Pular para o conteúdo principal

Uso de Broncodilatadores de ação prolongada na asma



O FDA americano, órgão regulador das medicações (Food and drug administration) emitiu parecer no dia 18/02/2010 sobre os medicamentos broncodilatadores de longa duração utilizados no tratamento da asma. No Brasil, estes medicamentos podem ser encontrados de forma isolada (nomes comerciais: Fluir, Foradil, Formare, Formocaps e Serevent) ou em forma combinada com corticóides inalados (nomes comerciais: Alenia, Foraseq,Seretide, Symbicort e Vannair).


Principais recomendações para uso seguro dos broncodilatadores de longa duração:


1. Os broncodilatadores de ação longa devem ser utilizados sempre em conjunto com os medicamentos controladores, ou seja, com corticóides inalados. Este uso pode ser feito em inalador único ou em forma de inalação subsequente. 

2. O uso isolado de broncodilatadores de ação longa não é recomendado.

3. O uso a longo prazo dos broncodilatadores de longa duração deve ser restrito aos pacientes cuja asma não foi adequadamente controlada apenas com medicamentos controladores.

4. De preferência, estes medicamentos devem ser utilizados pelo menor tempo possível até que os sintomas da asma estejam controlados. A partir daí, devem ser suspensos e mantido o tratamento com os medicamentos controladores da asma.

5. O uso em crianças e adolescentes deve priorizar a escolha de produtos em um mesmo inalador, para melhor garantia do uso combinado com o corticóide inalado.


O FDA concluiu que o uso apropriado dos broncodilatadores de longa duração traz benefícios no controle da asma que suplantam os riscos potenciais, mas enfatiza a necessidade da escolha criteriosa dos pacientes e da utilização conjunta com medicamentos controladores. 

Comentários

  1. Tenho problemas com bronquite,mas os medicos do sus nunca me indicaram a necessidade de consultar um alergista.Normalmente passamos por clinicos gerai que nao sao especializadosnestes casos. Embora receba medicação a base de corticóides, sinceramente nao existe acompanhamento isolado para cada caso,pois a variação dos médicos é frequente e intensa para os atendimentos.

    ResponderExcluir
  2. na maioria das cidades brasileiras, existem centros especializados de asma na rede pública. Caso more no Rio de Janeiro, recomendamos: Hospital do Fundão, Hospital Pedro Ernesto, Hospital Gafrée Guinle, entre outros. Estamos ao seu dispor na Policlínica Geral do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  3. Patricia4/5/12 09:23

    Tenho Bronquite e uso nas crises a famosa bombinha Aerolim. Ma o meu medico indicou o uso de Symbicort e Busonid para o nariz. Muito bom e tratou minha meu caso que também e alérgico. Enfim me ajudou e ajuda muito em época de frio que ataca mais a saúde.

    ResponderExcluir
  4. Patrícia: aproveitando seu depoimento, vale ressaltar que Aerolin é uma medicação aliviadora, que deve ser usada apenas no resgate de crises. Quanto menos necessitar usar, melhor. Já o Synbicort e outros similares, deve ser usado regularmente todos os dias, mesmo que esteja bem, para controlar a asma e evitar as crises. Agradecemos sua visita ao nosso blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano.
Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico.
Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madeira de alta resist…

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert.
Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa.
É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça


Quadro clínico.