Pular para o conteúdo principal

Semana Mundial de Alergia 2017

Hoje começa a Semana Mundial de Alergia 2017

A ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia) realiza atividades em suas regionais abordando o tema Urticária.


Visite o site da ASBAI e consulte algumas das atividades: Semana Mundial da Alergia - Programação

No Rio de Janeiro, a equipe do Blog da Alergia participará das atividades. A abertura será hoje às 9:00 na Lagoa Rodrigo de Freitas:


Parque dos Patins - Lagoa Rodrigo de Freitas
 Av. Borges de Medeiros s/nº 
02 abril 2017
Horário: 9:00 às 12:00 h.

No local, serão montadas tendas com atividades ao ar livre, bandinha musical e recreadores infantis. Médicos alergistas estarão presentes para esclarecer dúvidas sobre alergia.
O tema deste ano é: 
A agonia da urticária
O que fazer quando a coceira e os inchaços não vão embora”.


Serão expostos cartazes informativos sobre a urticária, além de atividade interativa com o público abordando “Mitos e Verdades sobre a Urticária”.

Consulte a programação completa no Rio de Janeiro no site da ASBAI RJ.




Comentários

  1. Boa Tarde, seu blog é fantástico, estou encantada. Parabéns.
    Fui diagnosticada com alergia a pó, pelo de gato, fumaça de cigarro. o Medico me passou nasonex, mas ficou fora do meu orçamento, será que posso substituir por algum outro Spray, não encontro nenhuma referencia a essa substituição. Gratidão doação <3

    ResponderExcluir
  2. Michelle: o princípio ativo do Nasonex é a mometasona que também pode ser encontrado no produto de nome comercial "Nites". Convido que escreva para nosso e-mail (blogdalergia@gmail.com) e enviaremos para você uma cópia em PDF do livro: “Alergia, doença do século XXI”. Gratos pela sua visita ao Blog da Alergia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano. Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico. Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madei

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert. Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa. É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça Quadro c

Disidrose (eczema disidrótico)

A disidrose é um eczema localizado em mãos e pés, ocorrendo em surtos alternados a períodos sem sintomas. A palavra disidrose (dis=defeito e hidrose=produção de água ou suor) foi usada pela primeira vez em 1873, porque na época acreditava-se que a doença era causada por distúrbios sudoríparos. Já em 1876, alguns estudos atribuíram a doença a fatores nervosos e modificaram o nome para Phompholix. Atualmente a disidrose é considerada uma reação eczematizada. Assume características peculiares por atingir mãos e pés, onde a pele tem características especiais, sendo mais espessada. O líquido presente nas lesões resulta de processo inflamatório. A alteração do suor, embora não seja fator causal, é um importante agravante das lesões. Verifica-se também que outros fatores, como alterações climáticas e estresse emocional constituem significativos fenômenos desencadeantes. Por isso, alguns autores preferem utilizar o termo Eczema Disidrótico. Como se manifesta: Na disidrose, surge primeiro o