23 novembro 2006

Imunoterapia

Imunoterapia é o nome dado ao tratamento realizado com as vacinas para alergia, constituído por extratos de substâncias inaláveis, como por exemplo, os ácaros da poeira de casa, diluídos em condições especiais.

As vacinas são empregadas com a intenção de atuar na inflamação alérgica e para diminuir a sensibilidade aos alérgenos. A imunoterapia está indicada nos casos de asma e rinite alérgica, ou seja, naqueles pacientes que apresentam crises por poeira domiciliar, ácaros, pêlos de cão e gato, pólens e mofo.

Embora a imunoterapia seja mais conhecida com o nome de "vacinas para alergia", este é um termo inadequado. O que significa a palavra vacina? Em seu sentido literal, significa um medicamento que deve ser utilizado para a prevenção de determinadas patologias. Por exemplo, toma-se vacina contra o sarampo para que não se contraia a doença. Isto não ocorre desta forma com o uso das "vacinas para alergia": o fato de utilizá-las não torna o paciente imune às doenças alérgicas. Na verdade, gradativamente a pessoa passa a reagir de forma mais branda à estímulos que o levariam a crises antes do tratamento, até que a reação apresentada não seja suficiente para que surjam os sintomas alérgicos.

A imunoterapia age sobre várias células e sistemas, resultando na diminuição do processo inflamatório na árvore respiratória e numa capacidade maior de resistência aos fatores que o levariam às crises. O nome mais correto é: imunoterapia específica com extratos alergênicos.

O preparo da vacina deve ser feito de modo específico, ou seja, de acordo com a história de cada pessoa e com o resultado dos testes alérgicos. A conservação da vacina deve ser feita a uma temperatura de cerca de 8º, que é encontrada na porta das geladeiras. A potência imunogênica das vacinas fica muito diminuída quando este item não é observado.

A imunoterapia deve ser encarada como parte do tratamento global da Asma e da Rinite Alérgica. De importância inegável, as "vacinas para alergia" não devem ser utilizadas isoladamente, mas sim integradas ao tratamento medicamentoso e às medidas de controle ambiental.

31 Dê sua opinião:

Carlos Emerson Junior disse...

Interessante esta visão da vacina para alergia. Nunca tinha pensado nisto. Mas como popularmente é assim que chamam a imunoterapia, vamos em frente.
Excelente artigo e bem elucidativo (para falar difícil)!

Anônimo disse...

Interessantíssimo esse artigo, mas fiquei na dúvida: A vacina oral (criança menor de 2 anos) é tão satisfatória quanto a vacina subcutânea?

Equipe PGRJ disse...

A imunoterapia sublingual poderá ser indicada em casos específicos. O uso de vacinas de estoque encontrada em farmácias não tem valor terapeutico comprovado.

Anônimo disse...

Muito interessante esse blog, parabens pela iniciativa. Eu gostaria de saber se a rinite causada pelo ar seco e poluicao pode ser tratada pela imunoterapia, e se o tratamento poderia ser feito a distancia (moro nos Estados Unidos e vou ao Rio cerca de 2 vezes ao ano). Obrigada, Thais

Equipe PGRJ: disse...

Thaís: não há como julgar a indicação de uso da imunoterapia sem examiná-la pessoalmente. O requisito básico é que sua rinite tenha origem alérgica. No entanto, nada impede que uma pessoa portadora deste tipo de rinite piore seus sintomas em locais poluídos. Da mesma maneira, é muito difícil manter o tratamento à distância pois a cada troca da diluição, é importante acompanhar a resposta clínica do paciente, que norteará esta modificação. Caso queira, escreva para nosso email e enviarei uma cópia em PDF do nosso livro sobre a rinite: "É mais feliz quem respira pelo nariz". Um abraço e volte sempre.

Equipe PGRJ: disse...

Thaís: não há como julgar a indicação de uso da imunoterapia sem examiná-la pessoalmente. O requisito básico é que sua rinite tenha origem alérgica. No entanto, nada impede que uma pessoa portadora deste tipo de rinite piore seus sintomas em locais poluídos. Da mesma maneira, é muito difícil manter o tratamento à distância pois a cada troca da diluição, é importante acompanhar a resposta clínica do paciente, que norteará esta modificação. Caso queira, escreva para nosso email e enviarei uma cópia em PDF do nosso livro sobre a rinite: "É mais feliz quem respira pelo nariz". Um abraço e volte sempre.

Mulher Bombril disse...

eu simplesmente amei esse blog, pois meu filho tem quase tres anos e começou a ter crises de asma bronquica ha pouco tempo. Nao conseguimos ainda encontrar as causas. ja fizemos o exame de sangue que acusou alergia a poeira caseira, acaros de mudança de tempo e outros. tambem descobrimos uma sinusite. Isso seria o suficiente para desencadear crises de asma? enfim, adorei o site, gostaria de receber uma copia do livro citado acima e tambem gostaria de dicas de farmacias de manipulação que fabriquem as vacinas prescritas pela alergista e enviem por sedex, pois moro em Saquarema RJ. Muito grata desde já e um abraço a todos vcs. Parabens pelo blog.
Kessia

equipe PGRJ disse...

Kessia: obrigado pelo incentivo ao nosso trabalho. 1. àcaros são a causa mais comum de asma e rinite na infância. 2) Rinossinusite pode se associar e agravar a asma. 3) a imunoterapia não é vendida em farmácias, mas sim preparada pelo próprio alergista. Quanto ao livro, escreva para nosso email (blogdalergia@gmail.com) e receba sua cópia. Abraços e obrigado pela visita.

Anônimo disse...

gostaria de receber copia do livro é mais feliz quem respira pelo nariz obrigada pois tenho 2 filhos que tem rinite e tosse muito as noites são um pesadelo em cada mudança de tempo obrigada novamente

Joseli disse...

Olá, eu e meu filho temos rinite alérgica e nessa época do ano, ficamos atacados, confesso que já não sei o que fazer para evitar.
Já fiz tratamento com homeopatia, as vacinas são caras.
Gostaria de receber cópia do livro: É mais feliz quem respira pelo nariz.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Escreva para nosso email: blogdalergia@gmail.com para que possa encaminhar a cópia solicitada. Obrigado por sua visita e pela participação em nosso blog.

Anônimo disse...

Olá, venho postando algumas dúvidas neste Blog maravilhoso que presta um serviço excelente aos "Alérgicos".
Meu filho de 4 anos e fez tratamento durante 1 ano com vacina sublingual sem resultados. Iniciou o tratamento com Singulair há cerca de 40 dias e desde então sua melhora foi acentuada nos sintomas da rinite, no seu caso, tosse resistente, no início seca e depois com secreção. Nesta semana ele iniciou o tratamento com vacina injetável(fase 3)(ácaros domésticos) e após três dias iniciou-se um quadro de congestionamento e febre em torno de 38°. Hoje é o 3° dia com febre (espaçada em 12 horas) e ele apresenta um grau excessivo de congestionamento, porém como ele se queixou de dor no ouvido o levamos ao pediatra que nos disse que o ouvido estava sequinho e que possivelmente seria um quadro de virose. A minha dúvida é se este quadro poderia ter sido desencadeado pelo início do tratamento com a vacina?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Não tenho condições para afirmar sem examinar seu filho pessoalmente. Contudo, seu relato não é típico de uma reação à imunoterapia. Aconselho que retorne ao alergista e exponha seu temor: ele conhece os dados clínicos do seu filho e poderá orientar de forma mais adequada. Em nome da equipe, agradeço seu incentivo ao nosso trabalho voluntário neste blog. Volte sempre.

Anônimo disse...

Estou muito feliz por ter encontrado este blog na internet . Minha rinite alérgica foi diagnosticada à 2 anos atráz e consultei 2 médicos OTorrino...Confesso que o segundo médico me deu mais segurança com relação ao tratamento pois me prescreveu ( histadin) associado a budesonida 64mg . O motivo da minha rinite com certeza é proveniente destes ácaros(FDP),mas acredito que o fato de eu gostar de carpete e tapete também tenha uma influência ,o piso do meu quarto é taco e eu utilizo um carpete para deixar mais bonito.Já lí diversos artigos sobre esta doença na Net e estou bastante satisfeito com o que lí aqui , enriqueceu bastante minha concepção sobre rinite ,em especial ao fato de tal doença estar relacioanada a higiene do ambiente. Com Relação a Imunoterapia , isto pra mim é novidade e nenhum médico me falou a respeito. Gostaria de receber este arquivo em pdf tambem , e tenho Dúvida a respeito de minha garganta.Tenho a amigdala direita inflamada e tomo um antibiótico( Cefagel ) sem meu médico saber , pois é o unico medicamento que me ajuda a desenflamar minha garganta , combater essa secreção horrivel que sai da minha garganta.Foi um farmaceutico que me indicou e tomo de vez em quando me ataca a garganta.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

1) A imunoterapia é realizada pelo médico especialista em Alergia, baseado nos dados de seu histórico clínico, exame físico e testes (na pele ou no sangue. 2) O envio do arquivo em PDF do nosso livro sobre a Rinite intitulado "É mais feliz quem respira pelo nariz" é feito através de e-mail. Escreva para blogdalergia@gmail.com para que possamos enviá-lo para você. 3) Como encontrar um alergista? procure no site da ASBAI (www.sbai.irg.br), que disponibiliza um setor "Encontre um especialista" com os nomes de todos os médicos portadores de título de especialista em todo o Brasil. Assim você poderá localizar um alergista próximo de sua residência. 4) O tratamento da rinite se acompanha de melhora dos sintomas na garganta na maioria dos casos, já que é a presença repetida dos sintomas nasais é que perpetuam os sintomas da faringe. Agradecemos sua visita e aproveitamos para convidar a assinar nosso blog, passando a receber nossos textos diretamente em seu e-mail.

Anônimo disse...

Boa noite!!!! tenho 28 anos e sofro com problemas alergicos desde que nasci, bonquite asmatica na infancia e em seguida vieram rinite, sinusite e dermatite atópica. ja passei em muitos medicos, otorrinos, alergistas e dermatos, porem somente a dermatite esta sob controle, ja a rinite se faz presente 365 dias no ano... gostaria de uma orientaçao. tomar uma injeçao de Diprospan tem o mesmo efeito de um tratamento com Predinisona? obrigada paula

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Não, Paula. Diprospan é um produto injetável contendo corticóide (cortisona) em doses altas. Além disso, sua eliminação é lenta no organismo. Por isso, o uso repetido aumenta sobremaneira a possibilidade de efeitos colaterais. O uso continuado pode levar a uma série de efeitos colaterais graves como a osteoporose, hipertensão arterial, cataratas, diminuição da imunidade, aumento de peso, entre outros. Só deve ser usado com estrita indicação médica. O tratamento atual da asma (ou bronquite) e da rinossunisute alérgica baseia-se no uso de medicamentos inalados - por via oral e/ou nasal. São eficientes no controle da doença, agem diretamente na mucosa respiratória, permitindo o uso de doses muito menores e muito mais seguras. caso more no Rio, estamos ao seu dispor na Clínica de Alergia da Policlínica Geral RJ.

Anônimo disse...

Gostaria muito de receber a cópia em pdf do livro É mais feliz quem respira pelo nariz.Eu tenho um filho asmático e sofre com rinite principalmente no inverno.Obrigada1 Já mandei meu endereço de email.Yoná

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

A cópia do livro só pode ser enviada através de e-mail. Basta escrever para blogdalergia@gmail.com para que possamos atendê-la.Gratos por sua visita.

Michele disse...

Olá! Há 17 anos atrás comecei o tratamento com imunoterapia em função da minha rinossinusite que me acompanha a vida inteira. Naquela época fiz o tratamento inicial e depois parei devido ao custo e a dificuldade em ir ao médico (morava numa cidade distante da do médico). No entanto, mesmo não concluindo, melhorei por vários anos. Agora, já com 30 anos, voltei a fazer a imunoterapia, mas se passou mais de um ano de tratamento e continuo sofrendo muito com minha rinossinusite e tenho com frequência dor no ouvido esquerdo. Conversei com meu médico e ele sugeriu interromper o tratamento e aguardar minhas reações. Se não deu resultado em um ano, é possível que não dê nos seguintes? Eu sofro muito com isso e achei que tinha reencontrado a solução para meu problema. Moro no sul e o inverno é o pior período para mim. Há possibilidade de os extratos alergênicos não serem dosados suficientemente? Desde já agradeço pela atenção e pelo espaço disponibilizado. Michele Librenz

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Michele: a imunoterapia está indicada nos casos onde a alergia é identificada através da análise clínica do paciente e dos testes (na pele ou no sangue). Este tratamento deve ser utilizado com extratos padronizados e específicos para cada paciente. Nas primeiras fases do tratamento é feita a indução, seguida da manutenção. Além disso,além do tratamento com vacinas é importante corrigir os fatores desencadeantes (e/ou agravantes) da rinossinusite alérgica, que variam em cada caso. Sendo assim, a consulta médica é essencial para que se possa conhecer o seu caso e assim julgar seu tratamento para poder fazer uma orientação personalizada. Os dados que envia não são suficientes para que eu possa julgar a(s) causa(s) do insucesso no tratamento. Agradecemos a visita ao nosso blog.

Anônimo disse...

Olá, meu filho tem três anos e iniciou um quadro asmático há pouco tempo, e de acordo os exames é de origem alérgica a ácaros (classe VI). A pneumologista indicou a imunoterapia. vcs acham que esse acompanhamento deve ser feito por um alergologista ou posso continuar apenas com o pneumo? Desde já agradeço a atenção e parabéns por este espaço.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

A imunoterapia específica deve ser prescrita e administrada por médico portador de título de especialista em Alergia e Imunologia. Agradecemos sua visita e seu incentivo ao nosso trabalho voluntário neste blog.

Anônimo disse...

olá..de vez em quando faço uso do neo soro,pois meu nariz fica bastante congestionado,jj sem prescrição medica..já ouvir falar que ele "vicia" ou seja depois que o usamos exageradamente não conseguimos ficar sem ele,isto é verdade?

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Os medicamentos contendo vasoconstritores para uso nasal (ex neosoro) pode causar vício e outros problemas de saúde. Além disso, podem provocar dependência e a chamada rinite medicamentosa. Aconselho que procure um alergista para iniciar um tratamento mais adequado para seu caso. Estamos ao dispor na Policlínica RJ Gratos pela visita.

Anônimo disse...

BOm dia, tenho uma filha de 2 anos que desde os 8 meses apresenta uma tosse insistente, principalmente noturna. Não conseguimos relacionar tal tosse com clima. Em geral ela se agrava quando acompanhada de algum resfriado. Já levamos ela num alergista, pneumologista além dos pediatras. Os diagnósticos geralmente são de renites e sinusites e os tratamentos, fatalmente, acabam sendo à base dos malditos corticóides (orais e nasais) para desinflamar os brônquios e tal. Outra informação importante é que a família de meu pai tem um histórico de alergias respiratórias muito forte. Eu mesmo sofri por muito tempo até me mudar para Brasília, onde o clima acabou me favorecendo. Vocês acreditam que o tratamento com imunoterapia para ela, com apenas 2 aninhos, pode vir a ser eficiente? Ela tomou singulair por algum tempo e acabamos interrompendo o uso. Agradeço antecipadamente a atenção de vocês. Maria Luiza

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Maria Luiza: a rinite alérgica parece uma doença simples e sem importancia, mas na verdade pode provocar muitas complicações, incluindo quadros de infecções (exemplo - sinusite) e tosse. Se for confirmado o diagnóstico, o tratamento com vacinas (imunoterapia) é eficaz controlando a alergia, evitando crises e os episódios infecciosos. Escreva para nosso e-mail e receba gratuitamente a cópia em PDF do livro sobre a Rinite alérgica intitulado: “É mais feliz quem respira pelo nariz”.

Claudia disse...

Olá minha filha tem rinite alégica e asma e iniciou tratamento com vacinas da Policlinica,é a terceira dose e a cada dose inicia-se uma crise de rinite.Gostaria de saber se isso é esperado e se poderá piorar ainda mais nas próximas doses.
Aguardo resposta.
Obrigada

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Claudia: a reação que descreve não é habitual. As aplicações da vacina não provocam crises. Aconselho que retorne ao atendimento para que sua filha seja examinada e orientada de forma apropriada.

Anônimo disse...

Olá,
O alergista do meu filho de 9 anos prescreveu imunoterapia para ele, devido ao IGE altíssimo e sintomas crônicos. Porém, ainda estou insegura em iniciar este tratamento, por medo dos componentes que serão injetados no organismo do meu filho, e porque sei que ele sofrerá com as picadas semanais. Pergunto: Quais são os componentes da "vacina"? Há mercúrio? Conservantes? E a imunoterapia oral, realmente é menos eficaz que a injetável? (o alergista dele não trabalha com a oral). Obrigada, Isis

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

isis: a imunoterapia é preparada em solução salina e não leva mercúrio. É segura e proporciona melhora dos sintomas e diminuição das crises e do uso de remédios. A imunoterapia oral tem menos estudos específicos (é mais recente) mas tem apresentado resultados demonstrando eficácia. Contudo, a indicação varia em cada caso e depende de uma avaliação pessoal do caso do seu filho. Gratos pela visita.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".