28 setembro 2008

Parece rinite alérgica mas não é

espirros

Uma pessoa com crises de espirros, coriza, nariz entupido tem rinite alérgica?
É provável, mas ...
é preciso diferenciar de outras doenças que podem se confundir com a Rinite.

Rinite é um nome que deriva do grego (rino=nariz e ite=inflamação). Por isso, pode ser usado para definir qualquer tipo de inflamação ocorrido na mucosa nasal, embora seja, na prática, mais relacionado com a Rinite Alérgica.
É verdade que a forma alérgica da rinite é mais comum: os dados apontam que uma em cada 7 pessoas é portadora da doença. Tem origem hereditária, mas também sofre forte influência do ambiente.
A prevalência da rinite alérgica aumentou nas últimas décadas de maneira significativa, no mundo inteiro. Infelizmente é um reflexo das modificações ambientais, do estilo de vida, de moradia, alimentação e atividade física do ser humano. A violência das grandes cidades também contribui para este fato, pois em virtude do medo, fica-se mais tempo dentro de casa ou de ambientes fechados, diminuindo a vida ao a livre e aumentando a convivência com os ácaros, grandes causadores da alergia.

Mas, nem toda rinite é alérgica:

Rinite Infecciosa

É bem freqüente e o exemplo mais conhecido é a gripe, onde os sintomas são causados por vírus. Diferencia-se da rinite alérgica porque é contagiosa, pode ou não se acompanhar de febre e tem curta duração. Recomenda-se vacinar anualmente contra a influenza, se possível antes do outono – inverno, para evitar complicações.
A Rinite infecciosa também pode ser causada por bactérias ou por outros tipos de germes. Embora mais raramente, algumas doenças, como por exemplo, a hanseníase, a tuberculose e a sífilis, podem causar sintomas nasais e confundir o diagnóstico.

Rinite Idiopática


Neste caso, o nariz fica muito obstruído e a pessoa quase não espirra, tem pouca ou nenhuma coriza, sem coceira aparente. Pode piorar com diversos fatores, como: cheiros fortes, emoções, mudanças bruscas ambientais; mas não se conhece a sua causa. É conhecida também como Rinite Vasomotora.

Rinite Hormonal


Os sintomas surgem em função de causas hormonais, como na gravidez, período pré menstrual, menstruação, menopausa ou em decorrência do uso de remédios contendo hormônios (ex: pílulas anticoncepcionais). Algumas doenças hormonais podem se acompanhar de sintomas nasais, sendo o exemplo mais freqüente o hipotireoidismo.

Rinite por medicamentos


Um fato pouco lembrado é que alguns tipos de remédios podem causar obstrução nasal como efeito colateral. Exemplo: alguns antihipertensivos (betabloqueadores, reserpina e inibidores da ECA). Uma curiosidade é que os betabloqueadores também são usados sob forma de colírios para tratar glaucoma e mesmo assim, em pessoas sensíveis podem provocar sintomas respiratórios, rinite e asma.
Certos remédios de uso corriqueiro, como a aspirina, dipirona e antinflamatórios, podem provocar rinite, embora de ocorrência rara.

Rinite causada por gotas nasais

É comum que os remédios indicados como descongestionantes nasais em gotas piorem o problema. O uso repetido pode provocar o chamado “efeito rebote”, ou seja, a própria gota, que a princípio deveria desobstruir, passa a contribuir para o entupimento do nariz, levando ao vício. Isso não seria um problema se não tivesse conseqüências, mas pode evoluir para a respiração bucal prejudicando o organismo ou ainda provocar taquicardia e elevação da pressão arterial.

Rinite por drogas ilícitas

O uso de cocaína pode provocar alterações na mucosa e perfurações do septo nasal, resultando em situações de alta gravidade.

Rinite por alimentos


Algumas pessoas descrevem que ao ingerir alimentos muito quentes ou temperados, iniciam com coriza, espirros e obstrução nasal: trata-se da Rinite Gustatória. A pimenta contém uma substância chamada capsaicina que pode provocar esta queixa. Contudo, a rinite causada por alergia a alimentos é rara.


Rinite irritativa


Esse tipo de rinite costuma se manifestar em quem vive nas grandes cidades em razão da inalação de produtos químicos, gases, partículas de óleo diesel, ar frio, seco, etc. Fumaças originadas por chaminés, queimadas, escapamentos de automóveis também podem provocar irritação nasal e gerar sintomas.
Não se pode deixar de ressaltar o mal que faz o TABAGISMO, em especial dentro de casa, tanto para o fumante como para a família. A fumaça do cigarro é capaz de irritar o aparelho respiratório e provocar crises de asma, tosse, rinite e outras doenças nas pessoas que convivem com o fumante.


Rinite Ocupacional


Pessoas que trabalham em ambientes poluídos, ou submetidos a inalação de odores ativos, farinhas, sementes, produtos químicos, fumaças, etc. podem ter sintomas nasais bastante incômodos. Uma característica que ajuda na diferenciação com a rinite alérgica é que os sintomas costumam desaparecer em períodos de férias ou de afastamento prolongado do trabalho.


Rinite emocional


É rara, mas pode ocorrer em situações de extremo estresse. Alterações psiquiátricas e síndrome de pânico podem se acompanhar de sintomas respiratórios, sensação de falta de ar, dispnéia e obstrução nasal.


Rinite Atrófica


É rara e se acompanha de atrofia da mucosa nasal, crostas e secreção muco-purulenta exalando forte mau cheiro.

Rinite secundária a variantes anatômicas


Assim como as feições do rosto não são iguais para todas as pessoas, a estrutura nasal também é individual, podendo ter variações que influenciem na permeabilidade do nariz e na qualidade da respiração. Nem sempre são consideradas doenças, mas sim fatores que podem causar rinite por si só ou que podem agravar a alergia, numa pessoa já portadora de Rinite alérgica. Os exemplos mais comuns: desvios do septo, presença de esporão ósseo no septo, aumento de adenóides, pólipos nasais, etc. Muitas vezes o diagnóstico só pode ser feito através de RX, vídeoendoscopia ou pela tomografia.