Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013

Cardápio do bem - alimentos que previnem doenças

Depender de remédios para cuidar da saúde é um tanto desagradável. Mas e se um ato tão natural como se alimentar puder prevenir doenças?  Desde a década de 1990, com o início dos estudos sobre o poder benéfico dos alimentos no Brasil, isso deixou de ser só uma possibilidade. As pesquisas sobre Nutrição Funcional apontam que o consumo equilibrado e regular de alguns alimentos ajuda a reduzir as chances de sofrer de males como a hipertensão, o câncer e a diabetes.  Segundo Marilucia Alves, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional e especialista na área, uma alimentação rica em nutrientes aliada à prática de exercícios físicos ajusta fisiológica e metabolicamente o organismo. “Isso é refletido na redução do risco de doenças crônicas”, comenta. Para Marilucia, a dieta deve ser personalizada e orientada por profissionais. “É necessário considerar a individualidade bioquímica, a predisposição genética, o estilo de vida e os hábitos de cada um”, explica. Ela esclarece que há

Falta de vitamina D pode explicar por que obesos têm mais alergia

Crianças e adolescentes obesos são mais propensos à asma e alergias do que jovens com o peso normal – e a deficiência em vitamina D pode ser uma das razões pelas quais isso acontece: é o que indicou um novo estudo americano .  A vitamina D é importante para o sistema imunológico e sua deficiência é comum em pessoas obesas. Por outro lado, há maior  risco de asma e alergias entre jovens com sobrepeso.  Foram estudados 86 jovens de 10 a 18 anos de idade, sendo que 54 deles eram obesos ou tinham sobrepeso. Os participantes realizaram exame para medir os níveis de vitamina D, bem como  os níveis de imunoglobulina E (IgE), um anticorpo que é um dos principais fatores que desencadeiam reações alérgicas e das citocinas, que são moléculas envolvidas no processo que desencadeia respostas imunes no organismo.  Os pesquisadores verificaram uma relação significativa entre a gravidade da obesidade dos participantes, maiores níveis de IgE, de citocinas e menores dosagens vitamina D. Concluir

Dicas para um inverno saudável - sem alergia!

  1. Alergia não se trata só nas crises. Mantenha sua medicação contínua, mesmo que esteja bem,  para prevenir que as crises venham.   2. A imunização contra gripe é importante pois protege o alérgico das formas graves da doença.   3. Lave as roupas guardadas antes de usá-las, mesmo que estejam em sacos plásticos e que tenham sido lavadas antes de guardadas.   4.Crianças pequenas crescem rápido e raramente têm roupas guardadas de um inverno para outro. Mas, mesmo que os adultos que moram com ela não sejam alérgicos, deverão tomar este cuidado.   5. Lave também: mantas, edredons, moletons, pijamas. O que não for possível lavar deve ser colocado ao sol.  6.  Areje sua casa: deixe janelas abertas. Vento e ar fresco não fazem mal! Combata focos de umidade, mofo, infiltrações. 7. Limpe a casa todos os dias com pano úmido sem vassoura ou espanador. Não use produtos de limpeza com cheiro ativo, amoníacos, etc. Evite perfumadores, aromatizadores ou incensos.  8. Encape travesseir

Riscos em cosméticos e produtos de beleza

Olhando para a figura, eu pergunto: é possível viver sem cosméticos?  A Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosméticos aponta que cerca de 79% das mulheres brasileiras usam algum produto de beleza diariamente e que o faturamento do setor foi de 85 milhões em 2012. A cada momento surgem novos cosméticos, com aprimoramento de suas qualidades: produtos de maquiagem de duração prolongada, shampoos que lavam a seco, esmaltes holográficos, glitters, cremes rejuvenescedores milagrosos, desodorantes de longa duração, hidratantes, protetores solares, entre outros.  Contudo, nem tudo são flores neste segmento: uma pesquisa recente da Unicamp chamou a atenção para substâncias presentes em cosméticos capazes de provocar alergia.  As empresas argumentam que não são substâncias proibidas e que obedecem as normas da Anvisa  Os pesquisadores dão importantes alertas:  - Esmaltes: 3 dos 9 esmaltes investigados continham taxas elevadas de sudam III, corante que