14 maio 2007

Uma lembrança de outrora

Nas décadas de 40 e 50, os bondes circulavam pelo Rio de Janeiro e estampavam em suas paredes cartazes de propaganda. Alguns ficaram na lembrança, como o reclame do Rhum creosotado, famoso xarope da época:

“Veja, ilustre passageiro,
O belo tipo faceiro
Que o senhor tem ao seu lado.
E no entretanto, acredite:
Quase morreu de bronquite.
Salvou-o Rhum Creosotado.”

Mais tarde, serviu de inspiração para uma bela crônica,
escrita por Eduardo Festugato, médico de Caxias do Sul:

..Ilustre passageiro deste superlotado e barulhento bonde que é o mundo em que vivemos:
ainda há tempo de parar, olhar para o lado e apreciar "o belo tipo faceiro" que é a vida, o amor e o "agora": uma casa alegre, batida de sol, parreiral repleto de uvas e cigarras, e o cheiro bom da comida sendo preparada com carinho - o afeto é o melhor dos temperos!
Os minutos de paz vividos com nossos afetos não têm preço:
são inavaliáveis.
A única coisa boa que se lega, ao morrer, são os afetos.

0 Dê sua opinião:

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".