Pular para o conteúdo principal

Comentando notícias sobre alergia







Rinite alérgica pode prejudicar o desempenho sexual





Cloro das piscinas: alergia ou irritação?





Asma – supere a preguiça e ganhe controle da doença 






Clique abaixo e leia nossos comentários sobre estas notícias veiculadas na mídia:





Comentando notícias em Alergia


Rinite alérgica pode prejudicar o desempenho sexual

A revista “Allergy and Asthma Proceedings” publicou recentemente os resultados de um estudo entre portadores de rinite alérgica, comparados com indivíduos normais, avaliando a interferência da alergia nasal nas atividades diárias, sono, fadiga e qualidade de vida.
A conclusão é muito interessante, pois mostra que há uma nítida influência da doença na libido. Os pesquisadores chamam a atenção para o fato de que os sintomas nasais repetidos e persistentes, em especial a sensação de nariz entupido, espirrando e escorrendo, prejudicam a respiração, alterando sono, provocando fadiga, irritabilidade, interferindo na vida social da pessoa. O prejuízo pode ir desde um dificuldade em beijar até mesmo na performance sexual do portador de rinite alérgica.

Ou seja, um bom motivo para procurar o alergista e tratar sua rinite.


Allergy and Asthma Proceedings, Volume 30, Number 4, July/August 2009 , pp. 358-365(8)
 

Cloro das piscinas: alergia ou irritação?

Um estudo realizado na Bélgica entre adolescentes comparou a natação realizada em piscinas cloradas – cobertas ou em ar livre – com a prática da atividade em piscinas higienizadas pelo método de ionização por cobre-prata.

O resultado mostrou que o risco de desenvolver asma e rinite foi maior naqueles que tinham sensibilidade alérgica comprovada. Entre os adolescentes com predisposição, o risco de rinite aumentou entre 2,2 e 3,5 vezes naqueles que tinham nadado mais de mil horas em piscinas com cloro.

Conclusões:
 

- O cloro tem poder de irritar as vias respiratórias de qualquer pessoa
- O cloro não é um alérgeno.
- Pessoas com asma, rinite e alergia ocular podem piorar e ter crises devido à irritação das vias respiratórias causada pelo cloro das piscinas.
- Quanto maior for a exposição, maior a chance de piorar a alergia.
- Entre os adolescentes que não tinham predisposição não houve aumento do risco de alergias.
Ou seja, a natação continua sendo recomendada como esporte para quem tem asma, mas esta escolha deve ser acompanhada caso a caso e, sendo possível, recomenda-se a escolha de piscinas não cloradas.
Fonte: Environ Health Perspect. 2009 April; 117(4): 500–507.


Asma – supere a preguiça e ganhe controle da doença 
 
Quem tem asma, seja criança ou adulto, certamente conhece a “Lei do não pode”: não pode correr, não pode brincar, não pode pisar no chão, não pode malhar, não pode... Mas, as coisas estão mudando!
 

Especialistas do Hospital das Clínicas de São Paulo realizaram testes em ratos e verificaram que exercícios aeróbicos leves e moderados reduziram marcadores de inflamação típicos da asma, como substâncias chamadas citoquinas e interleucinas. Verificaram também que ocorreu diminuição de eosinófilos, que são céluas do sangue que acompanham os quadros de alergia. A experiência foi feita também em crianças asmáticas e houve diminuição das crises.
 

A idéia não é de todo nova e vem reforçar a visão médica de que o importante é controlar a asma para que a pessoa (adulto ou criança) possa ter uma vida normal e saudável, o que se reflete em uma melhor qualidade de vida.
 

Mas, converse com seu médico, pois:
 
- Cada pessoa é única e deve receber uma orientação personalizada
- A escolha do esporte deve levar em conta a preferência de cada um, seja adulto ou criança, sendo preferível uma atividade aeróbica.
- A asma deve estar bem controlada para permitir a prática adequada do esporte
- Sendo necessário, o médico orientará uma medicação de resgate para o caso de surgirem sintomas.
- Realizar aquecimento prévio à prática da atividade física.
- Considerar as condições do ambiente onde a atividade esportiva é praticada. Por exemplo, tatames empoeirados, caminhadas ou corridas em dias muito secos ou ambientes poluídos. No caso de natação e de hidroginástica, se possível evitar piscinas cloradas e preferir ambientes climatizados.
- Algumas pessoas podem ser portadoras de asma induzida pelo exercício e deverão receber orientação médica sobre como proceder e que tipo de medicação usar antes da prática esportiva.
Fonte: Revista Saúde


Comentários

  1. Existe algum creme que eu possa passar antes de entrar na piscina que proteja da alergia?

    ResponderExcluir
  2. É possível usar hidratante com roteção solar.Mas, é importante psquisar se é permitido pela legislação do local onde frequenta a piscina. O seu alergista orientará o tipo mais adequado para seu caso. Gratos por sua visita.

    ResponderExcluir
  3. eu tenho muito falta de ar,e meu nariz arde muito,arde tanto que até sangra,minha cabeça e minha testa doem demasi,sinto tontura e meu coraçao as veses bate bem forte que até incomoda,pode ser rinite alergica?

    ResponderExcluir
  4. Nem toda rinite é causada por alergia. O seu relato não sugere que seja um caso de rinite alérgica, mas para afirmar é essencial examinar pessoalmente. Aconselho que procure um alergista para que possa orientar adequadamente. Gratos pela visita.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano.
Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico.
Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madeira de alta resist…

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert.
Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa.
É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça


Quadro clínico.