inesquecível. Eu não poderia deixar de seguir a regra, pois tive uma, desde minha infância. Eu não consigo esquecê-la, por mais que faça, por mais que me ausente, ela sempre está presente. Uma coisa eu posso afirmar: é a única que trago verdadeiramente dentro do meu peito.


Quando ela está presente, meu coração se agita,fico aturdido e às vezes não consigo articular palavra. Por sua causa tenho perdido noites de sono e, muitas vezes não consigo trabalhar atordoado por sua presença. Mas, ela possui suas virtudes, pois por causa dela não bebo e não fumo, ficando livre destes vícios que infestam a sociedade.


Ela me segue em todos os meus passos, não me abandona. Pelo contrário, eu é que tenho tentado abandoná-la. Por mais que faça, não consigo tirá-la de dentro de mim. Ela quer morar comigo. Por mais que eu lute, sua força é grande. Ela sozinha conseguiu me afastar do teatro, rádio, televisão, circo e boites, o que muita gente boa não conseguiu. Minha mãe, minha namorada e minha família lutaram unidos para que eu abandonasse a ribalta e não conseguiram. Porém, eis que minha companheira surgiu em meu camarim para me cumprimentar. Meus olhos se esbugalharam, meu semblante se desfigurou, meu coração disparou. Eu fiquei inerte, quis falar e minha voz falhou. Fui levado ao nosocômio onde foi aplicada uma injeção, única solução para que ela, minha companheira inseparável se afastasse um pouco. Já sabem como ela se chama?


Exatamente, seu nome é Asma, Bronquite asmática, a única que há anos, vive dentro do meu peito.


                                      *******************************



O autor deste texto é Fábio Barreto, em suas palavras: “pai, esposo, avô, amigo, advogado, corretor de imóveis, poeta e escritor”. Fábio cresceu numa época onde o tratamento da asma era difícil, tinha poucos recursos. Hoje, freqüenta a associação de asmáticos, aprendeu a controlar sua “companheira inseparável”, mas fez questão de incluí-la no seu último livro: “Três momentos de arte” pela Editora Taba Cultural. (21)2254 0983.

Comentários

  1. Fui pego de surpresa. Primeiro porque li o texto com o tom de voz da mansa Fátima. De repente, o texto toma um caminho diferente. O que parecia um apreço se tornou um aperto. E depois, entendi que devia ter a voz de um homem, velho e ofegante.

    Excelente. Uma delícia.

    ResponderExcluir
  2. Meu caro André, a asma é mesmo assim: gosta de pegar as pessoas sorrateiramente...O segredo é combater com a melhor das armas: a educação! Obrigado pela visita!

    ResponderExcluir
  3. Não conseguiu vacinar seu filho? A vacina contra a paralisia infantil ainda está disponível em toda a rede pública do país. Vá ao posto de saúde mais próximo e imunize todas as crianças menores de cinco anos. A poliomielite é uma doença grave e não existe no Brasil desde 1989. Vamos ajudar a mantê-la longe das nossas casas!

    Mais informações: comunicacao@saude.gov.br ou www.formspring.me/minsaude

    ResponderExcluir
  4. Ainda é tempo de atender ao chamado do Ministério da Saúde. Leve as crianças que ainda não vacinaram ao posto de saúde mais próximo de casa. Vacinar é um gesto de amor!

    ResponderExcluir
  5. Bom dia! Meu namorado está com um problema nos olhos, não sei o motivo por quê isso ocorre, mas sei que toda vez que o tempo muda, os olhos dele incham muito e fica muito perceptível. O que deve ser isso, será que é alergia. Qualquer coisa, também sou do Rio de Janeiro. Espero sua reposta, atenciosamente.

    ResponderExcluir
  6. Larissa: Boa noite. Sinto muito, mas não é possível
    afirmar a causa do problema apresentado por seu namorado e nem afirmar se é uma alergia, pela internet, sem examiná-lo pessoalmente. Recomendo uma consulta com alergista para que este possa avaliar o seu caso, conduzir a investigação diagnóstica e indicar o tratamento adequado para você. Agradecemos sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano. Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico. Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madei

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert. Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa. É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça Quadro c

Dermografismo

A bolsa pesada marca o seu braço? A roupa apertada, a alça do soutien, o elástico da roupa faz você coçar e empolar? Atenção: pode ser dermografismo! Dermografismo é uma doença da pele que afeta cerca de 5% da população e que se caracteriza pelo aparecimento de coceira intensa em locais de pressão. Após o ato de coçar surgem “lanhos” vermelhos nas pele. É uma forma de urticária, sendo também chamado de urticária factícia ou urticária falsa.A urticária clássica se caracteriza pelo surgimento de placas avermelhadas que se acompanham de coceira na pele, podendo ter causas variadas, como medicamentos, alimentos, certas doenças, entre outras causas – veja post sobre o tema neste mesmo Blog. No caso do dermografismo, após pressão sobre um determinado local no corpo, a coceira surge em primeiro lugar e só depois de se coçar é que surgem as placas. Por isso, é comum que se inicie em locais onde a roupa aperta, elásticos, alça do soutien. O dermografismo faz parte de um grupo de urticárias deno