Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2013

Alergia ao látex

Látex é um produto extraído da árvore da borracha (seringueira ou Hevea brasiliensis), sendo utilizado no fabrico e manufatura de muitos materiais para uso médico: luvas, sondas, drenos, garrotes, entre outros e no uso pessoal: chupetas, brinquedos, balões de festa, infláveis, preservativos, produtos dentários, entre outros. Calcula-se que mais de 40.000 produtos de uso médico e de uso corrente contém látex e com os quais entramos em contato, seja através da pele como pela respiração. O ambiente hospitalar contem partículas de látex inaláveis, permitindo seu contato com a mucosa das vias respiratórias.  Grupos de risco   A alergia ao látex é mais comum em:  - Médicos e profissionais de saúde, em especial aqueles que trabalham em centros cirúrgicos. É comprovado que a manipulação das luvas de látex libera partículas de látex ligadas ao talco no ambiente. Hospitais, clínicas e ambulâncias podem conter índices elevados de alérgenos do látex no ar, que podem ser inaladas e provo

Eu tenho alergia a celular

Muito se fala sobre os perigos dos celulares. Esses aparelhos, que se integraram à nossa rotina, quase viraram uma extensão de nosso corpo. É natural que despertem reações de paixão e temor. Boa parte delas parece infundada. Já se disse que as antenas das operadoras aumentam o risco de câncer na vizinhança. Alguns afirmam que manter o aparelho com frequência no ouvido pode fritar o cérebro, causando danos nos neurônios. Já se falou até que as ondas eletromagnéticas dos celulares (as mesmas do WiFi de casa, da TV e do rádio comum) podem estourar pipocas. Por enquanto, os estudos não foram conclusivos o bastante para entidades médicas se posicionarem nem para mudar a regulamentação do setor.  O que há de risco comprovado no uso de celulares é bem mais comezinho. O níquel presente em alguns cromados da carcaça e dos botões pode gerar reações alérgicas. Para quem tem sensibilidade ao material, chamada pelos médicos de dermatite de contato, os sintomas podem aparecer bem rápido.  Desc

Mitos em alergia

Mitos a respeito de alergias  alimentares, medicamentosas e respiratórias são comuns. Ainda mais quando cerca de 70% dos usuários de internet buscam, na rede, informações sobre saúde. A falta de filtros que garantam a confiança dos dados faz com que muitas publicações tragam conceitos errados, que acabam compartilhados e reproduzidos em páginas do mundo todo.  Essa é uma preocupação do alergologista e imunologista David Stukus, do Hospital Infantil da Nação, em Columbia. Durante o 70º Encontro Anual do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia (ACAAI), evento que se realizou nos EUA, o médico advertiu que informações incorretas levam os pacientes a tomar atitudes perigosas e desnecessárias. Segundo Stukus, cerca de 30% da população mundial sofre de algum tipo de alergia, o que justifica o grande interesse pelo assunto. Principalmente por parte dos pais, já que, com o sistema imunológico ainda em desenvolvimento, crianças pequenas costumam ser as grandes vítimas dessa rea

Alergia à proteína do leite

Leite: alimento saudável e indispensável na dieta infantil. Infelizmente esta afirmação não se aplica para todas as crianças. Para aquelas que têm alergia ao leite, pode se tornar um verdadeiro veneno. A Clínica de Alergia está realizando no Rio de Janeiro um tratamento de dessensibilização ao leite de vaca, proporcionando condições para superar este problema. Hoje o Jornal Bom dia Rio mostrou uma matéria realizada na Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro, com crianças alérgicas que foram submetidas ao tratamento e realizaram o sonho de comer pela primeira vez alimentos contendo leite. Mas antes, um lembrete: Alergia Alimentar é diferente da Intolerância. Quando se fala de alergia, trata-se de uma reação imunológica às proteínas do leite de vaca, sendo as principais: caseína e betalactoglobulina.  E no caso da intolerância alimentar, a reação não é imunológica e é dirigida ao açúcar, que no caso do leite é a lactose. Clique aqui e veja a matéria da Tv

Asma na infância

A asma é uma doença comum na infância, em geral começando precocemente e relacionada com a alergia em grande parte dos casos. É conhecida popularmente como “ bronquite ”, ou como: “ bronquite alérgica ” ou “ bronquite asmática ”. No Brasil, a asma é uma grande causa de hospitalizações entre crianças e adolescentes, exercendo forte impacto na qualidade de vida, podendo interferir na capacidade física, nas brincadeiras, na prática de esportes, na frequência às aulas e no relacionamento social.  A asma tem causa genética, mas também sofre interação com fatores múltiplos: ambientais, pessoais, alergênicos, entre outros.  Sintomas da asma  Os principais sintomas são: falta de ar (dispneia), chiados no peito (sibilos), sensação de aperto no peito e tosse. Estas queixas são episódicas podendo surgir por motivos variados, como por exemplo: mudanças de tempo, gripes e resfriados, exposição à alérgenos (poeira, pelos de animais, mofo), irritantes (fumaça, cheiros ativos), entre outros.