Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2017

Refluxo laringo-faríngeo

Chama-se de refluxo gastroesofágico (RGE) ao retorno do conteúdo ácido do estômago para o esôfago em geral acompanhado de desconforto no peito e sensação de gosto amargo na garganta. Vale lembrar que refluxo até certo ponto é normal. Por isso, os b ebês golfam e qualquer pessoa pode arrotar ou ter azia quando come em excesso. Porém, o conteúdo ácido presente no estômago pode retornar pelo esôfago e chegar até a garganta, causando sintomas. Quando isso ocorre é denominado Refluxo Laringofaríngeo (RLF). O refluxo laringofaríngeo pode causar inflamações ao atingir as cordas vocais provocando manifestações clínicas como: • Incômodo na garganta; • Necessidade de limpar a garganta com muita frequência (pigarro); • Tosse; • Sensação de algo preso na garganta (globus). Refluxo Laringofaríngeo (RLF) X Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE ) Apesar de possuir a mesma base fisiopatológica, o RLF é considerado diferente da DRGE clássica que possui como principais cara

Alergia nos olhos

Os olhos estão em contato direto com o meio ambiente, sendo alvos frequentes de reações alérgicas, que podem comprometer as pálpebras, cílios, conjuntiva, córnea e úvea. ALERGIA NAS PÁLPEBRAS - Dermatite de contato aos cosméticos, com destaque pelo esmalte de unha. O aspecto clínico é de descamação e eczema na região das pálpebras. - D ermatites de contato irritativas ou alérgicas provocadas por colírios, seja pelos medicamentos (pelas substâncias ativas) como pelos preservativos empregados na conservação dos colírios.  -  I nchação (edema) das pálpebras que podem acompanhar os processos de angioedema. - Blefarites, que são processos inflamatórios (nem sempre alérgicos) que acometem as bordas palpebrais, na região dos cílios.  ALERGIA NA CONJUNTIVA - CONJUNTIVITE ALÉRGICA A conjuntivite alérgica em geral acompanha a rinite alérgica. Manifesta-se por coceira nos olhos, vermelhidão, lacrimejamento e incomodo com a luz solar ou artificial intensa (fotofobia). A coceira o

Alergia por faixa etária

Muitos brasileiros já enfrentaram ou conhecem alguém que já teve algum tipo de alergia. É comum que se pense que as crianças são as maiores vítimas, mas um estudo apresentado no congresso anual do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia mostrou que quase metade das alergias alimentares surgem na idade adulta. — A alergia é uma reação de intensidade exagerada do organismo a determinados estímulos que são inofensivos para a maioria das pessoas. Quando o corpo entra em contato com essas substâncias, há produção aumentada de um tipo de anticorpo chamado imunoglobulina E (IgE). Quanto maior for a produção de IgE, mais intensa será a reação alérgica — explica o médico Nelson Cordeiro, membro do Departamento Científico de Dermatite Atópica da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai). ma pessoa pode nascer com alergia a alguma substância ou desenvolvê-la ao longo da vida, como acontece com a maioria das alergias de pele. — Quem entra muito em contato com produtos