Pular para o conteúdo principal

Alergia pode surpreender até os famosos


Recentemente o ator Reynaldo Gianecchini foi hospitalizado por causa de uma reação alérgica a uma penicilina usada para tratar uma amigdalite. O ator descreveu em entrevista que após ingerir a medicação iniciou com os sintomas de alergia, dando entrada na emergência com o corpo repleto de manchas avermelhadas na pele.
A penicilina é uma substância encontrada em muitas marcas de antibióticos e pode ser causadora de vários tipos de alergia. A reação alérgica ao medicamento ocorre em torno de 0,2% da população.

Os tipos de reações são bastante variados, incluindo coceiras, urticária, angioedema, podendo chegar a casos mais graves com edema de glote, manifestações respiratórias e choque anafilático.
A penicilina é um medicamento amplamente utilizado, mas a sensibilização ocorre somente num pequeno número de pessoas. Infelizmente, não há como prever: a alergia pode afetar qualquer pessoa, mesmo que já tenha usado a medicação anteriormente sem sintomas.

Por isso, recomenda-se que os antibióticos (e remédios de maneira geral) sejam usados apenas na presença de indicação precisa e com orientação médica.

É possível realizar teste com penicilina, mas trata-se de um procedimento especializado, devendo ser feito pelo médico alergista com soluções diluídas e com acompanhamento cuidadoso para possíveis reações. O teste feito com Benzetacil injetado no antebraço é incorreto e perigoso, pois esta droga pode irritar a pele, provocar resultados falsamente positivos, além da possibilidade de reações graves.

O uso da penicilina por via oral, em forma de comprimidos ou xaropes raramente provoca reações alérgicas graves, sendo mais freqüentes com os medicamentos injetáveis.

Para saber mais, leia o texto publicado neste blog em Abril de 2007:
Alergia a Penicilina

Comentários

  1. Tenho varias alergias desde pequena. Uma vez tive uma aula que dizia que a alergia come�ou por excesso de higieniza�o. Sera que isso � verdade? Sobre a pinicilina se minha mae tomar, morre, parece que o efeito � acumulativo. Nunca tomei, nunca deixei meus filhos tomarem, melhor prevenir nao �?
    Beijos,
    Cam

    ResponderExcluir
  2. Estou com uma alergia na pele que já perdura 1 ano. Coça bastante e agora está até no rosto. Era só essa parte do corpo de faltava. no momento estou num tratamento com antihistaminico, mas não vejo nenhuma melhora. Coça demais, as lesões ficam como caroços pequenos agrupados em várias partes do corpo. Não aguento mais ficar assim.

    ResponderExcluir
  3. Rose: peço sua compreensão, mas as lesões na pele só podem ser avaliadas com o exame físico, ou seja, em uma consulta presencial. São várias as alterações que podem levar a alergias na pele. Estamos ao seu dispor na Policlínica RJ

    ResponderExcluir
  4. Olá, meu filho é alérgico e no momento está realizando exames para um melhor diagnóstico. Fico muito preocupada, pois cresci ouvindo minha mão falar que eu tinha alergia a penicilina, e nunca aceitei medicar meu filho com esse medicamento e seus derivados. Acho uma falta de ética até nos postos de saúde utilizarem a benzetacil como a primeira medicaçação independente de quem seja, sem realizar nenhum teste.

    ResponderExcluir
  5. Gercy: A avaliação do diagnóstico de alergia a penicilina deve ser criteriosa, pois nem sempre o relato é confirmado na prática. A presença de alergia é baixa na população em geral, ocorrendo em cerca de 1 a 2% dos tratamentos. O fato de você apresentar alergia a penicilina não significa que seu filho também terá. É importante que o diagnóstico da alergia seja comprovado corretamente pois trata-se de um medicamento importante no tratamento de infecções, muitas vezes graves. Agradecemos sua visita ao nosso blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano.
Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico.
Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madeira de alta resist…

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert.
Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa.
É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça


Quadro clínico.