19 novembro 2006

Asma nos idosos: um problema crescente

Houve um tempo onde a vida média das pessoas não chegava aos 40 anos. Hoje, a expectativa de vida cresce, na medida em que os conhecimentos médicos se aliam à tecnologia, proporcionando condições cada vez mais favoráveis para uma velhice saudável.

A asma durante muitos anos foi considerada uma doença da infância, mas hoje ocupa uma prevalência cada vez mais alta na terceira idade. Uma crise de asma pode surgir pela primeira vez após os 60 anos de idade, ou ainda, uma pessoa que teve asma na infância pode voltar a ter sintomas na terceira idade. Entretanto, uma pessoa idosa pode ter falta de ar, tosse ou chiados e não ser asma. Por isso, deve-se ter o cuidado de procurar um médico especialista para confirmar o diagnóstico.

Modificações do aparelho respiratório na terceira idade:

As vias respiratórias e os pulmões tendem a se modificar com a idade, mesmo numa pessoa saudável. Verifica-se com freqüência uma menor expansão do tórax e menor elasticidade dos pulmões, podendo resultar em prejuízo da função respiratória. Além disso, a defesa e a imunidade também se alteram e tendem a diminuir, fazendo com que o idoso tenha maior facilidade em contrair infecções respiratórias.

O que é asma ?

A asma é uma doença que acomete o aparelho respiratório e que se acompanha de uma inflamação crônica dos brônquios. Durante uma crise asmática, o interior das vias respiratórias fica inchado, os músculos que envolvem os brônquios ficam contraídos e ocorre uma grande produção de muco(catarro). A asma é também conhecida como bronquite, bronquite asmática ou ainda como bronquite alérgica.

Como surgem as crises?

Os brônquios inflamados reagem com mais facilidade à vários estímulos, como por exemplo: poeira, gripes, mudança de temperatura, etc. com prejuízo à passagem de ar e provocando sintomas - falta de ar, sensação de aperto no peito, chiado, tosse e cansaço.

O tratamento do idoso é diferente?

Não, o tratamento teoricamente é igual a qualquer pessoa, sendo utilizados remédios aliviadores (broncodilatadores) e controladores (antinflamatórios). Mas, é importante ressaltar que para tratar qualquer tipo de asma, o ideal é atuar sobre as causas e sobre os fatores agravantes da doença.

Os remédios inalados podem ser usados por idosos?

Sim. A melhor maneira de usar remédios para a asma é por via inalada: é mais seguro e o efeito é mais rápido. Além disso, tendem a provocar menores efeitos colaterais do que os xaropes e comprimidos por atuar diretamente sobre as vias respiratórias que estão afetadas pela doença. Estão liberados para uso nos idosos, mesmo naqueles que tenham outros problemas de saúde, como por exemplo, uma hipertensão arterial ou um diabetes, desde que sejam utilizadas da maneira correta e sob orientação do médico.

O uso regular dos medicamentos preventivos por via inalada tende a diminuir a inflamação dos brônquios a longo prazo, levando a uma melhora geral da doença.

O que fazer se um idoso tem asma?

- Converse com o médico e tenha as orientações por escrito do tratamento preventivo e sobre os cuidados que deverão ser tomados em caso de crise.

- Pessoas idosas costumam permanecer mais tempo dentro de casa: atenção para o controle dos ácaros da poeira.

- Existem medicamentos que podem desencadear crises de asma, como por exemplo: Betabloqueadores (remédios usados para hipertensão ou sob forma de colírios para o glaucoma); Aspirina (AAS) e outros Antinflamatórios, entre outros. Por isso, é importante informar ao médico todos os medicamentos que faz uso.

- Algumas doenças podem piorar a asma, como por exemplo: refluxo gastro-esofágico, sinusites, entre outras. Informe ao médico todas as doenças que apresenta.

- O tratamento da asma deve ser mantido todos os dias, com ou sem sintomas.

- Mantenha suas atividades diárias, caminhe, procure ter uma vida ao ar livre. A velhice é uma etapa natural da vida e deve ser encarada com positividade. O tratamento adequado da asma tem condições de proporcionar uma vida normal à pessoa idosa.Converse com o médico: exponha suas preocupações e tire suas dúvidas.

Atue em parceria com o médico para controlar sua asma.

Não deixe que a asma controle sua vida!

6 Dê sua opinião:

Carlos Emerson Junior disse...

Sem querer ser chato (e já sendo), a fonte está muito pequena para que idosos como eu leiam com conforto... O artigo está muito bom.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

Já providenciei o aumento da letra. Obrigada pela dica!

Lobão disse...

Bom dia, estou trabalhando com um projeto (TCC/Tese) de tratamento alternativo, desenvolvi um produto que tem obtido bons resultados em diversos casos, inclusive asma e bronquite, trata-se de um abajur que emite uma determinada luz modulada que estimula o SNC produzir Serotonina, meu pressuposto é que a baixa densidade da Serotonina também influencia nas crises de bronquite e asma, a Rede Neural quando esta deficitária pode causar diversas anomalias, principalmente quando estamos em repouso ou mudança de temperatura e nosso metabolismo esta baixo, posso disponibilizar um produto sem custo em troca de feedback;obs, não tem contra indicação, agradeço a atenção Edson Lobo.

Dra. Fatima Emerson disse...

Olá Edson: o ideal é que você entre em contato com um Centro de Estudo e Pesquisa em Asma para que seu produto possa ser avaliado. Um abraço

Ray disse...

Boa noite,

Gostei da matéria, apenas não veriquei a expectativa de vida que tem as pessoas asmáticas, gostaria de saber onde posso adquirir essa informação aqui no site.
obrigada.

Clínica de Alergia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro disse...

A asma bem controlada não altera a expectativa de vida dos idosos. Agradecemos sua visita.

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".