21 dezembro 2006

Café melhora a asma?

Este texto responde a uma dúvida de um internauta.

Esta história é antiga e remonta aos idos de 1700 com William Withering, médico e botânico inglês, continuando por volta de 1860 com Henry Hide Salter, médico e também asmático, que foram os primeiros a afirmar que o café forte estaria indicado no tratamento da crise de asma.

È sabido que nos tempos antigos, quando não estavam disponíveis medicamentos adequados, os asmáticos recorriam por vezes ao café para reduzir os efeitos das crises. Acreditava-se que numa emergência, tomar algumas xícaras de café forte poderia proporcionar alívio.

E por que?

A razão seria porque a cafeína é um componente natural do café e quimicamente semelhante à teofilina, um broncodilatador.

A teofilina é um medicamento sintetizado em 1900, usado no tratamento da asma a partir da década de 40, auxiliando no alívio da falta de ar e dos sintomas das crises.

Entretanto, embora tenha sido bastante utilizado com eficiência por muitos anos, os estudos posteriores evidenciaram uma atuação sujeita a efeitos tóxicos com muita facilidade. A teofilina atua numa faixa estreita de ação (entre 5 e 20 microgramas /ml), sendo este potencial tóxico dependente da dose. O risco é maior nas doses acima de 20 microgramas/ml; sendo ideal que o seu uso seja monitorizado através de dosagens sanguíneas séricas. Além disso, o metabolismo dos medicamentos que contém teofilina sofre a influência de inúmeros fatores (idade, sexo, presença de outras doenças ou de remédios concomitantes, hábitos alimentares, etc), prejudicando o efeito final.

Por tudo isso e aliado ao fato de que surgiram novos remédios com maior capacidade de tratamento e prevenção da asma, o uso destes medicamentos diminuiu significativamente nas ultimas décadas.

E o café?

Quanto ao café, este pode ser um hábito agradável e delicioso para muitas pessoas, mas não dá para afirmar que a asma melhoraria apenas com a sua ingestão. Para isso, seria necessária uma quantidade tão grande que não valeria a pena, já que os efeitos adversos são dose-dependentes.

2 Dê sua opinião:

Anônimo disse...

Passei 3 dias internada com infecção respiratória quando recebi alta o médico passou um tratamento de 7 dias com o antibiótico ciproflaxino. Um xarope e uma vitamina. Só que ainda continuo sentindo falta de ar e ainda dói quando respiro. Oque faço?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

A conduta mais adequada é retornar ao seu médico para que seja re-examinada. Assim será possível avaliar a causa do problema. Avaliar pela internet, baseado apenas nos poucos dados enviados pode gerar erro. Agradecemos sua participação no Blog da Alergia.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...