29 março 2008

Ambiente de trabalho saudável é um direito de todos




Depois de passar por diversos testes e exames, o candidato é selecionado para um novo emprego. Providencia os documentos e se prepara para o batente com animação. Exame médico, novos companheiros, nova rotina de trabalho. No entanto, uma preocupação bem menos aparente começa a se instalar. É a saúde do local de trabalho. Vale a pena conferir, pois é nele que o profissional vai permanecer durante boa parte do dia e por um bom período de sua vida.
Por isso, nada mais justo do que conhecer a forma com a qual a empresa que tanto exige dos funcionários cuida da própria saúde. A maioria dos trabalhadores nem procura saber até que ponto a “firma” se baseia nos princípios de ergonomia, ciência que estuda os problemas relativos ao trabalho humano e define como as instalações devem ser organizadas para que cada funcionário desempenhe, satisfatoriamente, suas tarefas. Em linhas gerais, ela deve oferecer ao seu empregado bem-estar e segurança, traduzidos na oferta de ambiente, móveis e equipamentos de trabalho adequados.

Exigências da CLT

Essas condições também são exigidas das empresas pelo Ministério do Trabalho, inseridas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) - que regulamenta todas as relações trabalhistas. Para facilitar seu cumprimento, o próprio órgão se encarrega de respaldá-las por meio de uma Portaria, a de número 3.214, que detalha o que é indispensável à estrutura e à manutenção das instalações para proteção do trabalhador e a prevenção dos riscos ambientais.
Independentemente dessas exigências, é claro que aqueles que trabalham tendo saúde e bem-estar garantidos - seja no escritório, na fábrica ou na loja -não são os únicos beneficiados. O funcionário seguro e saudável mantém a assiduidade, produz mais e contribui de forma mais efetiva para o alcance dos objetivos e metas de sua equipe. “O ambiente dos edifícios modernos apresenta, em geral, janelas fechadas, carpetes grossos, acúmulo de papéis antigos ou em arquivos”, observa Maria de Fátima Emerson, especialista no tratamento de alergias. Conforme a médica, esses fatores, associados à limpeza superficial e inadequada dos pisos, móveis e especialmente dos aparelhos de refrigeração, favorecem a presença de ácaros e fungos, inimigos dos alérgicos.

Ar-condicionado e cigarro

Para a alergista, o aparelho de ar-condicionado merece uma atenção especial. É preciso observar rigorosamente os prazos de limpeza de filtros e dutos determinados pelos fabricantes. A limpeza dos primeiros deve ser muito mais freqüente do que a dos dutos - necessária, em geral, a cada seis meses. Ainda como parte da prevenção, a especialista recomenda que os ambientes profissionais, da mesma forma que uma casa, devem ser mais arejados e limpos com pano úmido. O poluente interno mais comum é a fumaça de cigarro. Por isso, em ambientes em que o fumo é permitido, mesmo os não fumantes têm aumento no risco de infecções respiratórias. “Com o tempo, o fumante passivo sofre as mesmas conseqüências para a saúde dos tabagistas”, lembra o especialista Antônio V. Malucelli, da Sociedade Paranaense de Cirurgia Torácica.

Ainda é comum encontrar empresas alheias ao uso de cigarro em suas dependências, mas um grande número já proíbe o fumo. Esta norma obedece a dispositivos legais. O médico observa que a Lei n.º 9.294, de 15 de julho de 1996, nos termos do parágrafo 4.º do art. 220 da Constituição Federal, proíbe o uso de cigarros, cigarrilhas, cachimbos ou de qualquer outro produto fumígeno em recinto coletivo, privado ou público, salvo em área destinada exclusivamente a esse fim, devidamente isolada e arejada.

Para completar os cuidados com a saúde no ambiente de trabalho, certos profissionais, como carpinteiros, marceneiros, cabeleireiros, operários da construção civil, químicos, ainda estão expostos a substâncias com o poder de piorar uma alergia respiratória (asma ou rinite) preexistente. “Por isso, a asma ocupacional pode ser induzida por agentes inaláveis em determinados ambientes de trabalho, na forma de gases e vapores”, reconhece Maria Emerson

4 Dê sua opinião:

Luciana Chichierchio disse...

Oi,Fátima!!!
Pois é,acho que seu e-mail estava com problema sim,pois ele voltou para minha caixa de entrada.Se tiver normalizado,depois eu mando novamente.Você só vai precisar do material em Maio,não é?
Um abraço!!!

Fátima disse...

Oi Luciana: já corrigi o problema. Por favor, reenvie o material.
Obrigada pela visita ao blog.

Doce Presença disse...

Olá, tenho língua geográfica, mas tenho uma alergia por debaixo da lingua que surgiu exatamente qdo começou essa alergia na parte inferior da lingua.. lingua geográfica afeta a parte inferior???

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Doce Presença: o seu relato não sugere que seja uma lesão decorrente da língua geográfica. Mas, não é possível afirmar pela internet, sem examinar pessoalmente. Obrigado pela visita ao Blog da Alergia.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...