Pular para o conteúdo principal

Sinusite - respondendo à leitora

Por favor, fale sobre sinusite: sintomas, tratamentos, modo de evitá-la e porque alérgicos têm mais tendência a tê-las. Como um alérgico pode evitar tanto a sinusite como a rinite? Eu sou alérgica e apresentei sintomas da sinusite. Agora ela faz parte da minha vida! Ana P.L.


A palavra sinusite (sinus=seio, ite=inflamação) significa inflamação dos seios da face, também chamados de seios paranasais. É bem difícil falar de sinusite sem falar da rinite. A sinusite é a complicação mais comum da rinite alérgica. Por isso, o nome usado pelos especialistas é: Rinossinusite.


O que são seios da face?
Os seios da face (ou paranasais) são cavidades ocas e aeradas nos ossos da face e que servem para: 1) ressoar a voz 2) equilibrar o peso da cabeça 3) ajudar na circulação do ar e na eliminação de secreções 4) auxiliar o nariz em suas funções.
A mucosa que reveste os seios paranasais é bem parecida à mucosa do nariz. Por isso, é tão fácil que a inflamação nasal se propague até os seios da face.


Quais são os seios da face?
Os seios paranasais levam os nomes dos ossos onde se situam: seios maxilares, frontais, etmoidais e esfenoidais.


Como surge a sinusite?
A sinusite resulta da ação de um microorganismo (pode ser bactéria, vírus ou fungo) ou de alergia, que penetra nos seios da face, provoca inflamação e secreção, que fica retida, obstruindo os espaços de circulação do ar e originando os sintomas. Em geral um quadro nasal (resfriado, gripe ou alergia) precede a sinusite. Embora seja uma situação mais rara, a sinusite também pode resultar de outras doenças, problemas dentários, etc. Mulheres grávidas podem ter maior predisposição a gripes, rinites e sinusites.


Quais são os sintomas da sinusite?
Os sintomas variam em cada caso. Nas sinusites agudas (de início recente) é comum a dor de cabeça (cefaléia), congestão nasal, secreção de aspecto catarral ou até mesmo purulenta, mal estar e até febre. Algumas pessoas se queixam de mau odor ao respirar e de sensação de escorrimento de secreção por trás das narinas.
Nas sinusites crônicas (de longa data) e repetidas, a dor de cabeça, a febre e o catarro podem ou não estar presentes. Nestes casos, a tosse, seca e com piora noturna e ao acordar pela manhã, é o sintoma mais comum, em especial nas crianças.
Muitas crianças que têm tosse são tratadas apenas com xaropes, não melhoram, mas na realidade são portadoras de sinusite e necessitam de tratamento específico.


Como interpretar um RX?
A radiografia simples dos seios da face é uma maneira simples de confirmar o diagnóstico da sinusite. Mas, este exame deve ser interpretado com muito cuidado e sempre relacionado aos sintomas do paciente. Existem algumas imagens que podem confundir o médico levando a pensar que seja sinusite, em especial nos alérgicos e que não são passíveis de tratamento. Por exemplo, um espessamento dos seios maxilares pode ser discreto e resultar da alergia repetida e crônica. No entanto o mesmo espessamento, dependendo do aspecto pode ser significativo da doença. 
A tomografia computadorizada dos seios paranasais é capaz de mostrar mais detalhes e orientar a escolha terapêutica. 


Como tratar a sinusite?
Em casos mais leves, antialérgicos associados a descongestionantes são úteis para controle dos sintomas. Lavagens nasais com solução fisiológica podem auxiliar na melhora.
Embora exista a obstrução nasal, não se recomenda o uso de gotas nasais – se não houver outro jeito, usar no máximo 4 a 5 dias. Os casos mais intensos e comprovadamente infecciosos se beneficiarão com uso de antibióticos, por tempo longo – não menos de 15 dias. Passada a crise, é essencial tratar a rinite e a alergia através da imunoterapia (vacinas para alergia) O controla ambiental no domicílio contra os ácaros da poeira de casa também contribuirá sobremaneira para a melhora do paciente.
Se a pessoa não corrige o seu ambiente, convivendo com poeira, umidade, carpetes, tapetes, livros, cortinas e bichos de pelúcia estará mais propenso à rinossinusite. Fatores irritantes atuando sobre a mucosa nasisinusal inflamada podem agravar o problema, como por exemplo, ar refrigerado e ventilador sem conservação, fumaça de cigarro, etc.


Sinusites repetidas devem ser avaliadas sobre a necessidade de procedimento cirúrgico, em especial nos casos onde há outras condições associadas, como por exemplo, poliposes, desvios acentuados do septo nasal ou em caso de variantes anatômicas.


Como prevenir a sinusite?
A melhor maneira de prevenir a sinusite é tratar os fatores que podem predispor ao seu aparecimento. O alergista analisará seus dados clínicos e julgará a necessidade de tratamento da rinite alérgica, evitando assim que a rinossinusite se instale e/ou se torne crônica.

Comentários

  1. Gostei do artigo.
    Tenho rinossinusite. Há poucos meses mudei do RN para SP e meu nariz sentiu a diferença climática. Tenho "visitado" o otorrino com frequencia... rs Estou aprendendo novos hábitos para aliviar a frequencia das crises mas ultimamente o clima seco demais tem me maltratado bastante.
    Ótima semana a todos!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Fernanda. Aproveito a oportunidade para convidá-la a assinar nosso blog e assim receber nossos textos diretamente em seu e-mail.

    ResponderExcluir
  3. Gostei do artigo, sabe que já fiz tanto tratamento até vacina já tomei durante 6 meses e hoje com 51 anos sofro uma secreção que não sai e não consigo engolir doi ouvido face cabeça e uma tontura terrível, já nem sei mais o que fazer me ajude por favor!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o artigo, a sinusite é uma doença muito falada mas sobre a qual as pessoas pouco conhecem. Sugiro ainda a leitura de um artigo que escrevi sobre a diferença entre sinusite e gripe ou resfriado.

    ResponderExcluir
  5. Helena: a imunoterapia (vacina para alergia) é um tratamento demorado pois engloba duas fases: 1) Indução 2) Manutenção. Por isso, com 6 meses o tratamento ainda não atingiu seu nível de tratamento, que corresponde à manutenção. Assim, o efeito do tratamento ainda não é suficiente para controlar a doença. Aconselho que retorne ao seu alergista para nova avaliação clínica e reorientação do tratamento. Agradecemos sua visita.

    ResponderExcluir
  6. Leonardo: muito boa sua colocação de alertar para o atendimento em pronto socorro e do mito do diagnóstico baseado unicamente no "raios X". Convidamos a todos a visitarem o seu blog e aproveitarem a leitura do seu texto. Abraços. Obrigado pela sua participação.

    ResponderExcluir
  7. eae pessoal, to com minha sinusite atacada ,meu me sinto horrivel quando ela ata ,ficom com falta de ar um pouco de dor na cabeça e muito mal estar com ,ex a minha cabeça fica pesada minhas vista doi as vezes parece que vou passar mal e cair no chao sem ar .
    esses dias fiquei ate com a pressao alta durante uns 3 dias de tanto nervoso que passei e eu sou novo tenho só 22 anos ,tomei antibiotico por 14 dias nao resolvel (sinot clav)passei no otorrino e ele me passou uns anti alergico como predsim nasolex é normal isso que eu sinto dizem que é crônica minha sinusite me fala ai alguem que entende ! obrigado

    Andre OSASCO SP.

    ResponderExcluir
  8. Andre: é comum que sinusites resultem de uma rinite. Aconselho que procure um alergista para verificar se é o seu caso pois se for confirmado, o tratamento da rinite evita novos episódios de sinusite. Abraços. Volte sempre ao nosso blog

    ResponderExcluir
  9. Olá, acabo de retornar do otorrino com crises de cefaleia e sem secreção. não sei se é renite ou sinusite. foi receitado o predsim 20 mg. porém na bula não tem indicação para sinusites.
    estou com receio de iniciar o tratamento, pois acabo de tomar uma caixa de tamiram ( sem melhora ). Alguem pode me ajudar?

    ResponderExcluir
  10. Não tenho condições para afirmar a causa da escolha da medicação sem examiná-la. É provável que o médico tenha o objetivo de diminuir a inflamação do processo alérgico para aliviar seus sintomas. Aconselho que exponha ao otorrino suas dúvidas pois como ele a examinou poderá responder de forma mais completa. Caso queira receber uma cópia em PDF do nosso livro sobre a Rinite Alérgica, escreva para nosso e-mail: blogdalergia@gmail.com.

    ResponderExcluir
  11. Bom dia,adorei as informações aqui colocadas ne ajudou bastante e com certeza vou indicar vcs aos meus amigos...abços a todos.

    ResponderExcluir
  12. Agradeço suas palavras de incentivo e aproveito a oportunidade para convidar a assinar nosso blog e passar a receber nossos textos diretamente em seu e-mail.

    ResponderExcluir
  13. Bom dia, tenho 38 anos, sempre tive problemas respiratórios, mas quando mudei de São Paulo, para o interior, foi ai que eu piorei e muito, aqui é muito seco...tenho tbm desvio do septo, tenho dores de cabeça o dia inteiro e todos os dias, meu nariz sempre muito seco, o unico medicamento que me melhora é o predsim 20 mg, mas sei dos seus males, os médcos já me falarm de cirurgia, mas conheço pessoas que fizeram e não adiantaram, fui prara a praia e fiquei uma semana, e senti muitas melhoras, será que se eu mudar para praia vou me curar?? Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  14. Caroline: não há como afirmar qual seria a resposta do seu organismo ao se mudar para a praia. Não existe uma condição climática ideal para um alérgico pois certamente esbarraríamos na resposta do organismo que é sempre individual. mas é importante lembrar que não importa apenas a condição climática mas também as condições dentro da residência.em resumo, é possível que melhore seus sintomas, mas não é possível afirmar sem conhecer seus dados clínicos de forma criteriosa e pessoalmente. Gratos por sua visita.

    ResponderExcluir
  15. Anônimo3/7/15 23:43

    Estou com sinusite a otorrinolaringologista me receitou levofloxacino porque fazia pouco tempo que tomei amoxicilina e estou com medo de tomar por causa dos efeitos colaterais

    ResponderExcluir
  16. Não tenho condições para pinar específicamente sobre seu caso sem uma avaliação criteriosa e feita pessoalmente. Mas vale ressaltar que levofloxacino é um antibiótico seguro e eficaz no tratamento das sinusites. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  17. Ola bom dia eu fiz o tratamento da alergia por ano quase so que estou sempre mal muita coseira os meus ouvidos ja tem tres semana desde que começou o inverno que ele fica estralando nao fala mas nem pelo baca E horrível o que faço.. a minha casa nao ajuda ja fiz várias mudanças ate no colchão

    ResponderExcluir
  18. Olá Clidiane. Bom dia. O seu relato sugere que você seja portadora de uma rinite alérgica. O tratamento envolve vários passos: 1) Controle do ambiente em sua casa 2) combate aos fatores agravantes da doença 4) tratamento de doenças associadas, 4) uso de medicamentos aliviadores nas crises 5) uso de medicamentos para controle a longo prazo 6) imunoterapia com alérgenos (vacina para alergia) Estes fatores tornam o tratamento complexo. Aconselho que procure um alergista e peça uma nova avaliação e conduta. Obrigado por visitar o Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  19. Estou com sinusite,tomando levofloxacino faz 5 dias, a médica recomendou tomar 1 comprimido de 500mg uma vez ao dia, mas até agora não estou melhor, quanto tem po para o remédio fazer efeito?

    ResponderExcluir
  20. A sinusite ocorre em cavidades existentes nos ossos da face chamados seios da face. Trata-se de um local com poucos vasos sanguíneos e por isso o efeito da medicação pode demorar. Recomenda-se o tratamento por tempo prolongado, em torno de 14 dias do antibiótico. Agradeço sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  21. Estou tomando sinot clav que acho um remdio muito forte , porem nao aguento de tanta tosse. a minha e uma sinusite crônica,e agora decidi a tomar xarope pra parar a tosse. tem algum problema usar os fois medicamentos?

    ResponderExcluir
  22. Junior Bom dia. Sem saber qual é o xarope, não há como responder sua dúvida. Gratos por sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  23. Minha filha sofre com sinusite desde bebê. Agora esta atacada a médica receitou levofloxacino de 500mg e tenho em casa Sinot Clav posso trocar como são remédios caros e já tenho em casa.

    ResponderExcluir
  24. Ana Maria: Boa tarde. Não recomendo que faça mnenhuma troca de medicamento sem antes falar com a médica que trata de sua filha. Avaliar pela internet pode gerar erro. Agradeço sua participação no blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  25. Boa tarde! Posso tomar Tamiran e Allegra associados? Grata.

    ResponderExcluir
  26. Melissa: boa tarde. Os dois medicamentos podem ser associados, sob orientação e prescrição médica. Gratos por sua visita.

    ResponderExcluir
  27. Olá.
    Estou no meu último dia de tratamento de um quadro de infecção pulmonar, e estou tomando tamiram. Melhorei bastante, não tenho mais secreção e a tosse inexiste. Porém, estou com o corpo dolorido e dor de cabeça e atrás dos olhos. Esses sintomas pode estar associado a um possível efeito colateral do Tamiram?

    Abs

    ResponderExcluir
  28. Bom dia, Gostaria de receber seus livros em pdf por e-mail: thalita.mirla@gmail.com

    ResponderExcluir
  29. Fabrício: o seu relato não sugere que os sintomas descritos sejam efeito colateral do Tamiram. Recomendo que retorne ao seu alergista para que seja reavaliado. Gratos pela participação no Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  30. Thalita: os livros foram enviados para seu e-mail. Gratos pela visita ao blog da Alergia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano. Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico. Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madei

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert. Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa. É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça Quadro c

Dermografismo

A bolsa pesada marca o seu braço? A roupa apertada, a alça do soutien, o elástico da roupa faz você coçar e empolar? Atenção: pode ser dermografismo! Dermografismo é uma doença da pele que afeta cerca de 5% da população e que se caracteriza pelo aparecimento de coceira intensa em locais de pressão. Após o ato de coçar surgem “lanhos” vermelhos nas pele. É uma forma de urticária, sendo também chamado de urticária factícia ou urticária falsa.A urticária clássica se caracteriza pelo surgimento de placas avermelhadas que se acompanham de coceira na pele, podendo ter causas variadas, como medicamentos, alimentos, certas doenças, entre outras causas – veja post sobre o tema neste mesmo Blog. No caso do dermografismo, após pressão sobre um determinado local no corpo, a coceira surge em primeiro lugar e só depois de se coçar é que surgem as placas. Por isso, é comum que se inicie em locais onde a roupa aperta, elásticos, alça do soutien. O dermografismo faz parte de um grupo de urticárias deno