22 abril 2008

Repelentes contra mosquitos

O aumento do número de casos e da gravidade da dengue no Rio de Janeiro fez com que as pessoas aumentassem o uso de repelentes, na busca de proteção contra o mosquito.
Quando se fala em repelentes, refere-se não apenas àqueles utilizados na pele, mas a todas as formas de afastar os indesejáveis insetos.

Repelente é toda substância que aplicada sobre a pele, roupas ou outras superfícies, impedindo que os mosquitos pousem ou rastejem naquela superfície.

Repelentes corporais - ingrediente ativo: DEET
Principais marcas: Autan, Off, Repelex e Exposis.

Os repelentes para uso na pele são variados e funcionam contra diferentes tipos de insetos. No ato da compra, é importante ler atentamente o rótulo e observar qual é o seu ingrediente ativo. DEET é abreviação para “dietil-n-toluamida”, substância patenteada pelo exército americano em 1946 e vendida no mercado mundial há mais de 50 anos. Atua interferindo nos aromas da pele humana, confundindo o inseto. É um repelente eficaz, mas pode ter efeitos tóxicos quando aplicado de forma sucessiva ou em concentrações superiores às recomendadas. Não deve ser utilizado em menores de seis meses de idade.

A ação protetora do DEET depende da concentração: sabe-se que as concentrações superiores a 30% têm ação mais prolongada. Concentrações baixas (de 5 a 10%) têm ação por tempo curto, necessitando aplicações mais freqüentes. Infelizmente, o uso repetido aumenta o risco de efeitos tóxicos.

No Brasil, país de temperaturas elevadas e úmidas, a concentração de DEET em torno de 30% pode conferir proteção em torno de 80%, durando cerca de 3 horas.

Há muita discussão em torno das principais marcas no mercado brasileiro, questionando sua concentração baixa de DEET, o que poderia interferir no resultado final.
Outro ponto negativo é que a maioria é perfumada e, como mostram os testes científicos, fragrâncias tendem a atrair insetos.

Recentemente o laboratório Osler lançou no Brasil o Exposis: encontrado na apresentação de spray e gel, com 50% de DEET, sendo recomendado para adultos e crianças maiores de dez anos de idade. A apresentação infantil pode ser usada em crianças acima de 2 anos e contém como princípio ativo a substância Bayrepel (icaridina), tão eficaz quanto o DEET, mas com menos efeitos indesejáveis e com ação lenta, garantindo proteção por cerca de 10 horas.

O DEET pode ser tóxico para olhos e boca, causando prurido (coceira), urticária e dermatite de contato. Em contato com a boca pode causar sensação de queimação nos lábios e língua. Recomenda-se evitar o uso em aerossol ou spray e não aplicar em pele inflamada ou irritada.

Repelentes químicos – Permetrina e derivados:
Principais marcas: SBP. Protector, Baygon, Raid, Rodox, Mortein

A permetrina é um inseticida, mas quando aplicada em vestimentas, telas e mosquiteiros, atua como repelente de contato, conferindo proteção maior de 90%. Não deve ser aplicada diretamente na pele, sob pena de reações como queimação, prurido (coceira) e erupção cutânea (rash).
- As reações mais comuns causadas pelos inseticidas dizem respeito à irritação do sistema respiratório pelo forte odor dos produtos, incomodando sobremaneira as pessoas alérgicas. - Modernamente, surgiram inseticidas em aerossol sem cheiro, o que por um lado facilita a aceitação pelas pessoas portadoras de alergia, mas pela falsa sensação de segurança, tendem a induzir o uso excessivo.
- Existem preparações inseticidas com permetrina em associação com outras substâncias para uso em tomadas elétricas e que liberam lentamente o princípio ativo. Pessoas portadoras de asma e rinite só devem utilizá-los sob orientação médica.
- O uso de inseticidas em espirais pode levar à maior irritação de mucosas e deve ser evitado pelos alérgicos.

Repelentes Botânicos
Principais tipos: Citronela, Cânfora, Alho, Eucalipto, casca de laranja e óleo de Andiroba

Citronela: um bom repelente deve ser irritante para o inseto e ter evaporação rápida. A citronela em concentração de 100% é evaporada em cerca de 10 minutos. Produz reações alérgicas em 2% dos seus usuários. Os estudos mostram resultados contraditórios: enquanto uns mostram alta proteção contra Aedes (cerca de 97% por 3 a 5 horas), outros não apontam eficácia.
Óleo de andiroba: Pesquisa da Fiocruz com vela de andiroba mostrou 90% de proteção contra Aedes aegypti. Está em estudo o óleo de andiroba com 100% de proteção.
Velas: tem alcance restrito mas podem ser úteis em afastar o inseto.
Casca de Laranja, Alho, Cravo, Cânfora, Eucalipto: necessitam mais estudos para comproar a eficácia com relação ao Aedes aegypti.

Repelentes eletrônicos
Emitem ondas ultrassônicas que repelem o inseto. No entanto, sua eficácia é baixa, já que os mosquitos podem se abrigar em locais livres do ultra som e resistir ao efeito.

Outras opções:

- Vitaminas B1 e B6: eficácia modesta, não protege indivíduos predispostos. Só tem ação em altas doses, o que pode incorrer em efeitos colaterais.
- Complexo B: não tem efeito protetor comprovado.
- Cápsulas de Alho: não tem eficácia comprovada.
- Óleos: uma medida que pode substituir o uso de repelentes é o uso de óleo mineral (Nujol) ou vegetal (óleo de amêndoas) após o banho. A presença do óleo dificultará a fixação do mosquito na pele.
- Pulseiras repelentes: contém um pequeno bolso onde é guardada pastilha de citronela, que deve ser trocada a cada 15 dias. As pulseiras são importadas, ainda não disponíveis no Brasil e não têm parecer técnico da ANVISA.
- Ventiladores: existe no mercado brasileiro um modelo que utiliza pastilha de repelente num recipiente próprio e um outro modelo gerador de ozônio que repele mosquitos.
- Raquetes elétricas para para matar mosquitos.
- Mosquiteiros com repelentes: fabricados no Japão com o inseticida incorporado às fibras e que funcionam como barreira química, matando os mosquitos que se aproximam. Têm duração de 3 a 5 anos. Estudo americano recente mostra que o uso de mosquiteiro tratado com inseticida é eficaz na redução do mosquito Aedes aegypti - transmissor da dengue. Sabe-se que este mosquito não tem costume de picar à noite, mas tende a permanecer nas casas após se alimentar de sangue, especialmente em casas pequenas. Estes mosquiteiros são comercializados no Brasil e autorizados pela ANVISA, com apoio da OMS em modelos para camas, berços, redes e carrinhos de bebês.

Como usar repelentes de forma segura

- Antes de usar um repelente, leia o rótulo e obedeça a instrução de uso.
- Aplique o repelente nas áreas descobertas: braços, pernas, atrás das orelhas e no pescoço. Repasse-o a cada quatro horas, pois o suor reduz a ação da substância. Não use repelente sob as roupas.
- Não aplique em áreas de mucosa (boca e olhos), para evitar irritação.
- Não aplique repelente na pele irritada ou com cortes.
- Use uma quantidade do produto necessária apenas para cobrir levemente a pele exposta e/ou o vestuário. A aplicação de quantidades grandes não faz com que o produto funcione melhor e aumenta a chance de efeitos colaterais.
- A ANVISA recomenda o máximo de 3 vezes ao dia para uso de repelentes.

Dicas Especiais:

- Pessoas com Dermatite Atópica ou alergias na pele não devem usar repelentes sem consultar o médico. Lesões na pele causadas pela doença podem aumentar a absorção do produto e facilitar aparecimento de reações indesejáveis.
- Pessoas com Asma ou Rinite podem piorar sintomas em função do odor ativo dos repelentes e inseticidas. Consulte o médico antes de usar.
- Repelentes podem ser tóxicos: guarde o produto fora do alcance das crianças.
- Ao aplicar repelentes em uma criança, coloque um pouco nas mãos e só então espalhe na pele infantil. Não aplique nas mãos da criança, para evitar que inadvertidamente coce o olho ou leve a mão à boca, ingerindo o produto.
- Se notar irritação da pele, erupção cutânea ou qualquer outro sintoma que acredita ter sido provocado pelo repelente, pare de usar o produto, lave a parte afetada com água e sabonete e entre em contato com o médico ou com o posto de saúde. Se você tiver consulta médica, leve o produto para mostrá-lo ao médico.

Para encerrar, é importante lembrar que independente do uso de repelentes, existem medidas eficazes, simples e saudáveis para evitar mosquitos, como:
- Vestir calças compridas, sapatos fechados e meias.
- Fechar janelas ao entardecer,
- Usar telas de proteções nas janelas e portas,
- Usar mosquiteiros.
- Evitar locais onde haja maior freqüência de insetos picadores (campos, porões, proximidade de lixeiras, etc.).
- Evitar: perfumes, loções ou óleos perfumados, pois fragrâncias atraem insetos.
- Evitar roupas com cores vivas e brilhantes. Cores em tons de azul, verde ou branco, atraem menos os insetos.

E, claro, não descuide dos cuidados específicos de combate ao Aedes aegypti, transmissor da dengue. Não basta eliminar o mosquito se não acabar com os criadouros de larvas: qualquer recipiente que acumule água pode ser uma fonte para a doença!

Repelentes em geral causam pouca alergia.
Mesmo assim, pessoas alérgicas devem consultar o médico
antes do uso.






A equipe médica do Blog da Alergia agradece a honrosa parceria com a Dra. Aluce Ouricuri, Chefe do Setor de Alergia e Imunologia do Hospital dos Servidores no Rio de Janeiro, Membro do Comitê de Alergia da SOPERJ e da Câmara Técnica de Alergia o CREMERJ, na elaboração deste texto.

57 Dê sua opinião:

Fernanda disse...

Olá, tenho um filho de 3 anos q é extremamente alérgico à picadas de mosquito...a perninha dele está ficando toda manchadinha das mordidas que ele acaba coçando até ferir...existe algum medicamente que possa retirar essas manchinhas?

Gostaria de saber pois assim vou levá-lo até o médico para q ele receite...outra coisa: devo levá-lo em um dermatologista ou pediatra?

Desde Já agradeço

Fernanda Lopes
rumosatgeo@yahoo.com.br

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Fernanda: o seu relato sugere que seu filho seja alérgico à picada de insetos: sugiro que o leve a um médico especialista em Alergia para orientar seu tratamento.Agradecemos sua visita e aproveitamos para convidar a assinar nosso blog, passando a receber nossos textos diretamente em seu e-mail.

Anônimo disse...

olá, adorei o conteudo deste blog, porem gostaria de saber o por quê de uma pessoa que ja tomou um tipo de remédio, vir a ter alergia do mesmo depois de um certo tempo que usou. a tempos usava dorflex, hoje sou alérgica. como é possivel?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Para que a alergia ao medicamento ocorra, é imprescindível que a pessoa tenha tido um contato anterior com aquele medicamento. A a reação surge para medicamentos que a pessoa já usou uma ou diversas vezes, até mesmo durante anos, sendo impossível prever quem poderá vir a ter uma reação alérgica a medicamentos no decorrer de sua vida.Gratos por sua visita.

Unknown disse...

GOSTARIA DE SABER COMO TRATAR DE UMA ALERGIA NOS OLHOS,CAUSADA POR REPELEX. ME AJUDEM POIS EU FUI PASSAR O REPELEX NO CORPO E QUANDO PASSEI NO ROSTO ESQUECI DE FEIXAR OS OLHOS... ESTÃO MUITO INCHADOS E DOENDO MUITO! AGUARDO RESPOSTA URGENTE!

ABRAÇOS.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Não recomendo que utilize nenhuma medicação sem orientação médica. Aconselho que lave com soro fisiológico e procure atendimento em oftalmologista. Gratos por sua visita.

Unknown disse...

Excelente. Notei que ao passar Repelex minha menina teve uma crise de asma. A piscina me parece ser outro problema. Deem uma olhada nos efeitos dos quimicos da piscina:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572010000500002

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Valeu a dica! Publicarei o texto pois é de interesse de todos. Abraços e volte sempre!

Anônimo disse...

eu estou grávida de 3 meses, gostaria de saber qual repelente posso usar...

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Gestantes necessitam atenção especial. Aconselho que peça ao seu médico obstetra que indique o tipo de repelente mais apropriado para seu caso. Gratos pela visita ao nosso blog.

Ariadne disse...

Minha filha sempre usou Repelex Kids desde os 2 anos (hj ela tem 7 anos), mas de 30 dias para cá , qdo passo no corpo dela (nao uso no rosto), ela fica interia cheia d emarcas, parecendo vergoes vermelhos. Pq agora ela é alergica se antes nao era ??? qual repente posso usar ?? ela tem alergia a picadas de pernilongos.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Ariadne: ao contrário do que se pensa, uma alergia nunca surge da primeira vez, mas sim com o passar do uso da medicação.Não aconselho que use outro produto sem antes consultar um alergista. Estamos ao seu dispor na Policlínica RJ. Agradecemos sua visita .

Anônimo disse...

Oi quando passo repelente no local onde passo fica queimando o que sera isso?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

É provável que seja uma reação colateral do repelente (que pode ser irritativa ou alérgica). Aconselho que interrompa o uso e procure seu alergista para que oriente um produto adequado para substituir o repelente. Gratos pela visita

iane disse...

ola , quero saber o que devo usar para evitar pernilongo posso usar Raid eletrico para um bebê de 1 ano sendo que tem renite e bronquite asmatica . grata .

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Iane: não é recomendável o uso do produto citado no quarto do seu bebè, não só pela baixa idade como também pelo fato de ser portador de asma e rinite alérgica. Mas, não é recomendável orientar pela internet, sem avaliar seu caso pessoalmente. Aconselho que peça ajuda ao alergista que trata dele, pois conhece seus dados clínicos e poderá orientar de forma mais segura. Gratos por sua visita ao nosso blog.

Michael Constantino disse...

minha filha tava usando repelente Johnson, a 2 meses , agora apareceu umas manchas vermelhas nas pernas e nos braços, sera por conta do repelente?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Michael: é possível que o repelente possa produzir manchas na pele em pessoas sensíveis. Mas, não há como afirmar se é o caso de sua filha pela internet, sem examinar pessoalmente. Aconselho que a leve a um alergista. Gratos pela visita ao nosso blog.

Anônimo disse...

Estou gravida usei repelex e me deu alergia o que faco n aguento mais a coceira me ajude...

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Você deve procurar atendimento médico sob a forma de consulta tradicional. Não é possível medicar pela internet, sem examiná-la. E, grávidas necessitam uma atenção e cuidados adicionais! Agradecemos sua visita.

daniela dominguez disse...

Hola soy de Chile e iré de vacaciones a si hermoso País.
Que repelente debo comprar allá para la protección contra el dengue y fiebre amarilla.
Muchas gracias.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Desconheço suas condições de peleou se é portadora de alguma alergia para poder orientá-la. Por favor escreva para blogdalergia@gmail.com informando mais detalhes para que possamos orientar de forma mais adequada. Gratos pela visita.

Anônimo disse...

Passei repelente off spray refresh no meu filho que tem 2 anos e 8 meses só depois vi na bila q não é para ser usado em crianças menores de 12 anos. O q devo fazer?? É perigoso para el??

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Existem repelentes autorizados em bula para uso em crianças acima de 2 anos de idade. Sugiro que peça esta informação ao alergista que trata do seu filho Gratos por visitar o Blog da Alergia.

Anônimo disse...

Ola !!! por favor me responda !!tenho um filho asmatico, se eu utilizar multi inseticida (eletrico ou aerosol ) posso expor ele a uma crise alergica ? Me responda por favor !!!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Boa noite. Os repelentes são avaliados e seu uso é orientado pela ANVISA. Repelentes em aerosol, principalmente, podem pelo odor forte, causar irritação nos olhos, aparelho respiratório, e ainda na pele, se houver contato, portanto, para o uso, deve-se seguir as especificações técnicas de cada produto. Os elétricos ( de parede) tem o odor menos intenso, porém também detém algumas especificações de distância aos usuários que devem ser respeitados. No caso da asma, os odores podem funcionar como fatores irritativos e acabar desencadeando crises, e, o uso dessas substâncias devem ser orientados por um(a) alergista que acompanhe o paciente, para que este não acabe sendo lesado pelo uso dos repelentes. Procure seu médico, ele poderá lhe orientar. Gratos pela visita.

Anônimo disse...

Por favor, peço orientação!
Há 1 mês que meu filho está com uma tosse noturna terrível! Durante o dia tosse pouco... O Pediatra receitou aintibiótico e um xarope com corticóide. Não melhorou... o médico mudou o antibiótico mas a tosse persistiu. Comecei a pensar oq poderia estar causando esta tosse e descobri que o uso prolongado de repelente no corpo, pode causar um sério problema de alergia respiratória.Então, fica aqui meu relato.Forte abraço à esta equipe maravilhosa que sempre nos dá dicas precisosas!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Boa tarde. Realmente o cheiro dos repelentes pode gerar manifestações respiratórias, portanto é sim preciso ficar atento. Muito obrigado pelo elogio, nosso trabalho voluntário é feito com muito carinho. Obrigado por visitar o Blog da Alergia.

José Luiz Verissimo disse...

Boa tarde,
Gostaria de saber se o cheiro de repelente (repele, off,off kids). Pode causar alergia. Quando sinto o cheiro tenho dor de cabeça e meu nariz fica congestionado.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

José: a sensibilidade a cheiros varia em cada pessoa. Enquanto algumas pessoas não se incomodam, outras poderão ter intolerância e ter sintomas decorresntes. Já publicamos um texto sobre o tema. Convido que leia: "Sensibilidade a cheiros nem sempre é alergia" http://lwlink3.linkwithin.com/api/click?format=go&jsonp=vglnk_144991452873611&key=172579b97fa4d5e8c1a3c2918a03e499&libId=ii2xmnvw01012xfz000DA1coqlhxst3wp7&loc=http%3A%2F%2Fblogdalergia.blogspot.com.br%2F%23uds-search-results&v=1&out=http%3A%2F%2Fblogdalergia.blogspot.com%2F2012%2F02%2Fsensibilidade-cheiros-nem-sempre-e.html&title=Blog%20da%20Alergia&txt=Sensibilidade%20a%20%3Cb%3Echeiros%3C%2Fb%3E%20nem%20sempre%20%C3%A9%20alergia%20-%20pode%20ser Agradecemos sua visita

Unknown disse...

Olá! Desculpe atrapalhar mas eu estava passando o repelente Off! E sem querer foi no olho o que eu faço?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Em caso de contato acidental com a mucosa ocular está indicado lavar o olho abundantemente com água filtrada e consultar um oftalmologista se o desconforto não desaparecer. Evitar remédios ou medidas caseiras. Obrigado pela visita ao Blog da Alergia.

Anônimo disse...

Olá! Gostaria de saber se posso usar repelente a noite e dormir com ele. Obs:. Estou gravida de sete meses, agora que comecei a usar.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o uso noturno de repelente deve ser evitado. Convido que leia: http://www.sbd.org.br/ainda-sobre-os-repelentes-o-uso-durante-noite/ Agradecemos sua visita ao Blog da Alergia.

Anônimo disse...

Gostaria de fazer uma pergunta comprei um repelente manipulado e nele contém icaridina, se não me engano, 12 ou 15%. Meu marido tem bronquite e toma alenia duas vezes ao dia, gostaria de saber se ele pode ou não usar o repelente, lembrando que certa ocasião usou repelex e teve forte alergia e enchaço.
Obrigada.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Sinto muito, mas não posso ajudar. Os dados que envia não são suficientes para afirmar se o produto poderá ser usado pelo seu esposo. Aconselho que entre em contato com o(a) alergista que trata dele, pois conhece seus dados clínicos e o tipo de sensibilidade que apresenta, sendo a pessoa mais adequada para orientar. Avaliar pela internet pode gerar erro. Gratos pela visita ao Blog da Alergia.

Aliandra Reis disse...

O meu filho teve uma reação alérgica ao utilizar o repelente Xô Inseto Kids.
Ficou cheio de manchas e placas vermelhas pelo corpo.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Aliandra: recomendo uma consulta com alergista para que este possa avaliar o seu filho, conduzir a investigação diagnóstica e indicar o tratamento adequado para ele. Agradecemos sua visita ao Blog da Alergia.

Unknown disse...

Estou grávida de 8 meses e usava o repelente off family aerosol. Agora passei a usar o mesmo, mas em creme e na primeira vez q passei, me deu uma coceira horrível. Estou a 3 dias sem usar mas a coceira continua, principalmente a noite. As vezes eu preciso passar gelo pra coceira diminuir. Pode ser o repelente o motivo dessa coceira? Vou no posto de saúde amanha :'(

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Sinto muito, mas não tenho condições para ajuda-la. Não é possível afirmar a causa da coceira que descreve sem examinar pessoalmente. Avaliar pela internet pode gerar erro. O caminho mais adequado é mesmo procurar atendimento médico pessoalmente. Gratos por sua visita.

lidiane karla disse...

Boa noite, queria saber se tem alguma pomada ou repelete para ácaro. Pois meu filho é alérgico. Ele coça até ferir.

Anônimo disse...

Ola...minha mae é idosa e asmatica...q fazer nesse caso?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Lidiane: não existe pomada repelente específica para ácaros. Recomenda-se as medidas de controle ambiental em sua casa e a imunoterapia com alérgenos (vacina para alergia) como parte do tratamento. O(A) médico(a) alergista avaliará seu filho e indicará o tratamento mais adequado para ele. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Existem repelentes seguros para uso em idosos portadores de asma, como sua mãe. Mas esta não é uma orientação padronizada. É preciso conhecer cada caso para orientar com segurança. Avaliar pela internet pode gerar erro. Por isso, aconselho que peça esta orientação ao especialista que trata dela. Agradecemos sua participação no Blog da Alergia.

Maria Cristina Nascimento Pereira disse...

Boa tarde, faz uns 40 dias, que minhas pernas incham muito e estou investigando todos os fatores e todos os exames deram negativos, já fui no cardiologista, nefrologista, gastro, endócrino, vascular e toda investigação deu negativa. Ontem tive um insight e lembrei que aumentei o uso de repelente off cosmetic nas pernas, desde o alarme das autoridades sobre as doenças dengue, zica e chicungunha. Moro em Ribeirão Preto, cuja epidemia só cresce e moro em um bairro que tem muita incidência destas doenças. Além disso, sou alérgica a picadas de mosquitos e diversos medicamentos, tanto que já precisei carregar na bolsa injeção EPIPEN. Com tudo descartado, vocês já tiveram algum caso de alergia, com inchaço dos membros inferiores? Minhas pernas incharam muito, fui ao Pronto Atendimento sábado e ontem segunda-feira lembrei-me do OFF. Desde então não tenho usado e minhas pernas desincharam muito e não incharam mais. Passava OFF pelo menos duas vezes por dia, às vezes à noite e à noite as pernas estavam muito inchadas. Se tiverem algum caso parecido, por favor me contatem, pois estou ficando muito preocupada e não sei mais em que médico ir. Meus exames são super atuais, inclusive os do Pronto-Atendimento, todos negativos para diversas causas.

Joyce Gomes disse...

Bom Dia!
Estou gestante e estou usando o repelente da Johnson, notei que apareceu umas picadas onde uso o repelente,mas que provavelmente seja so repelente mesmo, e quando passo está ardendo nesses lugares com as picatinhas, e como são muitas não tem como evitar muito de passar por cima... já marquei a consulta para eu falar diretamente ao meu médico, e até ver outro repelente. Mas a Grande Dúvida até lá é, esse ardor quando acabo passando em cima delas, ou em cortes prejudica o Bebê?

Estou no Aguardo!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Joyce: Não é possível afirmar sem examinar pessoalmente. Avaliar pela internet pode resultar em erros de diagnóstico e tratamento. Gestantes necessitam atenção especial. Aconselho que procure atendimento médico tradicional na forma de uma consulta. Gratos por sua visita ao Blog da Alergia.

Luciana disse...

Olá Boa tarde, gostaria de saber se repelente a base de citronela pode causar alergia respiratória?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Sim, Luciana. Repelentes a base de citronela podem causar alergia em pessoas suscetíveis. Obrigado por sua visita.

Andreia Setubal disse...

Olá boa tarde! Gostaria de saber se posso utilizar repelente eletronico no quarto durante a gravidez e que danos poderá causar ao bebé? Obrigada

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Andreia: peço sua compreensão, mas a gravidez é um momento muito especial quando um novo ser é gerado. Eu desconheço seu histórico clínico. As orientações na gravidez devem ser feitas pessoalmente pelo médico. Avaliações na internet podem gerar erro Contamos com a sua compreensão e agradecemos sua visita.

Andreia Setubal disse...

Obrigada mas a minha dúvida é que utilizei esse repelente durante 3 dias e depois de ler algumas informações cheguei a conclusão de que não deveria ter utilizado agora a minha questão é se poderá causar algumas sequelas e que problemas podes causar ao bebé esse tipo de repelentes? Obrigada uma vez mais

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Andreia: boa noite. Desconheço a formulação do produto utilizado, bem como os dados do histórico clínico e condições de saúde do seu bebê. Contudo, como foi usado por pouco tempo, acredito que as repercussões tenham sido mínimas. Acredito que a melhor conduta seja entrar em contato com o(a) pediatra de seu filho e pedir que a oriente de forma adequada e segura. Gratos por sua participação no blog da Alergia.

Anônimo disse...

Os repelentes em espiral,"Durma Bem", também podem desencadear crises de rinite, asma e dermatite mesmo não ficando muito próximo?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Sim, é possível. A ocorrência de sintomas não depende apenas do inseticida, mas da sensibilidade de cada pessoa. Por isso, o melhor mesmo é entrar em contato com o médico alergista para receber uma orientação adequada, personalizada e segura. Obrigado por sua participação no Blog da Alergia.

Patricia Gentil disse...

Ola, obrigado pelas dicas! Excelente artigo, inteligente e muito bem escrito. Produtos químicos
pesados na maioria das vezes não são necessários. Adorei!

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Agradeço em nome da equipe médica da Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro. As suas palavras são um incentivo ao nosso trabalho voluntário no Blog da Alergia.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".