Pular para o conteúdo principal

Mudanças de Tempo e Alergia


Ontem no Rio de Janeiro os termômetros marcavam 33ºC, o dia estava abafado e com sol. Hoje, a temperatura baixou para 21º, venta e chove. Quem aguenta?


Não é nova a idéia de relacionar alterações de saúde com o tempo, com a época do ano ou mesmo com fases da lua. A humanidade, desde tempos antigos, tende a associar certas condições meteorológicas com doenças. Por exemplo, não é raro que portadores de doenças reumáticas reclamem de piora da dor nos períodos de frio e umidade ambiental.

A conexão entre o clima e a saúde nem sempre é fácil de se observar e hoje já existe uma área de estudo denominada Biometeorologia ou Bioclimatologia. Trata-se de uma entidade multidisciplinar dedicada ao estudo da influência das condições climáticas sobre os organismos vivos, incluindo o ser humano.

No campo das doenças respiratórias alérgicas, em especial a Asma (ou bronquite alérgica) e a Rinite, é comum que pessoas associem o aparecimento de sintomas com fatores metereológicos, pois observam que surgem coincidindo com quedas de temperatura. Algumas referem até que os sintomas antecedem em horas a mudança climática. Crianças e idosos são particularmente vulneráveis às estas alterações.

Estes fatores podem ter um papel importante nas crises a tal ponto que o doente identifica apenas neles a causa de sua doença. Algumas pessoas chegam a afirmar que são “alérgicas à mudança do tempo”, o que não é verdadeiro.

Na realidade, a base é a tendência genética (hereditária) para alergia, gerando um aparelho respiratório inflamado que reagirá com mais facilidade ao ser provocado pela mudança súbita climática. Ou seja, este é apenas um fator agravador da doença mas não a causa. Não há uma “alergia ao tempo”, mas sim uma mucosa nasal ou brônquica inflamada e que reagirá à irritação causada pela variação climática.

Mudanças bruscas de tempo podem piorar a asma e a rinite, por algumas razões:
- O frio e a umidade atuam diretamente irritando a mucosa respiratória.
- Atuação sobre o sistema neurovegetativo de regulação da temperatura corporal variando o nível de reatividade do organismo e favorecendo uma maior sensibilidade (hiperreatividade) dos brônquios e, consequentemente, a crise de asma.
- Se esta mudança ocorre no inverno, somam-se ainda fatores como: favorecimento de viroses respiratórias (como resfriados e gripes); maior quantidade de mofo (fungos); aumento da população de ácaros e as modificações de vida, como a maior permanência no domicílio.

Como combater o problema?
- Beba bastante líquido no decorrer do dia, de preferência, fora de refeições.
- Tenha uma alimentação balanceada, incluindo consumo de frutas e verduras.
- Não fume
- Procure uma atividade física, caminhar ou praticar esportes, em especial a natação.
- Não tome banhos quentes.




E, principalmente, trate sua Asma e/ou Rinite de forma contínua e não apenas nas crises. Assim você estará combatendo a inflamação da árvore respiratória, adquirirá resistência e enfrentará bem estes períodos.



Comentários

  1. Mais um excelente texto. muito pertinente e bem estruturado.
    Olá Fátima, dou a minha autorização, pode reproduzir o meu último post no vosso magnifíco blog. É uma honra para mim.
    Um abraço, RS.

    ResponderExcluir
  2. Olá Rosa: obrigado pela sua visita. É um prazer visitar o "Criancices" e ler seus magníficos textos.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, isso é verdade. Minha rinite piora muito com a mudança de temperatura e onde eu moro (Juiz de Fora) isso é muito constante.

    ResponderExcluir
  4. Ira: a melhor maneira de enfrentar a mudança do tempo é tratar sua rinite mesmo que esteja bem. Quanto melhor a doença estiver controlada, melhor você enfrentará uma condição adversa como a mudança do tempo. Obrigado pela visita e volte sempre ao nosso Blog

    ResponderExcluir
  5. Caros, encontrei este site hoje ao procurar informações sobre mudança de tempo e alergia. O clima aqui em Brasília começou a ficar seco na semana passada e, com isso, a falta de ar voltou (sem chiado, só o ar preso na base da gargante e a pressão no peito). Além disso, ano passado comecei a desenvolver outros tipos de alergia, como rinite e sinusite forte, que nunca tinha tido só controladas por antibióticos! A asma sempre tive, desde criança (estou com 32 anos agora).

    Tenho algumas dúvidas:

    - Tratamento de homeopatia é bom para crises de asma? Estou fazendo há um ano e estava funcionando, mas ao trocar os remédios minha asma voltou.

    - Às vezes, só o Meticorten ajuda. Ele é mesmo tão ruim assim?

    - Vocês poderiam indicar uma boa clínica ou bom alergista aqui em Brasília? Já estou ficando desesperada, tentando de tudo para melhorar. Não aguento mais as faltas de ar, dores de cabeça, pressão na cabeça, cabeça pesada, além do medo de carpetes, mudança de tempo, de ficar o tempo todo em alerta para não ter crises! Além disso, ao viajar fico com medo de o hotel ser velho, ter mofo e estragar a viagem por conta das minhas alergias! Quero parar de viver com medo de crises de asma e sinusite.

    ResponderExcluir
  6. Lina: 1) A rinite e a asma são doenças "irmãs" que andam de "mãos dadas". A rinite parece uma doença simples, mas pode provocar muitas complicações. Envio em anexo uma cópia do meu livro sobre a rinite e espero que a ajude a entender melhor seus sintomas.
    2) Nosso grupo não utiliza a homeopatia como tratamento das doenças alérgicas.
    3) Meticorten é um corticóide, ou seja uma medicação sintetizada a partir de um hormônio do nosso organismo (cortisol). Por isso seu uso deve ser cuidadoso e sempre orientado pelo médico a fim de que se obtenham seus benefícios com um mínimo de efeitos colaterais. Se possível deve-se utilizar os corticóides inalados (tanto para asma como para rinite) pois não tem os mesmos perigos. 4) O site da ASBAI (www.sbai.org.br) tem um setor "Encontre o esecialista" onde poderá localizar um médico alergista em Brasília. Agradecemos sua visita.

    ResponderExcluir
  7. excelente texto, esclareceu bastantes dúvidas. uma das sobre banho quente, eu sempre achei que banho frio me deixava em crise, o que de fato acontecia. se tomo banho frio pela manhã passo o dia expirrando e com falta de ar.
    talvez eu tenha que mudar meu habito de banho quente e com o tempo melhore.

    ResponderExcluir
  8. Olá pessoal, estou seguindo o blog da instituição recentemente e parabenizo a iniciativa de utilizar as ferramentas midiáticas para contribuir com textos e esclarecimentos para a população, tenham certeza que o papel social da equipe está sendo redefinido a cada vez que vocês contribuem. Bem pessoal eu ultimamente estou sentindo uma espécie de desespero, por não saber quem procurar pra me ajudar e gostaria de contar com o apoio de vocês. Desde que nasci sofro com os sintomas da faringite e nunca fiquei curada, tenho trinta anos e sempre tomei antibióticos e antiinflamatórios. Mas desde março que sofro com uma crise atrás da outra de faringite, rinite e com rouquidão. Procurei um otorrino e fiz uma laringoscopia e acusou um refluxo, daí tomei pantoprazol (4 caixas, juntamente com um antibiotico), fiz o tratamento bem direitinho, depois procurei um gastro e na endoscopia não acusou nada, só uma gastrite moderada e o médico me passou um remédio Omeprazol estou tomando ainda esse remédio. Agora faz 1 semanda que estou com um pigarro e não entendo de onde que vem esse pigarro, pq não estou gripada, e estou tomando o Omeprazol e não tô sentindo nada de refluxo, tenho uma dieta balanceada, naõ como carne e nem frituras. Estou em dúvida pra qual profissional eu procure agora, devo procurar um alergista ou devo ir novamente num otorrino fazer uma nova laringoscopia, por favor peço que me ajudem, estou contanto com esse contato.
    Com todo apreço
    Elayne Chistian da Silva

    ResponderExcluir
  9. Elayne: aconselho que retorne ao seu gastro para avaliar se há algum motivo que possa estar mantendo o pigarro a despeito das medicações e da dieta adequada. Quanto às faringites, é preciso identificar se o refluxo é a única causa. E, também afastar uma possível alergia concomitante, já que nestes casos há necessidade de complementar com um tratamento imunoalérgico específico.Caso more no Rio, estamos ao dispor na Policlínica para uma orientação mais precisa. Gratos por sua visita e por seu carinhoso incentivo ao nosso trabalho voluntário neste blog. Aproveito a oportunidade para convidá-la. a assinar nosso blog e passar a receber nossos textos diretamente em seu e-mail.

    ResponderExcluir
  10. Olá gostei muito do texto, eu sou asmática alérgica, tenho rinite e sinusite, sou alérgica à todos os fatores indicados no teste de alergia por contato.
    Moro no sertão da Bahia e quando o tempo está muito seco, sinto falta de ar, fico agoniada.
    Outra coisa que observo é que quando o tempo esta seco e muda para chover meu nariz sente que a chuva se aproxima, isso em desencadeia um enorme crise alérgica, li uma vez, noão lebro onde, que isto acontece porque antes da chuva vem sempre uma leva de poluição e bacterias.

    ResponderExcluir
  11. Obrigado por seu depoimento. Cada pessoa tem suas características próprias e que devem ser valorizadas. Muitas vezes com pequenos cuidados preventivos, podemos ter grandes ganhos no tratamento do alérgico. Gratos por sua visita.

    ResponderExcluir
  12. Eu sofro bastante.moro em manaus e o clima é inconstante.resultado : inalador em casa.vou ao otorrino p tratar a rinite,mas tenho notado que as crises asmaticas vem aumentando,entao,eu vou ao.pneumologista....eu fico cansada mt rapido,ate p flr... faço caminhada,mas confesso que tenho q melhorar a dieta...

    ResponderExcluir
  13. Priscila: o seu relato sugere que a causa dos seus sintomas esteja relacionada à alergia. O ideal é que você procure um alergista pois assim poderá tratar a base do problema e melhorar tanto a asma como a rinite. As vias respiratórias são contínuas, intimamente ligadas e por isso o tratamento também deve ser unificado. Para localizar um alergista em Manaus, procure no site da ASBAI: www.asbai.org.br no setor: Localize um especialista. Basta digitar o Estado, a cidade e abrirá uma lista com os nomes de especialistas em sua cidade. Aproveito a oportunidade para convidá-la a assinar nosso blog e passar a receber nossos textos diretamente em seu e-mail.

    ResponderExcluir
  14. Olá! adorei seu texto! Eu sempre tenho tosse seca e muita coriza, por conta disso também o pigarro. Sempre que muda o tempo fica pior, às vezes percebo que começa a atacar antes da mudança climática. Já fiz exames alérgicos e não deu nada... não sei como combater essa tosse e coriza que não sai de mim o ano todo...

    ResponderExcluir
  15. Vivian: a mudança de tempo não causa a alergia mas pode agravar sintomas. Por isso alguns testes podem ser negativos. É preciso analisar seus dados clínicos de forma criteriosa e pessoalmente para definir a causa da tosse. Agradecemos sua visita ao nosso blog.

    ResponderExcluir
  16. Olá sei que quando chove sobe a umidade do ar, tenho piscina em casa meu quintal e pequeno, será que isso favorece ainda mais para ter crise, LILIAN.

    ResponderExcluir
  17. Lilian: é pouco provável que a piscina seja um fator agravante de sua alergia. Mas não há como afirmar sem examinar pessoalmente. Estamos ao seu dispor na Policlínica RJ para avaliar seu caso e orientar de forma mais apropriada. Gratos por sua visita.

    ResponderExcluir
  18. Bom dia.
    Minha filha tem 2 anos e 9 meses e esta com crises recorrentes de asma! Esteve internada duas por conta de dispinéia e pneumonia!
    Ela possui alergia a pó de casa e refluxo diagnosticado!
    Para o refluxo foi receitado ameprasol e para as alergias ela esta tomando anti alérgico zyxem, para controle da asma ela iniciou flixotide . Porém tenho dificuldade em manter os tratamentos pois meu esposo tem "medo" do uso contínuo destes medicamentos (omeprasol e flixotide principalmente) e me questiona diariamente sobre a minha posição sobre o tratamento e muitas vezes critica a minha postura em menter o tratamento confome receitado pelo pneumo.
    Dito isso, minhas dúvidas são:
    Quais os riscos claros do uso dessa medicação para a saúde da minha filha? E a medicação de resgate (salbutamol) pode ser utilizada por quanto tempo?
    Obrigada

    ResponderExcluir
  19. As medicações podem ter efeitos colareias, mas o risco da asma sem controle é certamente maior para a criança. Quanto melhor a asma estiver controlada, menos sua filha precisará da medicação de resgate. Sugiro que seu esposo vá à consulta para que seja orientado Se vocês morarem no RIo, estão convidados para a reunião da Associação Brasileira de Asmáticos (www.asmaticos.org.br) que tem reuniões mensais na Tijuca para orientação de asmáticos e seus familiares. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  20. Gostei. Meu filho tem alergia atopica e choveu e baixou a temperatura, foi dormir bem porém duas da manhã começou a tossir. Não sei se é normal. A gente fica desesperado na madrugada.

    ResponderExcluir
  21. Algumas pessoas podem ter sintomas da alergia agravados pela mudança do tempo. É indicado avaliar seu filho para definir se ele estava realmente bem ou se tinha sintomas muito leves que estavam passando despercebidos e que agravaram, fazendo com que a tosse tenha surgido no meio da noite. Converse com o(a) alergista que trata dele para que seja orientada de forma adequada para ele. Gratos por sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  22. Estou com machinhas vermelhas tipo bolinhas bem pequenas.nos ombro a de de nas costas. E atraz nas costas coça muito estou sempre pedindo alguem para ficar coçando. No quando ta tempo menos quente fica clarinho meu braço agora quando ta sol fico com eles avermelhado e as costas coça mais ainda e também todos falam que estou muito enchada nos braços ? Oque sera isso ? Me ajuda.. Já estou a algum tempo assim.

    ResponderExcluir
  23. Maria: sinto muito, mas não é possível fazer diagnóstico das "manchinhas" que descreve sem examinar sua pele. Avaliar pela internet pode gerar erro. Recomendo uma consulta com alergista para que este possa avaliar o seu caso, conduzir a investigação diagnóstica e indicar o tratamento adequado para você. Agradecemos sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  24. Olá! e chamo Bento.

    Eu tenho crises de rinite todo inicio de inverno, e a sequencia é sempre a mesma: garganta irritada, depois vem a coriza, depois a tosse, muito corrimento e excreções e que vai amenizando depois de 7 dias. Descobri que se eu tomo uma injeção de Diprospan no início da crise, em 2 dias ela se vai. O farmacêutico indica tomar de 6 em 6 meses no máximo! Mas este ano eu já tinha tido uma crise em maio e estou com ela de novo, e que surgiu justo nessa massa de ar quente. Moro em Campos do Jordão e enquanto estava muito frio eu suportei, mas na mudança para o aquecimento brusco da temperatura a crise voltou. Ví aqui que vocês falam em tratar a rinite, principalmente quando estou bem... Como faço isso? E o que podem falar a respeito do meu caso?

    Agradeço

    ResponderExcluir
  25. Olá Bento, boa tarde. Seu relato é de sintomas relacionados a Rinite, que pode ser alérgica ou não. O Diprospan é um corticosteroide de longa ação, e como todo medicamento (principalmente por se tratar de um costicosteróide) requer cuidados no seu uso, e recomendamos que não o faça sem orientação médica. O tratamento da Rinite ou de qualquer outra doença alérgica é sempre voltado em você não mais entrar em crise, ter estabilidade e qualidade de vida, e não ficar fazendo medicações de resgate o tempo todo. O tratamento varia de acordo com seu exame e sintomas, e mantê-lo bem é o grande foco. Procure um especialista, tire suas duvidas, investigue seu caso. Obrigado pelas perguntas e pela visita.

    ResponderExcluir
  26. Olá,

    Gostaria de indicação de um médico especialista em asma (alergologista) em Juiz de Fora..

    ResponderExcluir
  27. Boa tarde. Para localizar os médicos portadores de título de especialista em Alergia em Juiz de Fora, sugiro que acesse o site da ASBAI: www.sbai.org.br Procure a aba onde está escrito: "Público" e depois clique em “Localize um especialista”. Abrirá um campo para preencher os dados: clique no Estado desejado (UF) e depois escolha a cidade. Ao final, clique em "Enviar" e abrirá uma lista com os nomes de especialistas na localidade desejada. Gratos pela visita.

    ResponderExcluir
  28. Olá, meu esposo toda vez que tem uma mudança de clima. Principalmente pro frio ele começa com um crise de espirros, secreção nasa, como se estivesse resfriado, garganta dói de tanto espirrar. Não sei o que fazer. Dou chá ou istamin para amenizar mas alivia muito pouco

    ResponderExcluir
  29. Estela Bom dia. O seu relato sugere que seu esposo possa ter uma rinite Mas, não é possível afirmar sem examinar. Sugiro que leve seu esposo a um(a) alergista em sua cidade. Gratos por sua participação no Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  30. Boa tarde meu nome é Andréia desde que minha filha nasceu os medicos dizem que ela tem alergia mais nao sabem do que hj ela esta com quase 9 anos e continua com as crises que começa com febre e logo ja irrita garganta e aumenta adenoide gerando roncos e dificuldade pra dormir e la vai antibioticos de novo e sempre qundo o tempo muda pra chuva ela fica pior ainda, ja passei ela em um alergista que passou o esalerg nao achei que melhorou tbm passei ela varios otorrino e eles dizem que adenoide dela ta aumentada que é bom fazer cirurgia e o pediatra dela disse que nao precisa não sei mais o que fazer, estou pensando em passa-la em um alergista em sao jose dos campos que dizem que ele faz umteste subcutaneo e consegue descobrir do que ela tem alergia..desculpa pelo desabafo grande rsrs é que estou meio perdida mesmo.

    ResponderExcluir
  31. Andreia Boa tarde O seu relato sugere que sua filha tenha uma rinite alérgica. Neste caso, vários fatores podem estar envolvidos. Para localizar os médicos portadores de título de especialista em Alergia em sua cidade, sugiro que acesse o site da ASBAI: www.sbai.org.br Procure a aba onde está escrito: "Público" e depois clique em “Localize um especialista”. Abrirá um campo para preencher os dados: clique no Estado desejado (UF) e depois escolha a cidade. Ao final, clique em "Enviar" e abrirá uma lista com os nomes de especialistas na localidade desejada. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  32. Boa tarde no meu caso toda vez que o tempo muda de quente para frio minha respiração fica esquisita parece meio ardida...o que pode ser?

    ResponderExcluir
  33. Boa noite. É provável que você tenha um grau de reatividade aumentada dos brônquios e a mudança de tempo pode causar sintomas em pessoas predispostas. Obrigado por sua participação no Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  34. Tenho asma a um ano, desde então já fiz de tudo e não consigo sair dá crise, tomo antibióticos injetáveis, pois os orais não funcionam mais, fiz todos os exames, passei por um monte de pneumologista e alergia, mas a única conclusão que obtive foi variação climática é fator irritante. Não sei mais o que fazer tomo corticóides orais, injetveis, inalatorios e não resolve, prático natacao, academia, faço regime, emagreci 18!Kg em 9 meses. Me dê uma luz por favor. Estou desesperado, alguém me ajuda por favor.

    ResponderExcluir
  35. Kleber: Gostaria de poder ajudar, mas não é possível orientar pela internet. Avaliar pela internet pode gerar erro. Existem tratamentos específicos para a asma de difícil controle. Mas trata-se de um tratamento individualizado, ou seja é preciso examinar para indicar. A nossa equipe médica está ao seu dispor. Gratos pela visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir
  36. Oi minha meu quanto está muito úmido as paredes toda mofadas e comecei a tossir depois disso pode ser alérgico

    ResponderExcluir
  37. Ana Paula Boa tarde A presença de mofo, umidade e infiltração em seu quarto facilita o aparecimento de ácaros no ambiente e pode agravar as alergias. Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Antialérgicos ou Anti-histamínicos

Histamina é o nome da substância química mais famosa envolvida nas reações alérgicas. Quando a histamina é liberada, provoca dilatação e inchação dos vasos, bem como aumento secretivo e coceira. No caso da rinite, a presença da histamina ocasiona coceira, espirros, coriza e bloqueio nasal. Na urticária provoca placas avermelhadas com muita coceira na pele. Na alergia ocular, resulta em coceira, avermelhamento e irritação da conjuntiva dos olhos. Na dermatite atópica pode ajudar no controle da coceira, que é intensa e prejudica a pele, agravando a doença.
Desde a década de 30 observou-se que era possível aliviar os sintomas da alergia usando remédios que antagonizassem com a histamina. Mas, só na década de 40 foi lançado o 1º remédio anti-histamínico. Desde então, o conhecimento só fez crescer e hoje dispomos de muitos remédios com esta finalidade.
É importante lembrar que a histamina não é exclusiva da alergia pois participa também de outras doenças. Por isso, hoje existem anti-histamín…

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano.
Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico.
Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madeira de alta resist…

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert.
Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa.
É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça


Quadro clínico.