Pular para o conteúdo principal

Outono sem Alergia



O  outono chegou e com ele chegaram as mudanças de tempo e as temperaturas mais baixas. É uma época propícia para as alergias respiratórias, sendo as crianças e os idosos os mais afetados. Dados da ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia) apontam que 30% da população brasileira possui algum tipo de reação alérgica, sendo a rinite e a asma (ou bronquite), predominantes nesta época do ano. 


As mudanças climáticas que ocorrem nesta época facilitam a proliferação dos ácaros que são potentes desencadeadores de alergias. Além dos ácaros, os fungos, os pelos de animais e restos de baratas são os principais desencadeadores das alergias respiratórias. A queda da temperatura, maior permanência em ambientes fechados e a piora da qualidade do ar agravam as crises de asma e de rinite.


Medidas úteis


- Areje a casa: deixe janelas abertas, vento não faz mal!
- Faça atividades e caminhadas ao ar livre. 
- Reforce os cuidados de limpeza da casa.
- Lave as roupas de inverno de toda a família que estão guardadas: pijamas, camisetas de  manga comprida, moletons, casacos, edredons, etc. mesmo que não tenham cheiro de mofo.
- Vacine-se contra a gripe. 
- Continue com seu tratamento preventivo, seja com remédios ou com imunoterapia (vacina de alergia). 


Fonte: ASBAI

Comentários

  1. Olá, tenho duvidas sobre alergia. A uma semana tenho tido sintomas estranhos,tem me saido urticaris em partes diferente do corpo, que lembram muito mordida de mosquito só que bem mais agressiva da uma coceira logo em seguida levanta uma bolotas que depois parecem virar uma só, e tem vez que me incha o labio, ja tive uma reaçao assim a carne de porco e alguns remedios. Fora da minha dieta so peixe na sexta passada ,bombom no domingo e nata. Tenho a impressão que coça mais na marca da roupa. O que pode ser? Fui a um medico e me receitou polaramine que so ameniza se paro volta tudo.

    ResponderExcluir
  2. Denner: o seu relato sugere que seja uma urticária associada com angioedema. Aconselho que procure um alergista. Gratos por sua visita.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Os comentários publicados sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. Os autores deste blog reservam-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgarem ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou sem a devida identificação de seu autor também poderão ser excluídos".

Postagens mais visitadas deste blog

Alergias e reações na pele causadas por plantas

A natureza nos presenteia diariamente com plantas e flores proporcionando uma festa não apenas para os olhos mas para todos os sentidos. A sua utilidade prática é indiscutível e múltipla, seja purificando o ar, seja servindo como alimento ou como base para construção de habitações, na manufatura de mobiliário, utensílios, cosméticos, medicamentos, entre tantas outras aplicações. Se apenas tivessem o papel de embelezar, já seriam fundamentais, aliviando a dureza do cotidiano e transmitindo paz numa convivência harmoniosa de longa data com o ser humano. Mas, em algumas situações, a pele pode desenvolver reações quando entra em contato com plantas e daí pode coçar, se tornar vermelha, apresentar uma erupção cutânea e até inflamar. Estas reações surgem pelo contato com a pele, algumas puramente por irritação direta e outras, por mecanismo alérgico. Até mesmo árvores podem produzir um eczema de contato alérgico, sendo o exemplo mais conhecido a Aroeira, uma árvore de madei

Pitiríase rósea

É uma doença conhecida desde 1860, quando foi descrita por Camille M. Gibert, sendo conhecida também como Pitiríase rósea de Gibert. Não se conhece exatamente a causa, mas parece que a hipótese mais viável é que seja ocasionada por vírus, como por exemplo, o vírus do herpes. Mas, é possível que dependa de uma tendência genética do indivíduo, o que seria um facilitador do aparecimento da doença. Questiona-se também outros mecanismos, envolvendo alguns tipos de medicamentos, autoimune, associação com outras doenças, etc. Fatores psicológicos ou estresse podem facilitar o aparecimento da doença, assim como alterações da imunidade e gravidez. Não é contagiosa. É mais comum em adultos, acometendo mulheres e homens, sendo rara em crianças pequenas e em idosos, ocorrendo preferencialmente na primavera e no outono. O maior problema é que sua evolução pode ser prolongada e durar de semanas a meses, assustando o doente. Em alguns casos pode recidivar, mas não é comum que aconteça Quadro c

Dermografismo

A bolsa pesada marca o seu braço? A roupa apertada, a alça do soutien, o elástico da roupa faz você coçar e empolar? Atenção: pode ser dermografismo! Dermografismo é uma doença da pele que afeta cerca de 5% da população e que se caracteriza pelo aparecimento de coceira intensa em locais de pressão. Após o ato de coçar surgem “lanhos” vermelhos nas pele. É uma forma de urticária, sendo também chamado de urticária factícia ou urticária falsa.A urticária clássica se caracteriza pelo surgimento de placas avermelhadas que se acompanham de coceira na pele, podendo ter causas variadas, como medicamentos, alimentos, certas doenças, entre outras causas – veja post sobre o tema neste mesmo Blog. No caso do dermografismo, após pressão sobre um determinado local no corpo, a coceira surge em primeiro lugar e só depois de se coçar é que surgem as placas. Por isso, é comum que se inicie em locais onde a roupa aperta, elásticos, alça do soutien. O dermografismo faz parte de um grupo de urticárias deno