02 fevereiro 2009

Fumo de terceira mão




Que o cigarro faz mal para quem fuma não é novidade.

Que o fumo atinge as pessoas que convivem no mesmo teto com o fumante (ou pessoas que trabalham na mesma sala com o fumante), provocando o chamado tabagismo passivo, também é um fato comprovado.

Ser fumante passivo é inalar a fumaça do cigarro, cachimbo, charuto ou cigarrilha, apenas pelo simples ato de respirar. É poluir-se com a fumaça produzida pelo outro e jogada num ambiente partilhado por todos. Usa-se também o termo "fumante de segunda mão", com o mesmo significado.

Mas, a Academia Americana de Pediatria publicou recentemente um estudo chamando a atenção para um novo fato: o "fumo de terceira mão", termo usado para definir a fumaça extinta que permanece no ambiente deixando um nível significativo de toxinas no ar, nas superfícies ou na poeira, podendo prejudicar outras pessoas que convivem no mesmo ambiente.

Ou seja, a contaminação pela fumaça continua mesmo depois de o cigarro ter apagado, derrubando por terra o argumento dos fumantes que dizem que "fumam na janela" ou na rua ou mesmo que alegam fumar em outro aposento.

"Quando você fuma - em qualquer lugar - partículas tóxicas da fumaça de tabaco permanecem em seu cabelo e em suas roupas", disse o autor principal do estudo, Jonathan Winickoff. "Quando você tem contato com o seu bebê, mesmo que não esteja fumando no momento, ele se contamina com essas toxinas. E se você amamenta, as toxinas vão se transferir para seu bebê em seu leite".

O fumo passivo é uma grande causa de doença respiratória além de agravar comprovadamente a alergia respiratória (asma e rinite) em crianças e adultos. Contudo, crianças são mais susceptíveis, pois ficam mais tempo em casa, mexem e colocam mais a boca nas superfícies, e já foi demonstrado que a inalação de poeira por crianças é duas vezes maior que no adulto.

A fumaça do cigarro contém cerca de 250 gases tóxicos, entre eles: hidrogênio cianide (usado em armas químicas), monóxido de cabono (também no escapamento do carro), butano (fluido para isqueiro), amônia (também usado em produtos de limpeza), tolueno (também no thinner), arsênico (também nos pesticidas), chumbo (também nas tintas de parede), cromo (usado na fabricação do aço), cádmio (também nas baterias e carro), polônio-210 (radioativo). Onze dos 250 gases tóxicos do cigarro são classificados como compostos carcinogênicos do grupo 1, ou seja, os mais carcinogênicos.

A fumaça que sobe do cigarro que queima "inofensivamente" no cinzeiro contém nicotina, monóxido de carbono e substâncias cancerígenas, representando 95% da poluição produzida pelo fumante. http://www.cigarro.med.br/cap25.htm

Hoje a legislação proíbe o fumo em coletivos, aviões, ambientes comerciais, shopping centers, cinemas, teatros, etc... Por que não dentro de nossos próprios lares?


Leia o artigo na íntegra:Beliefs about the health effects oh "thirdhand smoke" and home smoking bans – Jonathan P. Winickoff e colaboradores.

2 Dê sua opinião:

Rosa Silvestre disse...

Para um excelente blog que se tem vindo a destacar na área da saúde, têm dois prémios à vossa espera!
Bjinhos e um excelente fim-de-semana!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Obrigada, Rosa. Ficamos felizes com a distinção.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...