Pular para o conteúdo principal

Dia Nacional de Combate ao Fumo



Hoje é o dia Nacional de Combate ao Fumo. 
A data, dia 29 de agosto foi criada em 1986 pela lei nº 7488, com o objetivo de conscientizar e mobilizar a população sobre os riscos decorrentes do uso do cigarro.   

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial de Saúde um problema de saúde pública, sendo uma das principais causas de morte evitável no mundo.


Mas, o dano do cigarro é maior e se estende para todos que convivem com o fumante, que se tornam fumantes passivos. Ou seja, ao inalar a fumaça do cigarro, a pessoa ao lado também fuma, mesmo sem colocar um cigarro na boca.
O fumante passivo inala não apenas o tabaco, mas também a fumaça resultante da expiração do fumante e muitas substâncias químicas exaladas e que podem causar ou agravar doenças respiratórias. 
É comprovado que a fumaça do cigarro pode provocar crises e agravar doenças respiratórias como a asma e a rinite alérgica.  E, quando se fala de crianças alérgicas, o risco aumenta. 
Crianças asmáticas que convivem com tabagismo têm mais chance de gravidade, maior necessidade de atendimento em pronto socorro, aumento de internações, bem como têm maior probabilidade de provas de função pulmonar alteradas; comparadas com crianças portadoras de asma mas sem exposição ao tabagismo passivo. 
Hoje é um dia especial para lembrar que parar de fumar sempre vale a pena, em qualquer momento da vida. Procure ajuda médica para conseguir largar este vício.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano. Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico. Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madei

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert. Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa. É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça Quadro c

Disidrose (eczema disidrótico)

A disidrose é um eczema localizado em mãos e pés, ocorrendo em surtos alternados a períodos sem sintomas. A palavra disidrose (dis=defeito e hidrose=produção de água ou suor) foi usada pela primeira vez em 1873, porque na época acreditava-se que a doença era causada por distúrbios sudoríparos. Já em 1876, alguns estudos atribuíram a doença a fatores nervosos e modificaram o nome para Phompholix. Atualmente a disidrose é considerada uma reação eczematizada. Assume características peculiares por atingir mãos e pés, onde a pele tem características especiais, sendo mais espessada. O líquido presente nas lesões resulta de processo inflamatório. A alteração do suor, embora não seja fator causal, é um importante agravante das lesões. Verifica-se também que outros fatores, como alterações climáticas e estresse emocional constituem significativos fenômenos desencadeantes. Por isso, alguns autores preferem utilizar o termo Eczema Disidrótico. Como se manifesta: Na disidrose, surge primeiro o